Rio terá gasto de R$ 26 milhões com transporte de católicos

Governos municipal e estadual estão na
 página de patrocinadores da jornada
O governo do Estado do Rio vai fornecer aos peregrinos da JMJ (Jornada Mundial da Juventude), evento católico, passes de transporte no valor de R$ 26 milhões. A informação é da Folha de S. Paulo.

A alocação desses recursos dos cofres públicos é inconstitucional, porque o Estado brasileiro é laico, o que significa que nenhuma instância de governo pode financiar quaisquer atividades de cunho religioso.

Em dezembro de 2011, a Assembleia Legislativa do Rio já tinha aprovado uma emenda orçamentária de autoria da deputada Myrian Rios (PDT), ligada ao movimento carismático da Igreja Católica, destinando R$ 5 milhões para a organização e divulgação da jornada.

A JMJ vai se realizar na cidade do Rio de 23 a 28 de julho, em paralelo à visita do papa Francisco. A Igreja estima que 2 milhões de jovens de vários países participarão da jornada.

Além dos recursos oficiais já garantidos — incluindo os da infraestrutura onde haverá a missa do papa —, a Dream Factory, empresa contratada para gerenciar a jornada e a visita de Francisco, está negociando a obtenção de mais dinheiro público para cobrir parte dos gastos totais do evento estimados em R$ 130 milhões.

"O suporte público ainda vai ser firmado”, disse Duda Mendonça, diretor da empresa. “Os valores estão sendo tratados e serão anunciados em breve."

Mendonça não informou com quem do Poder Executivo está negociado o aporte de mais recursos.

A prefeitura do Rio informou não ter sido contatada pela Dream Factory.

Nota da Secretaria Geral da Presidência da República afirmou que "as despesas operacionais da Jornada Mundial da Juventude, tanto com o evento em si (palco, sonorização, infraestrutura do local etc.) como com os peregrinos (transporte, alimentação e hospedagem), são de responsabilidade da Igreja Católica".

A Igreja já obteve cerca de R$ 25 milhões da iniciativa privada.

Magalhães afirmou que a Igreja, de sua parte, gastará o total de R$ 105 milhões, dinheiro que virá das inscrições de peregrinos, doações de fiéis e licenciamento de produtos.





Fontes: Paulopes e Folha de S.Paulo.

Marcha para Jesus do Malafaia será custeada por verba pública
março de 2013

Religião no Estado laico

Comentários

  1. Esse país é laico só no mome né? kk Por que na vida real, não é o que a gente vê!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, da mesma forma que alguns dizem que os religiosos poderosos não estariam acima da lei, no entanto, na prática não é isso que acontece.

      A propósito:

      "Magalhães afirmou que a Igreja, de sua parte, gastará o total de R$ 105 milhões, dinheiro que virá das inscrições de peregrinos, doações de fiéis e licenciamento de produtos."

      A igreja vai pagar impostos sobre essas transações? Ou será que vai haver isenção para ela e isso será cobrado dos nossos bolsos? Por que esse tipo de privilégio é só para entidades religiosas?

      Não bastasse a isenção fiscal, ainda recebem diretamente o nosso dinheiro público para financiar obras e eventos de cunho privado, como neste caso.

      Quando vão mudar o nome do Brasil para Cristolândia? Por que, na prática, é isso que ele é.

      Excluir
  2. É coisa de católicos os católicos que se virem , o estado não tem o dever de dar um centavo pra está festa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem o dever e nem o direito de dar nada.

      Excluir
  3. Ninguém do Rio vai impetrar uma ação contra isso? Fosse aqui de SP creio que eu, mesmo, arrumava m tempo para acionar o Estado. Mas espero que o povo fluminense se insurja contra essa torração de dinheiro publico com proselitismo. A título de comparação, pra questionar contrato de um clube de futebol com a Caixa Econômica, que não deixa de ser um banco comercial, aparece uns, movidos mais pela inveja de torcedor do que pela cidadania. Agora, quero ver se questionarão esse gasto quase que instantâneo de r$ 26 milhões.

    Ruggero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E depois que o evento ocorrer, ficará tudo por isso mesmo, novamente.
      O Brasil é dos mais espertos, isso é fato!

      Excluir
    2. Queria saber se você protesta na sua cidade contra o dinheiro que o Estado gasta com patrocínio ao carnaval e paradas de orgulho gay, festas de ano novo, de dia do trabalho. Você protesta contra?

      É a mesma coisa. Só que a JMJ trás reconhecimento internacional e uma boa mensagem a todos, já os outros eventos patrocinados pelo Estado é festa vazia, que nem todo mundo participa. Tudo bem que nem todo mundo participa da JMJ, mas compará-la com eventos ocos como aqueles é, no mínimo, falta de conhecimento.

      Excluir
    3. vai gastar dinheiro público pra católicos rebolar a bunda , abanar bandeirinhas e rezar. Muito útil esta jmj tsc tsc.

      Excluir
    4. O estado não é proibido de patrocinar eventos de cunho artístico e/ou cultural que não estejam atrelados diretamente a nenhuma religião.

      O senhor conhece o que significa estado laico? Claro que conhece, mas suas desonestidade intelectual somada ao seu oportunismo egoísta não o permite reconhecer que seu discurso é falacioso, incorreto e, portanto, injusto.

      Vocês religiosos não valem o ar que respiram! E pode me chamar de intolerante, pois estou de saco cheio dessa CANALHICE toda que você praticam livre e impunemente! Seus VIGARISTAS!!!

      Excluir
    5. Ué, e não gastam dinheiro para um bando de bêbados dançarem em shows, para gays rebolarem no centro da cidade, para um monte de gente só olhar, por 16 minutos, fogos no réveillon?

      E outra, a JMJ é um evento concentrado no encontro dos jovens com os valores de Deus defendidos pela Igreja e reafirmados pelo Papa. Isto inclui a orientação para os jovens não virarem promíscuos e sim fiéis a quem eles amam e que eles não se envolvam com drogas e etc. Muito útil sim!

      Excluir
    6. existe gente mais promíscuas do que cristãos católicos ? Reveillon é tradição , eu mesmo nunca participei disso. E outra o estado é laico ,rezar e ficar balançando bandeirinhas para um papa não muda nada.

      Excluir
    7. cristãos e a velha falacia do moralismo e blá blá blá ops quis dizer falso-moralismo .

      E outra porque estou debatendo com um zé-ninguém ,um cristão de fundo de quintal. Ah to fora kakaka sai de mim rapaz

      Excluir
    8. Pode chorar o quanto quiser, crentelho, financiar um evento de uma religião especifica é ANTI-LAICISMO. Ta errado, para de inventar desculpas.

      Excluir
    9. Anônimo15 de abril de 2013 09:33

      Infelizmente, isso não é exclusividade do Rio.

      Aqui mesmo no blogue, já foi publicado noticias de municipios de SP e de outros estados em que o dinheiro público é usado para prosetelismo cristão.

      Eu não podemos esquecer que nas últimas eleições municipais, os teocratas interferiram muito mais nos votos para a prefeitura paulistana do que para a prefeitura carioca.

      Excluir
  4. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 cada número desse é um milhão , olha daria pra fazer muita coisa com esse dinheiro hein. Pior esses católicos que aceitam jogar esse dinheiro fora, seria mais útil pegar e divir com vocês dar 5 mil pra cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E com os 30 bilhões da copa, daria para muito mais, não é?

      Gastam o PIB da Paraíba para um monte de elefante branco, já que do que vai adiantar os estádios moderníssimos que ficarão depois da copa se o número de torcedores que veem os jogos são cada vez menos?

      A JMJ só precisa de uma estrutura temporária bem mais em conta e ainda DÁ UM LUCRO VÁRIAS VEZES MAIOR QUE OS GASTOS AO ESTADO, diferente da Copa.

