Pular para o conteúdo principal

Violência está nos genes do Islã, afirma cientista político


O cientista político alemão-egípcio Hamed Abdel-Samad não acredita que a restauração do “verdadeiro” Islã seja a solução para acabar com o terrorismo islâmico.

Islã 'verdadeiro' é igual

Isto porque, para ele, a violência está nos genes do que chama de "Islã político".

“Se levarmos os muçulmanos de volta ao exemplo do profeta Maomé e à palavra do Corão, teremos o salafismo ou o Estado islâmico”, disse.

“Por isso, não acredito na frase ‘voltar à essência do Corão’”.

O cientista político afirmou que esse descolamento não será feito por iniciativa do próprio Islã.

“As religiões e as suas instituições nunca se transformaram voluntariamente”, disse.

“Elas tiveram que ser violentamente criticadas e pressionadas por parte daqueles que saíram delas para poderem ser reformadas. E nunca fizeram isso no ápice do seu poder, mas em fases de fraqueza.”


“Foi assim em 2010, quando se descobriu o escândalo da pedofilia na Igreja Católica. Isso foi mantido às escondidas por anos, até que a opinião pública disse “chega”, e se seguiu uma onda de desistências da Igreja.”

Tem de haver o mesmo em relação ao Islã, disse Abdel-Samad.

“Não podemos esperar que a Universidade de Al-Azhar, ou os muftis sauditas, ou as organizações xiitas no Irã reformem o Islã. É preciso esperar que os próprios fiéis mudem a sua atitude mental em relação aos textos e à sua religião.”

O que está longe de acontecer.

Com informação da revista Publik-Forum e tradução de Moisés Sbardelotto para IHU Online.





Veja os trechos do Alcorão que inspiram o terrorismo islâmico

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Posts mais acessados na semana

Dona Religião é casada com sr. Atraso e têm vários filhos

Bolsonaro fica irritado com aprovação da CoronaVac que vai salvar vidas

Aprovação da CoronaVac significa duro golpe no bolsonarismo

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Bolsonaro compra a novela 'Os dez mandamentos' da Record para a TV Brasil