Pular para o conteúdo principal

CBF demite segurança por facilitar culto na Seleção

CBF (Confederação Brasileira de Futebol) demitiu o chefe de segurança da Seleção Brasileira, o coronel Moacyr Alcoforado, por ter permitido que o pastor Guilherme Batista celebrasse culto com a participação de jogadores, antes do jogo contra os Estados Unidos, no dia 8 de setembro, em um hotel de Boston. [vídeo abaixo]

Seleção não é
lugar de religião
disse Dunga
Alcoforado tinha sido nomeado em 2013 pelo ex-presidente da CBF José Maria Marin.

Na época, ao ver internet imagens do culto postadas pelo pastor, o técnico Dunga ficou furioso porque a celebração ocorreu sem que ele soubesse.

Falou que, antes, já tinha conversado com os jogadores que cada um tem a sua fé, mas que a Seleção não é lugar de religião.

Ficou mais ainda indignado com uma foto em que o pastor aparece ao seu lado com a legenda: “Meu chefe”.

Em resumo: no fim, sobrou para o Alcoforado, que, provavelmente, quis agradar jogadores evangélicos que misturam suas atividades profissionais com evangelização, como Kaká.

Seleção dos Evangélicos, não do Brasil

Com informação das agências.





Franceses acusam Neymar de fazer proselitismo religioso

Comentários

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Milagrento Valdemiro Santiago radicaliza na exploração da fé

Reforma em rodovia descobre fóssil de dinossauro no interior de São Paulo