Cobrar dívida de igrejas é ‘perseguição’, afirma Marco Feliciano


Deputado diz que
times também devem
e não pagam

O deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), foto, diz que a cobrança de impostos atrasados das igrejas evangélicas é “perseguição da Receita Federal”.

As igrejas têm imunidade tributária em suas atividades religiosas, mas elas precisam pagar as contribuições, como PIS, COFINS e INSS, em relação a seus empreendimentos comerciais.

A dívida acumulada dessas obrigações é R$ 1 bilhão, destacando-se, entre as igrejas, a Internacional da Graça de Deus, de R.R. Soares.


Em um artigo, sem se aprofundar na natureza da dívida, Feliciano diz ter ouvido de Soares que o débito da Graça de Deus é impagável.

Para Feliciano, a cobrança “é um absurdo” porque devedores de impostos, como times de futebol e grandes empresas, “sempre encontram saídas jurídicas para empurrar esses débitos indefinidamente”.

Ou seja, pelo jeito, Feliciano só está reclamando porque as igrejas evangélicas ainda não encontraram “saídas jurídicas” para suas dívidas.

O que se pode concluir é que R.R. Soares já decidiu dar o calote.

Com informação do site Pleno News e foto de divulgação.


Imunidade fiscal de igrejas tem de mudar, diz desembargador



A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

  1. Cobra dos Sangue sungas que sempre afundaram a America Latina.As igrejas nao deveria ter imunidade tributaria de nada a porra do estado fica lambendo sacos de ladroes.Ja nao basta ser o cristianismo a religiao do estado massacrando as pessoas que nao perceber que esta errado.Guerreiros como Galileu Galileu e Giordano Bruno questionamento fodas,guerreiros hereges que contribui com livres pensamentos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site