São Petersburgo confirma confisco de imóveis de Testemunhas de Jeová


Governo russo
se torna dono
dos imóveis
da Igreja

O Tribunal Superior de Justiça de São Petersburgo, Rússia, confirmou o confisco dos imóveis da igreja Testemunhas de Jeová em Solnechnoye, no Golfo da Finlândia [mapa abaixo].

Os religiosos recorreram àquele Tribunal em recurso contra decisão de primeira instância.

Com valor estimado de US$ 13,9 milhões, lotes de terra, casas e edifícios, 16 no total, agora pertencem ao Estado.

Em abril de 2017, a Suprema Corte da Rússia baniu essa religião do país, enquadrando-a na lei de combate ao extremismo.

Na Rússia, há acusações de que os TJs são discriminatórios contra ex-seguidores, intolerantes em relação às demais religiões e desrespeitadores de leis nacionais.

A Justiça de primeira instância tinha apurado que em 2.000 a direção das TJs tinha doado o complexo imobiliário à Watch Tower Bible and Tract Society, que é o nome jurídico da administração mundial da igreja, com sede na Pensilvânia (EUA).

Como o local permaneceu com os mesmos ocupantes, a Justiça considerou a doação como fictícia, com o propósito de burlar a legislação russa.

Os religiosos negam que são extremistas e acusam o governo do presidente Putin de acabar com a liberdade de religião.


Com informação da Russian News Agency e de outras fontes.


Testemunhas de Jeová experimentam do próprio veneno, a intolerância

TJs têm perda acelerada de fiéis em países desenvolvidos, relatam ex-seguidores





A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site