Quem se opuser às vacinas deve responder por crime, diz Varella


Recusa à
 vacina é
 burrice

As pessoas que recorrem a argumentos pseudocientíficos contra as vacinas devem ser processadas criminalmente por expor as crianças ao risco de morte.

A afirmação é do médico Drauzio Varella, que escreveu um artigo manifestando preocupação com o crescimento no Brasil de movimentos de oposição às vacinas.


Ele argumentou que as pessoas desses grupos se esqueceram que chegaram “à vida adulta sem sequelas motoras da poliomielite, as cicatrizes da varíola ou a infertilidade da caxumba porque as gerações que o antecederam não foram insensatas como elas”.

Para o médico, o caso é de polícia porque “discutir com um desses sábios é tarefa mais inglória do que convencer um judeu a rezar virado para Meca ou uma evangélica a receber a Pomba Gira”.

Varella escreveu que os médicos que prescrevem vitaminas, extratos de plantas ou vacinas homeopáticas também devem ser acusados às autoridades de prática de crime.




Igreja Católica boicota vacinação contra a poliomielite no Quênia

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários