Urgente! Chame um exorcista, porque acho que estou endemoniado


Padre Marcelo
Rossi ou Fábio
 Melo, não!

Desconfio de que estou endemoniado.

Acabo de ler uma afirmação do padre exorcista espanhol Pedro Barrajón de que um sinal de possessão é a vítima ter a percepção de que não é mais dona do próprio corpo.

Como acho que o meu verdadeiro corpo deveria pesar pelo menos cinco quilos a menos, acho que sou mais uma vítima do maligno.

Urgente, preciso de um padre!

Mas não chame o padre Marcelo nem o Fábio Melo (eles são exorcistadas?), porque ouvir a cantoria de qualquer um deles é pior do que ter a alma em chamas no inferno.

Barrajón disse que outro indício de possessão é que a vítima fala línguas que ela não estudou.

Esse não é o meu caso, infelizmente, porque eu gostaria de acordar um dia sabendo falar alemão, francês, mandarim e outras línguas.

Seria um grande enriquecimento cultural sem fazer nenhum esforço.


Aliás, não entendo por que, nesta era de globalização, o demônio não abre uma franquia mundial de línguas. Ele obteria muitos seguidores.

Barrajón alerta também que o endemoniado costuma ter noite mal dormida e pressão no peito.

Sofro de insônia e, na última vez que tive forte pressão no peito, minha mulher me levou para o hospital, onde fui submetido ao implante de uma ponte de safena.

Será que devo reclamar com os médicos por adotarem um procedimento desnecessário?

Naquela ocasião, minha mulher deveria me levar para um padre exorcista, em vez do Hospital São Paulo?

Mas, a favor de Barrajón, observo que ele diz que “nem sempre” uma pessoa com sinais de possessão está tomada de fato pelo demônio, porque ela pode estar com problemas psicológicos ou físicos.

Puxa, que alívio!

Com informação do UOL.




CNBB quer pelo menos 10 mil exorcistas para combater o mal

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários