Nova teoria diz que fim do universo pode ocorrer com outro Big Bang


Explosão de uma única
partícula do bóson
de Higgs pode originar
a explosão de tudo

por Jeremy Berke
para Business Insider Itália

Uma equipe de físicos de Harvard descobriu que o nosso universo provavelmente vai terminar como começou: com um Big Bang.

O segundo Big Bang poderia ser causado por uma mudança na massa do bóson de Higgs que iria consumiria tudo no universo e distorceria as leis da física.

Os pesquisadores acreditam que o nosso universo poderia acabar aproximadamente daqui a 10 bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de anos.

O universo poderia acabar da mesma maneira com que foi criado: com um repentino Big Bang.


Isso é o que teria sido deduzido pela pesquisa realizada por uma equipe de físicos de Harvard segundo a qual a desestabilização do bóson de Higgs - uma minúscula partícula quântica que confere massa a outras partículas - poderia levar a uma explosão de energia que consumiria tudo no universo conhecido e distorceria as leis da física e da química.

No âmbito de seu estudo, publicado em março de 2018 na revista Physical Review D, os pesquisadores calcularam quando poderia acabar o nosso universo.

Nada com que se preocupar no momento. O fim é calculado daqui a 10 elevado à de 139ª potência anos, ou seja, 10 seguido por 139 zeros, ou um número na ordem de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de bilhões de anos no futuro.

E eles têm quase 95% de certeza que o universo vai durar no mínimo outros 10 elevado à 58ª potência anos.

O bóson de Higgs, descoberto em 2012 por pesquisadores provocando a colisão entre si de prótons subatômicas no Large Hadron Collider, tem uma massa específica.

De acordo com o New York Post, se os pesquisadores estiverem certos, tal massa poderia mudar invertendo a física e desestabilizando os elementos que tornam possível a vida. E, em vez de queimar lentamente por bilhões de anos, um bóson de Higgs instável poderia criar uma explosão instantânea, como o Big Bang que criou o nosso universo.

Os pesquisadores dizem que um colapso poderia ser provocado pela curvatura do espaço-tempo em torno de um buraco negro em algum lugar no universo.

Quando o espaço-tempo curva-se em torno de um objeto extremamente denso, tal como um buraco negro, perturba as leis da física e faz interagir as partículas em todos os tipos de combinações estranhas.

Segundo os pesquisadores o colapso já poderia ter começado - mas ainda não temos como saber, porque o bóson de Higgs poderia estar muito longe de onde poderíamos analisá-lo, dentro de nosso universo aparentemente infinito.

"Aparentemente, estamos em equilíbrio entre um universo estável e um universo instável", disse ao Post Joseph Lykken, um físico do Fermi National Accelerator Laboratory não envolvido no estudo. 

"É como se estivéssemos naquele ponto em que o universo pode durar por um longo tempo, mas no final vai acabar por explodir."

Com tradução de Luisa Rabolini para IHU Online.


O que há do lado de fora do universo em expansão?

'Tudo veio do nada, e quem dá sentido à vida somos nós'

Crer que um deus criou tudo é preguiça mental




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários