Novas manifestações pedem ‘fora Feliciano’ de comissão

Protesto contra o pastor Feliciano
Protesto contra pastor foi realizado
em pelo menos dez cidades 
Houve ontem (16) novos protestos de rua contra a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara.

Em São Paulo, carregando cartazes de repúdio ao pastor, cerca de 500 pessoas fizeram uma caminhada da Avenida Consolação para a Praça Roosevelt. Os manifestantes cantaram o refrão “eu amo homem / amo mulher / tenho o direito de amar quem eu quiser”.

No Rio, ao som de maracatu, aproximadamente 300 pessoas fizeram um protesto em Copacabana. Também houve manifestações em Brasília, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Maceió, Manaus, Rio Branco, Piracicaba e Campinas.

Feliciano se notabilizou por afirmações apontadas como racistas e homofóbicas, o que ele nega. O pastor afirmou em várias ocasiões que a Aids é um “câncer gay” e em 2011 escreveu no Twitter que os africanos são amaldiçoados porque descendem do filho renegado de Noé, Cam.

Júlio Moreira, presidente do grupo Arco-Íris, participou da manifestação do Rio. Ele disse que o Brasil é laico e, por isso, “não dá para aceitar um pastor pregando dentro do Congresso”.

A primeira sessão da comissão sob o comando de Feliciano, na quarta-feira (13), foi marcada por tumultos. Manifestantes vaiaram o deputado, que, logo no começo, pediu desculpas por palavras que tinha dito em alguns momentos.

Em seu editorial de ontem, sob o título “Sem condições”, a Folha de S.Paulo afirmou que “alguém que propugna a crença na ‘maldição de Cam’, num país de população mestiça, coloca-se num plano muito abaixo da ‘opinião divergente’. Em trânsito entre o bizarro e o sectário, Marco Feliciano não terá condições de levar adiante os trabalhos da comissão — que inevitavelmente se converte em palco de protestos e insultos”.

Para o jornal, a permanência de Feliciano na presidência da comissão não só inviabiliza a discussão sobre os direitos humanos na Câmara, mas também “o próprio diálogo e a política”.





Com informação dos portais e da Folha de S.Paulo.

Feliciano responde à Justiça por discriminação e estelionato 
março de 2013

Marco Feliciano

Comentários

  1. Editoral "Sem condições", da Folha

    Tumulto e protestos tomaram a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados nesta semana. Dificilmente poderia ser outra a situação, com o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência de debates sobre temas como a homofobia, o racismo e a violência policial.

    Procura-se evitar, nesta Folha, a expressão de julgamentos que tendam a personalizar o debate político. É inegável, todavia, que o nome de Marco Feliciano se comprova inadequado para a função.

    O deputado se notabilizou por afirmar que "africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé", o que seria "um fato". Considera também que, depois da união civil entre homossexuais, virá a extinção das palavras "pai" e "mãe".

    Ao tomar posse na comissão, leu carta em que pede "humildes desculpas" pelos disparates que pronunciou. Solicitou um "voto de confiança" da opinião pública e de seus colegas.

    A questão não se resume, entretanto, a um voto de confiança pessoal. Confiança, em política, é algo que se constrói, não um favor de conveniência ao interessado.

    Não se trata, tampouco, de desejar unanimidade nos trabalhos parlamentares. Sem dúvida, muitos cidadãos brasileiros e parte expressiva de seus representantes são contra a união civil homossexual.

    Política, entretanto, implica diálogo e mediação. As declarações de Marco Feliciano não se pautam pela civilidade, nem mesmo por um mínimo cabedal de instrução.

    Alguém que propugna a crença na "maldição de Cam", num país de população mestiça, coloca-se num plano muito abaixo da "opinião divergente". Em trânsito entre o bizarro e o sectário, Marco Feliciano não terá condições de levar adiante os trabalhos da comissão --que inevitavelmente se converte em palco de protestos e insultos.

    Não são apenas os direitos das minorias que perdem. O próprio diálogo e a política se inviabilizam.

    Ou melhor, a política no sentido mais elevado. Não a dos guichês, dos favores e das barganhas, que levou o inexpressivo PSC a abiscoitar a presidência da comissão.

