Evangélicos estão destruindo a cultura indígena, diz cineasta. E a cultura brasileira, não?


Filme ignora o
avanço evangélico

na 'grande
aldeia', o Brasil

Luiz Bolognesi, diretor do filme “Ex-pajé”, deu uma entrevista dizendo que evangélicos estão destruindo a cultura indígena, substituindo o pajé por pastor, por exemplo.

Mas não é isso o que está ocorrendo em todo o Brasil, não só nas aldeias?

Já faz tempo que o pastor Ricardo Gondim, da Igreja Betesda, escreveu  Deus me livre de um Brasil evangélico, porque, argumentou, o puritanismo religioso vai devastar a cultura brasileira, impondo, por exemplo, restrições a músicas de Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Maria Gadu.


A tentativa de empobrecer a cultura brasileira já está ocorrendo, como mostra a movimentação das  milícias religiosas.

Pode-se dizer que a evangelização começou em 1500, com os padres. Mas a Igreja Católica nunca conseguiu capar a cultura brasileira, embora, é verdade, tenha tentado várias vezes.

Portanto, o “Ex-pajé” [ver trailer abaixo] pode ser assistido como uma metáfora do que está ocorrendo com o Brasil.

Pelo menos até o dia em que Bolognesi achar que deve fazer o filme “Ex-brasileiros”.



Com informação de "O Globo" e de outras fontes.


Acelera-se a conversão de índios a religiões evangélicas

Presidente da Funai apoia pregação cristã aos índios




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários