Ateus poloneses veiculam seus primeiros outdoors

Mensagem divulga o 'mandamento' "não acreditar"

"É difícil ser ateu
em país católico"

“Não matar”, “não roubar”, “não acreditar”, diz a mensagem que ateus poloneses colocaram em outdoors das principais cidades do país. Trata-se da primeira campanha publicitária ateísta da Polônia, país de nascimento do papa João Paulo II e onde cerca de 90% da população se diz católica.

"Em um país católico é muito difícil ser ateu", disse Jacek Tabisz (foto), presidente da Associação Polaca de Racionalistas, uma das entidades responsáveis ​​pelos outdoors.

Ele afirmou que, diferentemente do que se acredita, há muitos ateus na Polônia, embora parte deles não se assume com tal para não sofrer preconceito.

Outra mensagem que os ateus estão divulgando é "Não acredita em Deus? Você não está sozinho". Tabisz explicou que o objetivo dessa mensagem, além de minar a sensação de isolamento de ateus, é informar a sociedade que faz parte dela um grande grupo de descrentes.

A Polônia é um Estado secular, mas só no papel, porque, na prática, a Igreja Católica desfruta de privilégios, como isenções fiscais, aporte financeiro para pagar as pensões de sacerdotes e financiamento para construção de escolas. Além disso, os padres têm status de professor de religião e dão aulas inclusive em jardim de infância.

A campanha ateísta está tendo grande repercussão na imprensa, criando um clima de debate inclusive sobre a pseudo laicidade do país.

'Não acredita em Deus? Você não está sozinho"
Com informação do Scotsman, entre outras fontes.

Ateu americano elogia mensagens dos outdoors da brasileira Atea
agosto de 2011

Ateísmo

Comentários

  1. Quem não quer morrer, deve dizer não mate.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente.

      Simplificadamente, daí provém a Moral: Regras de bom convívio entre as partes.

      Nós Homens criamos os deuses a nossa imagem e semelhança para justificar nossas regras morais. Em cada época aperfeiçoamos estes deuses em função de moral que se modificava.

      Superando a Moral limitada a épocas e geografias e justificativa em seres imaginários, hoje nos importamos no estudo da Ética e das relações entre Homens.

      Excluir
  2. Eu fico me perguntando qual a diferença entre esses cartazes e os outdoors evangélicos e católicos? São tudo a mesma forma de catequese e evangelização! Mas gosto disso, isso representa a laicidade do Estado, tanto uns como os outros tem o direito de se expressar. Espero que os esquerdista não tentem tomar esse direito dos religiosos e aprendam a viver em paz com todos os diferentes e nem os religiosos tentem intimidar os ateus também. Mas convenhamos, vamos parar de criticar os religiosos que usam desses artifícios, por que qual neo ateu não gostaria de ver Dawkins "pregando" na tv e difamando a religião. Então devemos, em nome do Estado laico, tb aprender a ouvir pastores como o Malafaia e o padre Paulo Azevedo criticarem tb os ateus. Liberdade de expressão! Isso que é bonito e saudável numa democracia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O conteúdo não diz que ser ateu é melhor e que este conhecimento é o mais correto. Mas diz aos ateus que estes podem sair do armário, deixar de se esconder. Trazendo os ateus ao lume reafirmar que o Estado Laico seja verdadeiramente um Estado de Todos e não um Estado de Privilégios a algumas denominações.

      Excluir
    2. Que festival de lugares-comuns, hein! "Neo ateu", "Dawkins difama religião", "achar que ateu prega", "analogia" forçada... E tudo terminando num " vamos ouvir o Malafaia". Ora, que exemplo péssimo! Nem os cristãos moderados suportam esse picareta gritalhao!

      Excluir
    3. “Eu fico me perguntando qual a diferença entre esses cartazes e os outdoors evangélicos e católicos? São tudo a mesma forma de catequese e evangelização!”

      Não é catequese porque não há instrução religiosa ou doutrinamento. Também não evangelização porque não se está levando a palavra de nenhuma doutrina ou instrução a ninguém.

      A única coisa que se assemelha a outdoors evangélicos ou católicos é ser uma modalidade de propaganda. Mas essa propaganda é tão somente ação de informação da existência de mais ateus, ao contrário do que normalmente são os outdoors religiosos.

      “Mas gosto disso, isso representa a laicidade do Estado,”

      Creio que você quis dizer liberdade religiosa! Representa sim a liberdade religiosa das pessoas, tanto para os que têm religião, quanto para os que não têm.

      “Mas convenhamos, vamos parar de criticar os religiosos que usam desses artifícios, por que qual neo ateu não gostaria de ver Dawkins "pregando" na tv e difamando a religião.
      Então devemos, em nome do Estado laico, tb aprender a ouvir pastores como o Malafaia e o padre Paulo Azevedo criticarem tb os ateus.”