      Excluir
    2. E depois o estado diz que falta dinheiro pra atender os cidadãos.
      Esses religiosos não tem vergonha na cara não? Estão usurpando dinheiro de merenda escolar, de transporte de crianças, de creches, de postos de saúde!!! São BANDIDOS CANALHAS que estão vampirizando o estado com a sua Jornada Mundial da Juventude! Cambada de desgraçados!!!

      Excluir
    3. O estado é laico, ou seja, não pode se envolver com nenhum tipo de religiosidade. Sem mais.

      Excluir
  5. Interessante que o evento vai contribuir com mais de 1 milhão de estrangeiros que, paralelamente ao Evento Católico, farão turismo. Isso os laicistas não dizem só para não dar o braço a torcer porque esse incremento é devido à Igreja.

    Quanto o Brasil não investe na Copa? Qual é a diferença? Uma enorme, a Copa é financiada para beberrões virem, e estes são bem menos que os fiéis que virão para a JMJ. A JMJ Madrid 2011, custou 50 milhões de euros, MAS FEZ COM QUE 354 MILHÕES DE EUROS fossem gerados pelos gastos dos 3 milhões de fiéis reunidos para o encontro com o Papa Bento XVI.

    Péssima análise a da matéria. Só diz que é inconstitucional, mas seria imoral se o governo não investisse num evento que tanto investe no turismo - mais que qualquer outro!

    Enquanto a Fifa espera arrecadar 10 bilhões com a Copa 2014, a JMJ espera arrecadar bem menos. No entanto, a copa custa perto de 30 bilhões, ou seja, é um terço do valor gasto o "lucro"... A JMJ com certeza vai multiplicar os gastos com o que gerar, como sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gerou pra quem, essa renda?! Pro cidadão que paga imposto? NÃO! Pro empresário, seu iludido. Não preciso mais que estas três ou quatro linhas para refutar sua sanha em defender gastança de dinheiro público com proselitismo. Nem adianta falar em impostos recolhidos, que são uma incógnita, com tantas isenções que há nesses eventos.

      Excluir
    2. Ao Anônimo 15 de abril de 2013 18:02;

      Pouco importa para onde foi essa renda(para o setor de hotelaria e comércio da Espanha, como qualquer outro evento grande que aquece a economia com o turismo, se interessar), o fato é que em Espanha(país europeu desenvolvido) o governo apoiou e agradeceu a JMJ, enquanto que no Brasil artigos como este só fazem alusão a inconstitucionalidade do apoio ao evento por este ser católico.

      Por que não há artigos aqui protestando sobre o patrocínio do governo a eventos profanos que eu já citei nesta página em outros comentários, que ainda somam-se com corridas, shows de superestrelas, peças teatrais e espetáculos de igrejas evangélicas e festivais frequentados só por ateus que o Ministério e as Secretarias de Cultura até mais investem?

      Se for pelo laicismo do estado, isso vira perseguição aos fiéis, pois uma enorme quantidade de pessoas estariam a mercê apenas de si em eventos religiosos, enquanto quantidades ainda por cima menores de pessoas estariam contando com o apoio do governo só pela laicidade do estado proibir o apoio a eventos da Igreja. Isso é antiético, segregacionista, mesquinho, meu caro.

      Excluir
    3. O estado é laico!
      Sem mais.

      Excluir
  6. Correção:

    "A alocação desses recursos dos cofres públicos é tida como inconstitucional, porque o Estado brasileiro é considerado como laico, o que significaria, segundo os militantes laicistas, que nenhuma instância de governo poderia financiar quaisquer atividades de cunho religioso."

    Se vale para declarações "tidas como" homofóbicas "por ativistas gays", então também deve valer para atos "tidos como" infratores do estado laico, "segundo ativistas laicos".

    Dois pesos, uma medida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Laicidade não o melhor caminho para um estado possuir liberdade.

