Pular para o conteúdo principal

Oferta de R$ 100 mil foi por uma oração, afirma Silas Malafaia


Dinheiro foi para conta bancária do pastor
O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, admitiu ter depositado em uma conta bancária conjunta, dele com sua mulher, um cheque de R$ 100 mil por ter feito oração a uma pessoa.

Afirmou que não tinha como saber a origem criminosa do dinheiro.

"Em 2013, recebi em meu escritório o pastor Michael Abud, meu amigo há mais de 20 anos, sobre um membro da igreja dele, que é empresário, para me dar uma oferta pessoal. Ele me deu uma oferta de R$ 100 mil depositado na minha conta, declarada no Imposto de Renda", disse.

“Eu fui na igreja desse pastor Abud em 2011. 'Ore aqui por um empresário que está envolvido em negócios'. Eu orei por ele. Em 2013, o Michael Abud me liga e diz: 'Silas, sabe aquele empresário por quem você orou? Ele quer fazer uma oferta pessoal.”

As afirmações do pastor foram feitas hoje a jornalistas antes de ele se apresentar à Polícia Federal, em São Paulo, para depor sobre a suspeita de que estaria participando de um esquema de lavagem de dinheiro.

Pela manhã, a Polícia Federal deflagrou a Operação Timóteo, que investiga irregularidades em cobranças de royalties da exploração mineral.



Com informação dos portais e de outras fontes.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Suspeito de lavar dinheiro, Malafaia acusa 'as trevas'


Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Ministro de Israel que disse ser o Covid-19 castigo divino contra gay pegou o vírus

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays