Empresas podem vetar símbolo religioso, diz Tribunal Europeu



O TJUE (Tribunal de Justiça da União Europeia) decidiu que empresas privadas podem proibir o uso por seus funcionários de símbolos religiosos ou qualquer outro sinal visível de convicções políticas e filosóficas.

Decisão vale para véus islâmicos
Tal proibição não constitui discriminação, disse o tribunal em nota.

A mais alta corte europeia se manifestou sobre a questão a propósito de dois processos envolvendo muçulmanas que, na Bélgica, foram impedidas de usar o véu islâmico quando estavam em contato com clientes.

Os cristãos não gostaram da decisão porque a partir de agora, a rigor, eles não poderão usar ostensivamente símbolos como crucifico em correntinha de pescoço.

Com informação das agências.

Envio de correção.


Deputados holandeses vetam véu islâmico em local público



EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato