Governo da Espanha quer funeral laico para personalidades de Estado


Primeiro-ministro
Sánchez estuda
um protocolo para
 o funeral laico 

[notícia]

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou que “gostaria” de estabelecer um protocolo leigo para funerais de personalidades de Estado. 

Os chamados “funerais de Estado” e homenagens póstumas a pessoas ilustres passariam a ser conduzidos por leigos, em vez de religiosos, diferentemente, portanto, do que ocorre atualmente.


O socialista e ateu Sánchez disse que, se vier a instituir o “funeral de Estado laico”, terá que desfazer ou renegociar os acordos que a Espanha tem com a Santa Sé.

Ele também pretende colocar em discussão a validade da concessão de subsídios à Igreja Católica.

A proposta de Sánchez tem causado polêmica porque, para alguns, quem deve decidir como deve ser o funeral são os parentes do morto e, para outros, se a cerimônia foi feita pelo Governo, a laicidade tem de se respeitada.

A Espanha é um país de forte tradição católica, mas lá, a exemplo de outros países europeus, a secularização tem se firmado nos últimos anos.

Com informação de 20 Minutos e de outras fontes.


Ateu, primeiro-ministro da Espanha assume em cerimônia sem Bíblia e crucifixo

Presidente do Banco da Espanha dispensa a Bíblia na cerimônia de posse

'Homeopatia não é ciência, não cura', diz ministra da Espanha




Espanha fecha um mosteiro por mês por falta de vocações

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. Uma pedra de 100 kg se soltou do muro das lamentações e o prefeito diz ter sido "um grande milagre" nenhum fiel ter sido atingido.
    https://amarretadoazarao.blogspot.com/2018/07/a-queda-do-muro-das-lamentacoes.html

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Historiadora diz que Moisés não existiu. E sofre ameaças de morte