      Como se Malafaia (e cia.) somente fizesse críticas a ateus, e não ataques gratuitos e pregações preconceituosas e discriminatórias. Ademais, considerando a hipótese que Dawkins estaria “difamando” a religião, haveria uma diferença enorme entre um e outro: religião é um sistema de crença, e não uma pessoa, porquanto ateu é condição da pessoa. No caso, ele não poderia difamar religiosos.

      “Liberdade de expressão! Isso que é bonito e saudável numa democracia.”

      Não é nada bonito e saudável numa democracia haver espaço para atos de intolerância, discriminação e preconceito contra pessoas. Isso não está abarcado pela liberdade de expressão, muito menos pelo conceito de democracia modera. Malafaia prega homofobia e ateofobia, o que é totalmente repudiável e hediondo!

      Excluir
  3. Ninguém difama a religião apenas fala a verdade, a religião tem se predominada através da mentira e da lavagem cerebral em crianças e antigamente através da morte matando e prendendo cientistas, livres pensadores e quem queria fazer de suas vidas o que bem entendesse, é aquela história ateu bom é ateu calado, mais nada vai calar nossa voz.. Agora aguenta este barulho na cabeça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sociedades ateístas fizeram as mesmas atrocidades que as religiosas. Sugiro mudar seus argumentos.

      Excluir
    2. Não confunda sociedade ateísta com estado comunista.
      Nenhuma sociedade ou estado matou em nome do ateísmo.
      O mesmo não se pode dizer sobre o cristianismo e outras religiões.

      Excluir
    3. Sociedade ateísta?! Onde?! Quando?! De novo esse argumento neoteísta ultrafurado!!!! Nem o Stalin era realmente ateu e vivia de conchavo com a canalhice da manipuladora igreja ortodoxa russa! Vai estudar para ver se não confunde regime político com descrença em mitos! Haja paciência!

      Ruggero

      Excluir
    4. Da mesma forma dizer que a igreja católica representa os ensinamentos de Cristo. Quem disse que as religiões institucionalizadas representam o verdadeiro cristianismo. Em nome de Deus foram feitas inúmeras barbáries, assim como em nome do ateísmo soviético, cubano, chinês e demais, matando inúmeros cristãos. E vejo pelo ódio por aqui, e inúmeras ameaças, que se os neoateus tivessem algum poder, agiriam da mesma forma, em nome do neoateísmo!

      Excluir
    5. Deixe de ser dissimulado. É comunismo sovietico, e nao ateismo, crentalhao safado.

      Excluir
  4. É bom que todos os setores da sociedade poloneza tenham a liberdade de se expressarem. A campanha dos ateus polonezes, embora falha, é importante nesse aspecto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não acho que seja falha , é bom ver que você não esta sozinho ,e é importante também para mostrar que não existe apenas um seguimento dentro da sociedade..

      Excluir
    2. A falha não nos é evidente. Aponte-a, por favor.

      Excluir
    3. Também acho importante que as pessoas que se sentem sós, como os ateus poloneses, possam encontrar um grupo qhe lhes deem suporte. Beleza.

      O outdoor é falho. Não matar é um valor louvável, assim como, não roubar. Agora não acreditar é ridículo. Todos nós, crentes ou descrentes, acreditamos em alguma coisa que não se possa provar. O outdoor só faz sentido se esse não acreditar referir-se a divindades. Deveria estar escrito: não acreditar em Deus.

      Excluir
    4. Se eles são ateus acho que os poloneses são inteligentes pra saber do que se trata quando eles estão dizendo para não acreditar.. E é assim que se quebra tabús ,falando sobre eles portanto a campanha é valida.

      Excluir
    5. Caramba, só se o sujeito for muito burro pra não entender a mensagem.
      Isso me lembrou um personagem do humor:
      Tem que ser tudo muito bem explicadinho, nos seus míiiiinimos detalhes...
      Haja saco.

      Excluir
    6. Sim, a campanha é válida. Mas o outdoor é falho. Campanhas publicitárias não devem deixar dúvidas. Devem comunicar uma mensagem com exatidão. E a mensagem transmitida pelo outdoor não está clara.

      Vejamos. Eu sou um polonês e vejo o outdoor. Não matar. Eu não mato. Não roubar. Eu não roubo. Não acreditar. Não acreditar em que? Em aliens? Que a vida valha a pena? Que os Kennedys foram assassinados? Que Elvis morreu? Que o homem foi a Lua em 1968? Que Deus não existe?

      A mensagem não está clara.

      Excluir
    7. Se o cartaz é assinado por ateístas, logo, o não acreditar é relacionado ao ateísmo (não acreditar em deuses).

      Esse Willian Papp não consegue mais disfarçar sua antipatia ao ateísmo diante da simpatia que nutre pela religiosidade. Tanto que começa a procurar pêlo em ovo pra criticar as ações dos "neoateus" (conforme ele e os fundamentalistas religiosos se referem a quaisquer ateus que não limitam seu ateísmo ao silêncio social).

      Ridícula é a sua postura de ateu egodistônico, senhor Papp!

      Excluir
    8. Esse cara já está sendo patético!

      Excluir
    9. E mais ,estão citando os 10 mandamentos , eu não iria pensar que eles estivessem falando sobre fadas.

      Excluir
    10. Os cristãos amiguinhos do WP não entenderão realmente.
      Mas a mensagem é dirigida para ateus e agnósticos.Esses tem um senso crítico mais apurado.

      Excluir
    11. Will papp vamos ver , o outdoor é relacionado a ateus ,estão falando sobre os 10 mandamentos , e claro sobre não acreditar ,é não acreditar que os homens pisaram na lua, eu não conseguiria deduzir outra coisa a não ser isto, que estão dizendo para não acreditar que os homens pisaram na lua.

      Excluir
    12. me engana que eu gosto3 de dezembro de 2012 16:47

      O sujeito quer julgar o que é bom ou não numa campanha publicitária, mas finge desconhecer e/ou ignorar a técnica do Teaser. Mas é assim mesmo que agem as pessoas que, por não se agradarem das finalidades de determinado grupo, deixam o bom senso de lado e se dispõem a fabricar motivos para criticá-lo e tentar invalidar ou minimizar suas ações.

      Excluir
    13. Quem não acredita que o homem foi à lua deve exigir provas. Uma ida à lua serve de prova.

      Excluir
    14. já está implicito que o acreditar se refere a deuses e afins. É óbvio.

      Excluir
    15. Caros colegas,

      Will Papp manifestou sobre argumentos e não sobre pessoas. Ele antepôs uma opinião a nossa. Isto é legítimo.

      Infelizmente o contrário não aconteceu. Atacamos a pessoa sem melhorar nossa argumentação. Com isto nos aproximamos de comportamentos que todos dizemos aqui discordar.

      Se vemos falhas na argumentação contrária ataquemo-la nos erros. Não ataquemos o argumentador.

      Se o xingamos demonstramos sermos nós frágeis por não produzirmos argumento válido. Apelamos a nossa covardia.

      Excluir
    16. é bastante óbvio que o tema é não acreditar em deuses.


      o comentário do rapaz foi infeliz.

      Excluir
    17. As pessoas deste blog estão sempre tentando deturpar os brilhantes argumentos do Willian Papp apenas para acusá-lo injustamente!

      Que decepção!

      Excluir
    18. Will pappa, qualquer um com meio neurônio e alfabetização básica pode perceber que o outdoor se refere a crer em deuses.

      Excluir
    19. Pessoal!
      O cartaz diz "não acreditar", sugerindo que a pessoa seja cética!
      Exija provas ou que busque provas de determinado fato ou evento e que não se sujeite a primeira afirmação ou alegação.
      A ideia é brilhante (não há nada falho).
      Pqdrocha.

      Excluir
    20. Will Papp, eu entendi perfeitamente sua crítica. Isso tudo vai depender do grau de discernimento do receptor da mensagem. O “não creio” (se essa for realmente a tradução correta) da mensagem está figurando em um outdoor assinado por ateus. Então o contexto do próprio outdoor deixa subentendido que seria um “não creio” em divindades, já que esse é o significado do ateísmo.

      Tanto que as alegações falaciosas que as entidades religiosas estão dando para acusar o cartaz de ser uma “ofensa” ao cristianismo é que o “não mato” e o “não roubo” seriam retirados dos “mandamentos” cristãos, justamente por estar assinado por ateus.

      Fosse no Brasil, onde infelizmente o grau de instrução de grande parte da população ainda é baixo, sua crítica seria perfeitamente cabível ao caso – a propaganda seria falha. Mas lá eu realmente não sei o grau de instrução das pessoas, mas creio que o criador da propaganda deva ter consciência se deve ser mais explícito ou não.

      Mas sua crítica é valida!

      Excluir
    21. *Mas sua crítica seria válida! (no entanto, não é válida justamente por não se aplicar ao contexto do cartaz, que inclusive, é o qual você direciona sua crítica, tornando-a falha e inválida)

      Se a sua intenção realmente for a coerência, então procure melhorar seu discernimento.

      Excluir
    22. “(no entanto, não é válida justamente por não se aplicar ao contexto do cartaz, que inclusive, é o qual você direciona sua crítica, tornando-a falha e inválida)”

      A crítica é sim válida, a partir do momento que é construtiva e, mais ainda, se aceita, não destoaria à finalidade do cartaz. Só talvez não tivesse cabimento no caso.