    Nesse jogo, vale tudo. Um cargo supostamente desimportante se reserva a uma legenda menor da base de apoio ao governo federal. Mesmo que a política do Planalto, no assunto em tela, pareça tão avessa aos despautérios de Feliciano.

    É a irracionalidade política a serviço da intolerância; a fisiologia a serviço do fundamentalismo.

    ResponderExcluir
  2. Paulo Lopes, só lembrando que em Brasília também fizemos manifestação. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço a informação. Acrescentei Brasília ao texto. Abs.

      Excluir
    2. Angela, só lembrando a você que também falta manifestação em Brasília contra os dois Petralhas que assumiram cargos na CCJ, embora estejam condenados pelo STF por corrupção, formação de quadrilha, peculato etc!
      Você e seu grupo sabia disso também?

      Excluir
    3. Paulo Lopes,

      Não custa lembrar que, Jean Wyllys, que preside a Frente Parlamentar LGBT, disse que, seu mandato foi dado pelos ORIXÁS. Que laicidade será à qual ele sempre se refere?

      Excluir
  3. E quarta-feira todos lá no plenário outra vez hein!

    ResponderExcluir
  4. Não é difícil entender que esse traste é apenas INCOMPETENTE para o cargo. Ele é um detrator público dos Direitos Humanos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!

      O que estavam pensando ao elegerem ele ao cargo?

      Por esse nível de raciocínio, porque não eleger Netinho para presidente da comissão de defesa dos direitos da mulher???? Ou Jair Bolsonaro para defender os direitos dos negros????

      Excluir
  5. todo mundo sabe o que o marco feliciano pensa, as declarações dele são absurdas.

    ResponderExcluir
  6. marco feliciano tem a mesma mentalidade inquisitora da idade média , acredita em demônios e bruxas. É uma vergonha este cidadão na comissão de direitos humanos.

    ResponderExcluir
  7. Gente abram os olhos é claro q esse ``pastor´´ ta sendo usado para desviar a atenção dos corruptos e mensalheiros q tomaram posse em outros ministério, chegou a Brasília mais 1 milão e meio de assinaturas contra Renan Calheiros na presidencia do senado e a mídia nada fala......Esse cara foi plantado la justamente para isso, acordem....(é claro q foi tudo planejado),E o povo e esse deputado Marcos feliciano cairam como patinhos.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Devemos pressionar não somente para a saída desse Marco Feliciano asqueroso, mas também de Renan Calheiros da presidência da Câmara, e de Genoíno e do outro que foram empossados para a CCJ. Isso é fato!

      Excluir
    2. E tá funcionando!

      Excluir
    3. O Marco Feliciano
      Ganhou destaque este ano
      Ele é metrossexual
      Quase um homossexual

      Nada sabe sobre os manos
      Nem sobre direitos humanos
      No Congresso ele peleja
      Divulgando sua igreja

      Sua ação é só um pano
      De fundo republicano
      Pra que fiquem escondidos
      Todos os outros bandidos

      Ele dá uma de ator
      Diz que é até cantor
      Todo mundo bota pilha
      Vai acabar numa ilha

      Vai rezar para o diabo
      Vai ficar desempregado
      Todo sujo e cagado
      Vai virar até via...

      Quero vê-lo na cadeia
      Andando de meia-calça
      Ele vai ser a sereia
      rezando uma reza falsa




      Excluir
    4. Rubim Geontelus17 de março de 2013 13:21,

      Você sabia que, Jean Wyllys tem o mandato sob as bênçãos dos ORIXÁS? Foi o que ele disse em entrevista, ao afirmar que, foram os ORIXÁS QUE LHE DERAM O MANDATO.

      O cara é muito laico mesmo, só quando se refere ao cristianismo.Saravá(palavra dos laicistas em frente à igreja de Marco Feliciano) !

      Excluir
    5. JEAN WYLLYS, o gay laico e seus orixás:

      Fontes:

      http://www.youtube.com/watch?v=x2HHsTgyXi0

      http://jeanwyllys.com.br/wp/jean-wyllys-indica-a-primeira-yalorixa-a-receber-a-medalha-merito-legislativo-camara-dos-deputados-2

      Que tipo de LAICIDADE o Jean Wyllys quer para o Estado no Brasil?

