Pular para o conteúdo principal

Nicarágua condena pastor que jogou mulher na fogueira



A Justiça da Nicarágua condenou o pastor Juan Gregorio Rocha (foto abaixo) a 36 de prisão por ele ter queimado viva Vilma Trujillo García , 25, que, segundo ele, estava “endemoniada”.

O crime ocorreu no dia 12 de fevereiro de 2017, em um ritual de exorcismo.

Com queimaduras de primeiro grau em 80% do corpo, Vilma morreu seis dias depois de ter sido internada.

Rocha era pastor de um templo da Assembleia de Deus.

Em sua defesa, ele disse que agiu a mando de Deus.

Outros evangélicos que participaram do ritual também foram condenados, incluindo uma mulher.

O jornalista Carlos Salinas, do El País, escreveu sobre o assassinato:

"Os homens atiraram a jovem aos fogo e os seus gritos chegaram ao igreja, onde fiéis continuaram orando, incluindo a irmã mais nova de Vilma, que não foi autorizada a sair. O pastor Rocha e seus companheiros deixaram a mulher em chamas. O fogo queimou as cordas que a prendiam, o que lhe permitiu deixar as chamas, quando seu corpo já foi queimado."

Rocha é pastor da
Assembleia de Deus

Com informação das agências e El Pais e de outras fontes.

Envio de correção



Manual dos inquisidores afirma que bruxa faz pênis desaparecer

Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico