Acusada de homofobia, Marisa Lobo diz ser ‘especialista em direitos humanos’


'Psicóloga cristã'
responde a processos
por intolerância

A psicóloga Marisa Lobo (foto) tem dado palestra e consultoria como “especialista em direitos humanos”, embora faça campanha contra a ideologia de gênero e seja apontada como homofóbica pelo movimento LGBT. 

Como “especialista em direitos humanos”, ela produziu um gibi que a Convenção Batista Brasileira vai distribuir a crianças sobre as diferenças entre meninos e meninas, de acordo com a Bíblia.


Marisa Lobo responde a ações judiciais sob a acusação de ser intolerante e discriminatória.

Já foi condenada em definitivo em pelo menos em uma das ações.

Afirma que, por ser evangélica, não teme a Justiça, mas critica juízes por se sentir prejudicada em seu direito de livre expressão.

Ela deixou de se apresentar como “psicóloga cristã” depois de um embate judicial com o Conselho de Psicologia, para o qual não se pode atrelar religião à profissão.

Se Marisa Lobo se identificasse como o que realmente é — pregadora evangélica ultraconservadora —, sem subterfúgios, ela ao menos mostraria ter honestidade intelectual.





Fantasiada dela mesma, psicóloga cristã ataca os zumbis do Carnaval

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site