Pular para o conteúdo principal

Risco de Apophis colidir com a Terra é de 1 para 200.000

Se houvesse colisão, efeito seria de 100 bombas atômicas; asteroide tem 300 metros de largura





Imagens do asteroide
visto pela primeira 
vez em 2004

Astrônomos estão acompanhando a trajetória de um asteroide que poderia colidir com a Terra em 2036 - embora o risco de que isso ocorra seja mínimo.

O asteroide, que vem sendo chamado de Apophis — em homenagem ao demônio egípcio da destruição e da escuridão —, tem 300 metros de largura e poderia colidir com a Terra com a força de 100 bombas nucleares.

Não é visível a olho nu, mas pode ser observado no website Slooh, que veicula imagens do espaço. Ele atualmente está passando a uma distância de 14 milhões de quilômetros da Terra - o que permite que astrônomos possam analisá-lo.

Mais tarde, esse risco foi descartado, com novos cálculos indicando que em 13 de abril de 2029 a massa rochosa deve passar a uma distância de cerca de 30.000 quilômetros da Terra. O Apophis foi observado pela primeira vez em 2004 e na época causou algum alarde, porque cientistas calcularam que o risco de um choque com a Terra em 2029 era de um em 45 mil.

As mesmas revisões, porém, indicam o risco de uma colisão em 2036, embora ele seja mínimo: de um em 200 mil.

"Em 2029, o asteroide passará tão perto de nós que mudará a órbita do centro de gravidade da Terra", explicou o professor Alan Fitzsimmons, astrônomo da Queen's University, em Belfast.

"A maior parte das novas órbitas potenciais nos deixaria seguros pelos próximos 100 anos, mas há uma pequena região do espaço na qual haveria o risco do asteroide nos atingir em 13 de abril de 2036."

"As medições de radares são incrivelmente precisas: calculamos a distância do asteroide e sua velocidade em relação a Terra, identificando sua órbita", diz Fitzsimmons.Os astrônomos estão aproveitando a recente passagem do Apophis pela Terra para estudá-lo, em uma tentativa de melhorar as previsões sobre sua rota.

É cada vez maior o interesse de pesquisadores por corpos celestes potencialmente perigosos para o nosso planeta.
Até agora, já foram identificados 9 mil asteroides próximos a Terra e uma média de 800 novas rochas espaciais são observadas todos os anos.
Segundo Fitzsimmons, aprender mais sobre tais corpos celestes é crucial: "Em algum momento, encontraremos um asteroide suficientemente grande para causar um estrago na superfície da Terra se deixarmos que o choque ocorra", diz.

"Por isso, devemos encontrar esses corpos, acompanhá-los e, caso eles tenham uma chance de nos atingir, fazer algo sobre isso."

Comentários

Juliano Correa disse…
"... caso eles tenham uma chance de nos atingir, fazer algo sobre isso." - fazer algo seria nos convertermos antes que seja tarde? rs. Não acredito em colocar bombas nucleares pra esfacelar o meteoro, igual no filme Armagedom... só nos resta sabermos que vamos morrer e termos tempo de sair gritando pela rua...
Leonardo disse…
que pena, ainda não foi desta vez, rsrs
Não aguento mais tanto "fim do mundo"! Acho que nos últimos dois anos já tivemos uns cinco! O bom é que teremos um intervalo para descanso até 2036, né? Quantos loucos se matarão na esperança de "Pegar carona nessa cauda de cometa..."?
Anônimo disse…
quando for 2035 os malucos de plantão já começam a alardear o fim do mundo (fazendo mil teorias misticas e religiosas misturadas com alguma meia verdade e um pouco de ciência). Aí vira uma contagem regressiva, como foi agora em dezembro de 2012. Algumas seitas se suicidam, alguns lideres religiosos ficam mais loucos ainda, a população fica ainda mais tonta com o bombardeio de informações falsas, etc, etc.


Então o mundo não acaba e todo mundo fica com cara de besta.


E a vida segue...
Nano Falcão disse…
Na verdade, o impacto de misseis nucleares seria efetivo sim. Nem precisa ser algo tão drástico quando "pousar" no meteoro para colocar bombas. Duvido que os poderosos da terra ficarão de braços cruzados sem lançar mão do arsenal bélico que dispomos. Por outro lado, pode até ser bom esse tipo de ameaça, quem sabe dá um alento ao cada vez mais abandonado programa espacial.
Anônimo disse…
acho que explodir um asteroide e criar uma chuva de meteoro, nao serial legal, o mais viavel seria tentar mudar a rota deste objeto com algum satelite etc... ja vi essa alternativa em algum programa de TV, serial a opção mais viavel, sem colocar a vida de ngm em risco... ^^
Anônimo disse…
Culpa do casamento gay!
Anônimo disse…
Alá nos salvou mais uma vez.
Anônimo disse…
depois da previsao dos maias, tinha que ser inventada outra para continuar os filmes de hollywood.
Gima disse…
Esse já vai dar um gelo, quero ver quando o impacto for certo e inevitável.
Anônimo disse…
Nenhuma espécie vive para sempre.
_Perfeito!
Anônimo disse…
"Em 2029, o asteroide passará tão perto de nós que mudará a órbita do centro de gravidade da Terra", explicou o professor Alan Fitzsimmons, astrônomo da Queen's University, em Belfast".

diga-me como????????????????????????????????????????????????????????????
carlosqevedo disse…
a única esperança de sobrevivermos está no conhecimento humano, no estudo, se deixarmos nas mãos de deuses invisíveis estaríamos fodidos.
Nano Falcão disse…
Será o conhecimento humano que vai nos salvar, mas os crentes dirão que "isso prova que o mundo só acaba por vontade de Deus".
Coisa disse…
O quarteto fantástico já nos salvou de Galáctus.
Ricardo disse…
O mais bizarro é que essa data bate com os cálculos feito por um estudioso em códigos e profecias que sempre afirmou que nada aconteceria em 21/12/12 e que a data mais provável para um grande cataclisma na Terra (segundo diversas profecias antigas) que colocaria toda a humanidade em cheque seria em abril de 2036. Vejam os links sobre o Apophis no blog: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br
Nano Falcão disse…
Fiquei mais intrigado com a afirmaçaõ do cientista que o centro de gravidade se deslocaria... Que tipo de consequencia isso poderia ter???

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios