Pular para o conteúdo principal

Contra uso do hijab, campeã de xadrez dos EUA não vai ao Irã

Paikidze diz que não apoiará a opressão à mulher
Nazi Paikidze (foto), 23, atual campeã de xadrez dos Estados Unidos, anunciou que não participará em 2017 no Irã do Mundial Feminino, para não ter de cobrir a cabeça com o hijab, o véu islâmico.

“Não vestirei hijab nem apoiarei a opressão às mulheres, mesmo que isso me impeça de disputar uma das competições mais importantes de minha carreira”, disse no Instagram.

Ela tem feito campanha para que outras jogadoras ocidentais façam o mesmo, em protesto ao Irã, onde as mulheres são tratadas como pessoas de segunda classe.

No Irã, a polícia religiosa prende mulher que não estiver com hijab, mesmo em se tratando de estrangeira.

Paikidze critica a Fide (Federação Mundial de Xadrez) por ter escolhido o Irã como local da disputa.

Argumenta que a entidade desrespeitou seu estatuto, que rejeita “a discriminação de tratamento por motivos de origem nacional, políticos, raciais, sociais, religiosos ou de gênero”.

Com informação das agências e foto de divulgação.

Rapper fugido do Irã diz como é viver sob ameaças de morte


Comentários

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Ministro de Israel que disse ser o Covid-19 castigo divino contra gay pegou o vírus

Cristianismo é a religião que mais perseguiu o conhecimento científico

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays