Kaká se aposenta, e futebol fica livre de um fanático religioso


Jogador em delírio

Aos 35 anos, Kaká (foto) anunciou sua aposentadoria, e o futebol profissional agradece, porque ficou livre de um fanático religioso. 

Não há distinção: o fanatismo cristão de Kaká é tão pernicioso como qualquer outro, como o islâmico, por exemplo.

Kaká se despediu com a publicação na rede social de uma foto [acima] onde ele aparece ajoelhado em um campo sob holofotes, numa alusão à luz divina. Em sua camiseta, em inglês, está escrito que "Eu sou de Jesus".

No Twitter, escreveu: “Pai, foi muito mais do que eu pedi ou imaginei! Obrigado! Eis-me aqui para próxima jornada. Em nome de Jesus. Amém”.

Kaká, obviamente, pode dizer o que quiser nas redes sociais, porque só o segue quem quiser.


O problema é que o ex-jogador usava o campo de futebol e as câmeras de TV como púlpito de sua religião, embora isso agredisse o bom-senso.

Ele deveria ter um mínimo de respeito com aqueles que têm outras crenças ou nenhuma e não fazer proselitismo.

Por muitos anos, Kaká foi fiel da Igreja Renascer, do casal de pastores Hernandes e Sônia.

Além de ser usado por Hernandes como garoto propaganda da igreja, Kaká pagou milhões em dízimo.

Estima-se que ele tenha 'dizimado' R$ 2,4 milhões por ano, em média.

Ele deixou a igreja em 2010 em circunstâncias ainda não esclarecidas.

Pelo que Caroline Celico, mulher na época do jogador, sugeriu na época, o desligamento do casal da Renascer teria sido por causa do desvio do dinheiro do dízimo.


A igreja estava na penúria, atrasando o pagamento de aluguel de templos, mas os seus “donos”, Hernandes e Sônia, continuavam desfrutando de mordomias. 

Kaká dizia que, quando se aposentasse, se tornaria pastor.

Aparentemente ele desistiu da ideia porque pretende continuar no futebol em cargo de dirigente.

Ele deveria se assumir oficialmente como pregador, abrir uma igreja e ficar mais rico.

Porque pastor ele sempre foi e assim vai continuar, usurpando plateias do futebol, que deveria ser poupado do fanatismo religioso.






Papa pede às famílias que protejam os filhos. Da Igreja?

Comentários

-------- Busca neste site