Pular para o conteúdo principal

Padre pagará indenização por negar sepultura a luterano



O TJ-RS (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul) condenou o padre João Paulo Schäfer e sua diocese a indenizarem por danos morais a filha que não pôde sepultar seu pai no cemitério católico da cidade de Poço das Antas por ele ser luterano.

Em novembro de 2011, Irineu Wasen, o luterano, Eunice, sua mulher, e Carmelita, a sogra, morreram em um acidente na estrada, no feriado de Finados, na região daquela cidade [mapa], onde as duas mulheres tinham nascido.

Paola, filha e católica, tentou sepultar os três no mesmo cemitério, mas foi impedida pelo padre.

Na época, Schäfer disse: “Só podemos sepultar em nosso cemitério pessoas católicas.”

A filha teve de sepultar o pai em Teutônia, cidade natal dele.

A primeira instância negou a indenização. Paola recorreu da sentença e agora obteve decisão favorável do TJ.

O desembargador Eugênio Facchini Neto, relator do caso, julgou que o padre Schäfer foi intolerante ao não abrir uma exceção.

Argumentou que o sacerdote deveria ter tomado o casal como exemplo.

“[Foi] uma união amorosa e frutuosa de uma católica com um luterano, cada qual seguindo a sua crença íntima e observando seus cultos religiosos, sem que isso consistisse em empecilho para uma vida em comum.”

Com informação do TJ-RS e deste site.

Envio de correção


Justiça condena UniEvangélica e reitor por intolerância religiosa


Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19