Igreja manda para o Paraguai padre acusado de abusar de freiras no Brasil

Onze freiras de Goiás estão acusando o padre Jean Rogers Rodrigo de Souza, 44, de abuso sexual, incluindo estupros.

A Igreja Católica abriu um processo canônico contra o padre Rodrigo Maria (foto), como ele é conhecido, mas as freiras não sabem quando haverá um julgamento, embora as primeiras denúncias já tenham 12 anos.

Como faz com os padres acusados de pedofilia, a Igreja transferiu Rodrigo Maria várias vezes de cidade, e hoje ele se encontra em Ciudad Del Este [mapa], no Paraguai.

Padre Rodrigo Maia
 está sendo acusado
por onze freiras

Anna Virginia Balloussier, da "Folha de S.Paulo", ouviu três das freiras que acusam o padre e teve acesso a documentos referentes ao caso.

Pelos relatos, o padre tratava a Arca de Maria, em Anápolis (GO), de freiras, como se fosse o seu harém.

Uma irmã contou: “O padre chamou [as freiras] para conversar. Uma a uma. Cheguei, ele fechou a porta. Parecia que não estava em si, já veio com uma força muito grande, me jogando no sofá e levantando meu hábito. Não tive coragem de gritar. Tudo em cinco minutos que pareceram uma eternidade”.

O padre disse ser inocente e que está processando as onze freiras porque, argumenta, ele tem sido vítima de calúnias.

Afirmou que sofre perseguição, inclusive de fora da Igreja, por ser contra o comunismo no Brasil e ter simpatia por Jair Bolsonaro.

Acredita haver contra ele uma conspiração de “organizações poderosas”, das quais fariam parte duas irmãs homossexuais.

Há também, disse, mulheres que se apaixonam por ele e acabam sendo acometidas por “fúria” por serem desprezadas.


No Youtube, há dezenas de pregações do padre. No canal "Soldados Católicos", existe um vídeo defendendo-o, com o titulo "Querem calar o padre Rodrigo Maria".

Pelas denúncias das freiras, Rodrigo Maria gosta de se exibir no Skype se masturbando.

Em um áudio de 2015 de uma conversa entre o sacerdote e parentes de uma ex-freira, há referência a uma imagem onde Rodrigo Maria aparece “mostrando o pinto”.

Na conversa, o padre admitiu ter cometido “atos indecentes” e falado “coisas indecentes”.

Uma freira tem um print dessas “indecências”.

A mesma freira viu no computador do padre vídeos de sexo entre animais, como “de leão com macaco”, e fotos de moças de calcinha e sutiã.

A Igreja Católica do Paraguai determinou que o padre não use o hábito clerical e não exerça nenhuma atividade religiosa, até que se resolva o seu caso.

Rodrigo Maria tem desrespeitado as duas ordens.

Com informação da Folha de S.Paulo e do Youtube e foto reproduzida do blog São Pio de Pietrelcina


Aviso de novo post por e-mail

Freiras de vários países revelam que são vítimas de abuso de sacerdotes

Freiras trabalham em regime de escravidão para cardeais e bispos

Ex-freira Elizabeth, 73, conta como virou militante ateísta




Itália prende padre acusado de abuso durante exorcismo

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site