Pular para o conteúdo principal

Endividado, Amapá concede isenção de imposto às igrejas



O governador Waldez Góes (PDT), do Amapá, cortou investimentos para poder pagar dívida, mas aprovou uma lei que reduz a receita do Estado, para beneficiar líderes religiosos.

Góes cortou
investimentos
do Estado
Góes (foto) sancionou lei que concede isenção de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nas contas de água, luz, telefone e gás dos templos religiosos.

Ele não divulgou o valor de quanto o Estado deixará de arrecadar com a medida.

A Assembleia Legislativa do Amapá aprovou em dezembro de 2016 essa lei, que foi proposta pelo deputado Pastor Oliveira (PRB), da Igreja Universal.

O pastor Sebastião Souza, também da Universal, disse que as igrejas, com menos encargos de impostos, terão mais recursos para obras sociais.

Se é assim, o governo do Amapá deveria pedir às igrejas que apresentem prestação de contas, para saber o destino do dinheiro que deixará de ser arrecadado.

Com informação do Diário do Amapá.

Envio de correção.



Aumenta uso das igrejas para lavagem de dinheiro, diz juiz


Posts mais acessados na semana

Bolsonaro fica irritado com aprovação da CoronaVac que vai salvar vidas

Dona Religião é casada com sr. Atraso e têm vários filhos

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Aprovação da CoronaVac significa duro golpe no bolsonarismo

Empresário bolsonarista Luciano Hang, sua mulher e mãe estão internados com Covid-19