Pular para o conteúdo principal

Padre Paulo Ricardo defende Bolsonaro: ‘Levou facada por falar a verdade’

O padre Paulo Ricardo manifestou-se favoravelmente a Jair Bolsonaro (PSL) ao dizer em uma palestra que só existem duas formas de calar “uma pessoa que fala a verdade”: “Ou você dá uma facada ou você inventa mentiras sobre ela” [vídeo abaixo].

Ele foi aplaudido pela plateia e chamado de “mito”, que é como militantes aclamam Bolsonaro.

Paulo Ricardo é o porta-voz da ala da ultradireita, minoritária, da Igreja Católica. Ele é chamado de “Malafaia dos católicos”.

O padre não falou sobre as “verdades” propagadas por Bolsonaro, mas ambos, por exemplo, são defensores da “família tradicional”, o que exclui os casais do mesmo sexo.


O conservadorismo de Paulo Ricardo é tanto que, para ele, até a masturbação é pecado.

O vídeo do trecho da palestra do padre se tornou viral na rede social, compartilhado principalmente por militantes de Bolsonaro.

O padre divulgou uma nota afirmando que sua alusão à facada, quando falava da perseguição os jesuítas no século 18, foi “um recurso retórico”.

“Como estou vendo minhas afirmações circularem, fora deste contexto, pelas redes sociais, gostaria de esclarecer o seguinte: 1 - Nunca participo ativamente de campanhas eleitorais; 2 - Não declaro o meu voto em público.”

Ele pediu respeito a sua decisão de não se "imiscuir em processos político-eleitorais", embora na palestra agido como um ativista político.

Como é possível ver no vídeo, Paulo Ricardo gostou de ser chamado de “mito”.



Com informação de vídeo do padre Paulo Ricardo e de outras fontes.


Aviso de novo post por e-mail

Jair Bolsonaro faz ameaça de instituir um Estado cristão

Adélio é insano por que deu facada em Bolsonaro em nome de Deus? Não

Padre aposta que Trump vai combater o ‘materialismo ateu’




Malafaia católico acusa juízes de seguirem valores ateístas

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

"O conservadorismo é tanto que pra ele, até masturbação é pecado"

Não sei se ninguém te avisou, mas essa não é a opinião dele, mas da IGREJA CATÓLICA, da qual ELE É PADRE! Tu queria o quê, que ele fosse mais um padre traidor que se faz de católico mas prega coisas contrárias ao que a Igreja ensina?

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Holanda pede a religiosos provas de que animal não sofre no abate

Marianne Thieme: "Liberdade religiosa termina onde começa o sofrimento de humanos ou de animais"  O Parlamento da Holanda concedeu aos líderes do judaísmo e do islamismo um ano para provar cientificamente que o abate religioso não causa sofrimento nos animais.  Em junho de 2011, a Câmara dos Deputados aprovou lei que proíbe esse tipo de abate porque é feito sem o atordoamento dos animais. A lei terá de ser votada pelo Senado, para ser confirmada ou não, o que ocorrerá após o prazo dado para a manifestação dos religiosos. A lei foi proposta pelo Partido pelos Animais, o único do gênero no mundo. Para Marianne Thieme (foto), líder do partido, “a liberdade religiosa termina onde começa o sofrimento humano ou animal”. Ela é seguidora da Igreja Adventista do 7º Dia. A proposta da nova lei uniu judeus e muçulmanos do país. Eles acusam o Parlamento de querer acabar com a liberdade de religião. Pela tradição judaica e islâmica, os animais têm de estarem conscientes no m