      Pense se a população fosse consultada em um plebiscito sobre se querem ou não que o Estado cubra a segurança(isto requer a criação de infraestruturas) da visita do Papa. A maioria da população ainda é católica e certamente concordaria, já que ninguém quer um atentado terrorista, quanto mais um atentado contra alguém que sempre é tão respeitado como Papa. Mas o laicismo do Estado, se cumprido à risca, iria contra a democracia não permitindo que o estado garanta esse serviço, neste exemplo.

      Deve haver, antes de somente o estado laico, a igualdade sobre os privilégios dados às correntes de pensamento.

      Ora, se os governos patrocinam o réveillon, as paradas gay, o carnaval e outras festas que nem toda a população que paga imposto participa, tem também o dever de patrocinar eventos, ainda maiores que estes citados, por uma questão de respeito e igualdade de privilégios. E olhe que nem o estado está gastando nada com o evento, mas sim pagando o transporte para os católicos que participaram do evento.

      Se pensar bem, é até pouco que o estado do Rio só gaste com o transporte , já que isto deveria ser garantido a todos há muito tempo.

      Ora, a JMJ trará entre 1 milhão e 3 milhões de pessoas. Será que o Rio teria infraestrutura suficiente para todos? Será que a Igreja é obrigada a fazer o que o Estado(que os laicistas só dizem que é laico quando lhes convêm) é obrigado? Isso seria injusto também.

      Ou reclamam de tudo que o Estado descumpre na constituição e na igualdade de direitos com os religiosos e não religiosos, ou peçam que ele iguale todos.

      Excluir
    2. O estado é laico e é democrático. Mas o senhor demonstrou desconhecer tanto o que é laicidade, quanto o que é democracia. Pena que é uma demonstração claramente desonesta, portanto, não há esperança de mudança de postura.

      Que vergonha, senhor José Carneiro, que vergonha!

      Excluir
    3. Desonesto, Anônimo 15 de abril de 2013 19:12?

      Vocês criticam só porque o estado paga o transporte de pessoas e o desonesto é eu? Que belo exemplo de honestidade o senhor dá falando isso, não é....

      Vergonha é esse tipo de pensamento que vocês querem instituir de que todo católico não presta, e para isso inventam, agora sim, falácias!

      Evento católico não pode apoiar, mas show de estrela internacional podem, parada gay e afins podem. Liberdade de culto é isso!

      Evocam tanto a laicidade que ferem a liberdade de culto das pessoas. Sem falar que obrigação do Estado presar pela segurança de todos, e para isto é necessário investir em infraestrutura e transportes em conta. Se o Estado não apoiasse o evento estaria preconceituoso e segregacionista. E isto sim seria algo mais vergonhoso que a corrupção e o passar por cima da laicidade do estado neste caso.

      Excluir
    4. A lei é clara: O estado não pode se envolver com eventos religiosos. Qualquer envolvimento é contrário à lei. Quem defende o uso de dinheiro público num evento religioso está fazendo apologia ao crime.

      Não há nem o que se discutir, há somente de se cumprir o que determina a Constituição Federal, nada mais!

      Excluir
    5. tradição religiosa não ta acima da constituição. O estado é laico, crentola, bota isso na cabeça!

      Excluir
  7. Tem que levar uma surrada de gato morto este Eduardo Paes e qualquer político que liberar verba para eventos desta natureza! Uma surra de gato morto, até o gato miar! Verba tem que ser para hospitais, segurança, creches, bombeiros, etc... pavimentação, tratamento de dependentes químicos, etc...etc.. Eventos católicos, evangélicos, Gays, etc...que se lasquem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço essa tal de religião chamada "Gays"... será que você poderia nos brindar com seu conhecimento sobre ela?

      Fico no aguardo!

      Excluir
    2. Me refiro a qualquer evento....promovido por instituições, entidades, ONGs que se beneficiem de verbas pública para se manifestarem....Não falei que Gay é religião, está interpretação foi sua!

      Excluir
    3. Então vá se lascar você!

      Excluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site