Pular para o conteúdo principal

Seca no rio São Francisco é por causa de Iemanjá, diz vereador

Político atribuiu à estátua a
culpa por não haver chuva 

Zendildo agora diz que
 foi mal interpretado
A falta de chuva e a seca do São Francisco são consequências da construção sobre pedras do rio de uma estátua de Iemanjá, disse Zenildo Nunes da Silva (foto), vereador de Petrolina, no sertão de Pernambuco.

“Depois que colocaram a estátua, nunca mais choveu em Petrolina”, afirmou o vereador pelo PSB em uma recente sessão da Câmara Municipal.

A cidade tem cerca de 330 mil habitantes e fica a 712 km de Recife, a capital.

Iemanjá — Mãe d’Água ou Rainha do Mar — é uma divindade de religiões de afrodescendentes.

A repercussão negativa da afirmação de Zenildo surpreendeu o próprio vereador, que depois disse ter sido “mal interpretado”.

Argumentou que o quis dizer é que o cimento e a areia levados para o rio de modo a estátua ser construída estão prejudicando o volume de água do rio.

Lêdo Ivo, autor da estátua, afirmou que essa argumentação não tem nenhum nexo, até porque a Iemanjá foi levada pronta para o rio, e com autorização da Prefeitura.

O babalorixá Adeilson Ty Logun Edé afirmou que Zenildo, pelo que falou na Câmara, é um ignorante e preconceituoso.

Petrolina fica às margens do Velho Chico

Com informação das agências e fotos de divulgação.





Evangélicos criticam a Iemanjá dos Jogos Olímpicos

Comentários

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Romualdo Panceiro cria a Igreja das Nações para concorrer com a Universal

Pastor diz que máscara é ‘frescurite’; fiel idosa e marido morrem de Covid-19

Maitê recupera pensão de solteira apesar de união com empresário







EDITOR DESTE SITE
Paulo Lopes é jornalista.Trabalhou
no jornal abolicionista Diario Popular,
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e outras publicações.

Contato