Pular para o conteúdo principal

Morre dom Paulo Arns, o cardeal que enfrentou a ditadura militar



Morreu hoje (14 de dezembro de 2016) em São Paulo o cardeal dom Paulo Evaristo Arns (foto).

Sacerdote
enfrentou os
militares
Ele estava internado desde o dia 28 de novembro com broncopneumonia, no hospital Santa Catarina. Seu estado de saúde piorou em decorrência de problemas renais.

Estava com 95 anos.

Da ala progressista da Igreja, o sacerdote franciscano se destacou como um dos principais opositores da ditadura militar (1964-1985).

Em março de 1973, quando o então bispo foi promovido a cardeal, dom Paulo criou a Comissão de Justiça e Paz, formada principalmente por advogados, para atender as pessoas perseguidas pela ditadura.

A atuação de dom Paulo foi fundamental para que a opinião pública soubesse que o jornalista Vladimir Herzog não se suicidou, mas foi assassinado nos porões de tortura da ditadura.

Com informação das agências.

Envio de correção.



Torturados contam como religiões ajudaram ditadura


Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Ministro de Israel que disse ser o Covid-19 castigo divino contra gay pegou o vírus

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays