Governista derrota candidato neopentecostal na eleição da Costa Rica


Quesada ganhou
do homofóbico
 Muñoz

No segundo turno das eleições presidenciais da Costa Rica [mapa], realizado no dia 1º de abril de 2018, Carlos Alvarado Quesada (na foto à esquerda) derrotou o evangélico Fabricio Alvarado Muñoz (foto), que na  campanha prometeu lutar contra o casamento de pessoas entre o mesmo sexo.

Quesada é governista, do PAC (Partido Ação Cidadã).

Ele obteve mais de 60% dos votos.

Muñoz é do conservador RN (Restauração Nacional), um partido criado pelas igrejas neopentecostais, que nas últimas décadas tiveram grande expansão no país.

O professor Gustavo Araya, da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais, comenta: "É a primeira vez que se polariza uma eleição na Costa Rica entre temas religiosos e de direitos humanos".

Com informação das agências e foto de divulgação.


Secularização da América Latina tende a atingir a média global

Religiosos têm de aprender a respeitar os céticos, diz cientista




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários