Evangélicos queimam mulher 'endemoniada' na Nicarágua


Pastores da Assembleia de Deus seguem
o exemplo da inquisição dos católicos
Religiosos mataram uma mulher em um ritual de purificação espiritual porque ela, segundo eles, estava “endemoniada”.

Vilma foi
estuprada antes
de ser morta
Vilma Trujillo García (foto), 25, chegou a ser internada com queimadura em 80% do seu corpo, mas seu organismo não resistiu.

Ela morreu na madrugada de 28 de fevereiro de 2017 em El Cortezal, uma comunidade na costa caribenha.

Era mãe de duas filhas.

Quem determinou a “purificação” foi o pastor Juan Gregório Rocha Romero, de um templo da Assembleia de Deus.

De acordo com testemunhas, outros pastores evangélicos participaram do ritual.

A exemplo do que a Igreja Católica fazia na Santa Inquisição, os religiosos amarraram a “endemoniada” e a queimaram, jogando os restos mortais em um barranco.

Reynaldo Peralta Rodríguez, marido da vítima, disse que, antes, Vilma foi estuprada.

Juanita Jiménez, do Movimento Autônomo de Mulheres da Nicarágua, suspeita que a mulher tenha sido queimada para que o abuso sexual não deixasse provas.

Ela disse que a morte de Vilma é o resultado da combinação do fanatismo religioso com a misoginia.

Vítima dos pastores chegou viva no hospital
Com informação de sites internacionais e fotos de reprodução.

Envio de correção.

Manual dos inquisidores afirma que bruxa faz pênis desaparecer