Brasileira ganha prêmio de melhor tese de doutorado de biologia evolutiva


Thaís Vasconcelos
estuda a evolução
das mirtáceas

A bióloga brasileira Thaís Vasconcelos (foto), 29, ganhou o prêmio de melhor tese de doutorado em biologia do Reino Unido.

A Linnean Society, de Londres, a entidade que concedeu o prêmio, acolheu em 1858 Charles Darwin para que ele apresentasse a base de sua teoria da seleção natural das espécies.

A tese de doutorado de Thaís Vasconcelos mostra como a família das mirtáceas evoluiu.Trata-se de plantas como eucaliptos, goiabeiras e cagaitas, que fazem parte da paisagem brasileira e a de toda a América do Sul.

A bióloga sustenta que a origem das mirtáceas remonta aos primeiros 500 milhões de anos da Terra, quando os continentes estavam unidos em um, na extensão conhecida por Gondwana.

A importância da tese de Thaís Vasconcelos se deve ao fato de o estudo das plantas ter contribuído para a elaboração dos conceitos da biologia evolutiva e, portanto, da origem de todas as espécies.

Com informação do G1 e de outras fontes e foto de arquivo pessoal.


Livro de Darwin abalou o mundo e desmoralizou o criacionismo

Cinco equívocos que se afirma sobre a teoria da evolução




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

  1. A gafe é do Paulopes; a reportagem original diz que "Uma outra conclusão da pesquisa tem a ver com um fenômeno ocorrido nos primeiros 500 milhões de anos da origem da Terra: a formação do supercontinente do sul Gondwana. De acordo com a hipótese levantada, as mirtáceas chegaram às Américas quando os continentes ainda estavam unidos." Foi o Supercontinente de Gondwana que se formou nos primeiros 500 milhões de anos da Terra, e não o aparecimento das mirtáceas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário