Pular para o conteúdo principal

‘Se existisse diabo, ele criaria o cristão agressivo’, diz Karnal


A fúria
do cristão

A um crente raivoso, Leandro Karnal respondeu, no Facebook, que o diabo, se existisse, não criaria o ateu, mas “o cristão agressivo”.

O crente disse que Karnal, por ser ateu, “não passa de um espírito vazio” e que, por isso, ainda vai chorar “a mais tirana dor”, implorando “baixinho a ajuda daquele Deus que você tanto negou”.


Segue a íntegra da resposta do historiador, com refinada ironia:

Sentindo o afeto generoso dos que perdoam 70 x 7 e oferecem a outra face e não julgam nunca para não serem julgados como mandou o Mestre, eu me animo mais a não compartilhar a ideia de uma eternidade ao seu lado.

Se o céu tem mais gente do seu tipo, aceito o inferno como uma alternativa menos hipócrita.

Queimar para sempre será menos doloroso do que conversar com você por todos os séculos dos séculos.

Você deseja o mal e a dor, carrega no seu ódio, ataca e demonstra que o farisaísmo continua sendo a grande praga denunciada por Jesus.

Se existisse um diabo, ele não inventaria o ateu; ele criaria o cristão agressivo e cheio de ódio, pois é ele que mais afastaria a todos do Evangelho.

Jesus perdoou a adúltera, mas abominou Caifás e todos os doutores da lei.

Não acredito em Satanás, porém confesso: você abala minha descrença.

Nunca vi um ser celestial, mas convivo na internet com entidades muito parecidas com demônios tomados de ressentimento.


Com informação do perfil de Leandro Karnal no Facebook.





Ensino confessional enfraquece Estado laico, afirma Karnal

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

O dia em que Bill Gates, defensor da ciência, previu a pandemia, em 2015