Critica-se o voto em nome de Deus, mas não o crucifixo do STF

No Supremo, símbolo católico fica
 acima do brasão da República
Critica-se a invocação a Deus, entre outras coisas, feita pelos deputados federais quando votaram pela admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma.

Agora só falta haver indignação popular em relação ao crucifixo no plenário do Supremo Tribunal Federal, ao “Deus seja louvado” nas cédulas do real, aos símbolos religiosos em repartições públicas, ao fim de cultos na Câmara dos Deputados, etc., etc.

Mas que ninguém espere tanto, porque, afinal, a laicidade do Estado nunca foi levada a sério no país.






Comentários

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.