Diocese omitiu que braços do Cristo Redentor ameaçaram cair em 2015

Os visitantes ao Cristo Redentor em determinado período, até 2015, correram grave risco porque os braços da estátua poderiam cair a qualquer momento.

A Arquidiocese do Rio, responsável pelo Cristo, somente agora divulgou o risco.

O vigário episcopal Marcos Willian Bernando, durante um evento sobre o platô do Corcovado, contou que naquele ano técnicos descobriram que os braços estavam na iminência de cair por causa de um problema na infraestrutura da estátua.

A visitação teve de ser suspensa para que o Cristo fosse reparado.

O vigário disse que a arquidiocese gastou R$ 1,4 milhão com as obras emergenciais.

“Não fizemos nenhuma divulgação, mas, sim, havia o risco de os braços do Cristo caírem”, disse.

O abraço perigoso do Cristo



Aviso de novo post por e-mail

Tribunal de Justiça libera uso do Cristo Redentor em publicidade

Ministra ameaçou retirar da Igreja tutela do Cristo Redentor

Crivella diz que piadas com ‘É só conversar com a Márcia’ é preconceito contra assessora




Parecer de 1921 desaconselhou instalação do Cristo Redentor

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

Postar um comentário

-------- Busca neste site