Feliciano considera que depressão pode ser causada por demônios


Deputado evangélico
 cria polêmica para chamar
 a atenção dos eleitores

O deputado Pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) desencadeou uma polêmica com uma enquete no Facebook em que pergunta se depressão é causada por uma “doença natural” ou por “demônios”.

O deputado constou na lista dos assuntos mais comentados do Twitter na manhã desta quinta-feira (5).

A maior parte dos comentários ironiza o parlamentar e o acusa de prestar um desserviço a quem sofre com a doença. Feliciano, por enquanto, ainda não respondeu aos ataques.

Desde que a enquete virtual entrou no ar, na última terça-feira, até as 10h desta quinta, mais de 277 mil pessoas votaram.


Para 81% dos que se manifestaram, a depressão é uma doença; 19% dizem acreditar que é um mal provocado por demônios.

“Você devia ter vergonha em levantar esse tipo de debate! Já parou pra pensar que alguém que esteja passando por essa situação pode deixar de procurar ajuda com medo de ser culpabilizado? Sério, da vontade de chorar só de pensar que o Brasil paga pra você prestar esse desserviço”, escreveu Allef Braga, no Facebook.

“Que desserviço, senhor Feliciano, em pleno 2018... lamentável, tendo você noção do seu poder de influência! Pessoas morrem por depressão. Que irresponsabilidade sugerir que depressão possa não ser doença, desviando assim pessoas acometidas, dos tratamentos que podem evitar suicídio, por exemplo. Vergonhoso. Você representa o que há de pior na religião e também na política”, afirmou  Wilson Junior.

Feliciano pode ter criado a polêmica deliberadamente, para a chamar a atenção dos eleitores. Ele vai tentar se reeleger nas próximas eleições.

Com Congresso em Foco e outras fontes.


Feliciano diz que Bolsonaro é vítima do ‘globalismo ateísta’

Mulher não deve ter os direitos do homem, defende Feliciano

Feliciano se beneficia com discussão rasa, diz Varella




País está atolado na corrupção e desemprego, e Feliciano se preocupa com beijo gay

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site