      Excluir
  8. Sabem qual é a piada (se bem que é uma tragédia)? O PSC (Partido Social Cristão) tem como slogan ‘O ser humano em primeiro lugar’, mas está cheio de evangelibãs, ou seja, esses evangelibãs pregam a ‘Teologia da Prosperidade’; daí que é uma contradição esse partido querer que o ser humano esteja em primeiro lugar se descaradamente é a favor de uma doutrina em prol da riqueza de alguns. Ora, nem todos podem ter a mesma riqueza num sistema que diz que alguns seres humanos são escolhidos e abençoados com riqueza (dinheiro), enquanto outros deverão se contentar com pouco dinheiro e se ser feliz com sua riqueza ou prosperidade ‘espiritual’. Isso é vender gato por lebre! Isso não é uma social-democracia, mas uma máscara para um dos piores sistemas de rapina que já vi, isto é, um sistema altamente capitalista, onde esses religiosos dominam, manipulam, escravizam, os ‘fiéis’ para benefício próprio, para enriquecimento próprio, uma vez que se acham os ‘escolhidos’ para serem prósperos economicamente; enquanto o restante é tido como a massa colocada a disposição deles para os servir. Essa é a ‘Teologia da Prosperidade’, e não casa com socialismo. Logo, esse partido mequetrefe está vendendo algo que não possui! Ou melhor, está vendendo um produto que engana o consumidor (eleitores e/ou ‘fiéis, bem como toda a sociedade brasileira). Esse partido deve ser cassado imediatamente porque está praticando uma espécie de estelionato. É um estelionato ideológico.

    Estelionato
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
    Ir para: navegação, pesquisa Crime de
    Estelionato
    no Código Penal Brasileiro
    Artigo 171
    Título Dos crimes ecônomicos
    Capítulo Do Estelionato e outras fraudes
    Pena Reclusão, de um a cinco anos, e multa (caput)
    Ação Pública Incondicionada
    Competência Juiz singular
    ver


    De conformidade com o Código Penal brasileiro o estelionato é capitulado como crime econômico (Título II, Capítulo VI, Artigo 171), sendo definido como "obter para si ou para outro, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento."
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Estelionato

    Como vemos pela definição de estelionato, o PSC, que na verdade defende a ‘Teologia da Prosperidade’, se camufla como partido social para obter para seus ‘escolhidos’ (pastores carniceiros, rapinantes, gananciosos) vantagens ilícitas em prejuízo alheio (eles,, através desse ardil, pretendem influenciar a política e tornar o Estado laico uma teocracia, beneficiando-se como ‘elite espiritual’), induzindo ou mantendo alguém em erro (eles induzem as pessoas a votarem neles sob pretexto de que colocam o ser humano em primeiro lugar, mas o socialismo não casa com essa ‘Teologia da Prosperidade’), mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento (como já explanado anteriormente, o PSC vende gato por lebre, vende um produto que não tem, ou melhor, vende um produto que é o inverso do que o povo pensa).

    Não é só o fdp do Marco Feleciano que deve ser impugnado, mas todo o PSC!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O 171 também serve para enquadrar todas essas seitas demoníacas pentecostais e neopentecostais, que praticam curandeirismo e vendem toda sorte de bugigangas (de martelinhos de madeira, colher de pedreiro à tijolos de plásticos) dizendo que são sagradas, trazem prosperidade, são consagradas, etc.

      Excluir
    2. Também sou a favor de se processar penalmente esses vendedores de bugigangas religiosas.

      Mas, também sou contra a distribuição de bugigangas gays, como o kit gay, que na verdade é uma doutrinação gay!

      Excluir
    3. Ai, cala sua boca aí Joel.

      Excluir
  9. Nao basta tirar esse cara da CDH. Ele tem que ser cassado como deputado e, se comprovado que praticou estelionato, prevaricação e sonegação fiscal, como está sendo acusado, cadeia pra ele! Isso será muito representativo, mostrará que pastores e políticos não estao acima da lei neste país, não são imunes e nem intocáveis.

    Ruggero

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas acontece que pastores (principalmente os que são políticos) estão sim acima da lei neste país, são imunes e intocáveis.

      Excluir
  10. corram para as montanhas. A política se empestiou de evangélicos.


    logo logo teremos queima de bruxas...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site