      Ademais, você se prende tão somente no cartaz, mas esquece do público-alvo e seu grau de discernimento. Você sabe como seria na Polônia? Pois é... não basta interpretar o contexto do cartaz, mas saber sobre o receptor da mensagem. Isso é basilar em propaganda...

      “Se a sua intenção realmente for a coerência, então procure melhorar seu discernimento.”

      Eu sempre procuro melhorar meu discernimento todos os dias, visto que estou e sempre estarei em constante aprendizagem.

      E, pelo que se nota da sua parca interpretação de texto, o meu grau de discernimento está milhões de vezes acima do seu. Por isso, não se preocupe com meu discernimento, visto que você tem um problemão para resolver na sua vida: apurar o seu próprio discernimento e sua capacidade interpretativa. Torço para que um dia você consiga resolver essa deficiência em sua vida!

      Ah, e sua crítica é totalmente falha (visto que não interpreta corretamente o que escrevi, ignorando determinados pontos) e inválida (visto que não serve para nada), assim como não é cabível à minha opinião anterior. Sorry...

      Excluir
    23. "Ademais, você se prende tão somente no cartaz, mas esquece do público-alvo e seu grau de discernimento. Você sabe como seria na Polônia? Pois é... não basta interpretar o contexto do cartaz, mas saber sobre o receptor da mensagem. Isso é basilar em propaganda..."

      Hum... mas quando o Willian Papp diz que a publicidade é falha tão somente pelo conteúdo do cartaz, ignorando o público alvo, aí você diz que a crítica é válida, né?

      Puxa-saquismo level 1000000000, isso se você não for o próprio.

      Excluir
  5. Eu fico pensando como deve ser difícil a vida de ateus e humanistas em vários países do oriente médio, eles devem ficar calados e qualquer manifestação pode trazer problemas graves para eles. Eu acho que é o mesmo que religiosos daqui querem.. Vai chegar um dia se você disser que é ateu vão te matar vão prender te torturar etc, eu acho valido a atitude dos ateus poloneses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não isso não vai acontecer não.Inclusive 17 de fevereiro estaremos firmes reunidos trocando idéias.Avante!

      Excluir
    2. Ver os ateus calados e subjugados é o sonho molhado de MUITO crentola por aqui.

      Excluir
    3. o problema é a divisão. Isso já deu no saco.


      a humanidade precisa se unir e não ficar se degladiando.

      Excluir
    4. Como haver união se as religiões pregam exatamente a separação e sectarismo?

      Excluir
  6. "É difícil ser ateu em país católico"

    Resumiu bem o que os ateus vivem aqui no brasil, na polonia não deve ser diferente.

    ResponderExcluir
  7. http://rachelsheherazade.blogspot.com.br/2012/12/falta-do-que-fazer.html#comment-form

    ResponderExcluir
  8. Deus tá nas lacunas... ops, nos detalhes3 de dezembro de 2012 19:39

    "Deus" em polonês é "Boga"? Segundo o Dicionário Michaelis, uma das definições de "boga" em português é "bravata, mentira"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. Deus tá nas lacunas... ops, nos detalhes

      Meu caro, na verdade Deus em polonês é Bóg e mentira é kłamać. E outra, qual a relação entre o idioma polonês com o português? Por acaso pertencem à mesma família linguística?

      Promover a ignorância é uma coisa muita feia. Pare com isso.

      Excluir
    3. Deus tá nas lacunas... ops, nos detalhes4 de dezembro de 2012 19:49

      Anônimo 4 de dezembro de 2012 10:23

      Realmente, você está certo: pesquisei na Wikipedia polonesa e consta "Bóg" - não conheço polonês, então não sei em que casos se usa o "Boga"...

      De fato, Polonês e Português só são similares como aliterações. Foi só uma curiosidade; "Deus" ou "Bóg" não ficará ofendido com isso: seu fã-clube, sim.

      Excluir
  9. http://pt.apocalisselaica.net/varie/ateismo-anticlericalismo-e-libero-pensiero/polonia-cristiani-offesi-dalla-campagna-a-favore-dell-ateismo

    Pelo visto, os cristãos não gostaram que ateus se expressassem lá...

    ResponderExcluir
  10. Mais um grupo com mania de perseguição?
    http://amarretadoazarao.blogspot.com.br/2012/12/ateus-de-boutique.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ateísta anti-ateísmo é pior que fanático religioso!

      Excluir
    2. crentalhão enrustido detected

      Excluir
  11. deus é objeto de especulação filosófica e existencial. É óbvio que ateus - nem qualquer outro grupo - não vão conseguir detectá-lo com o método empirico.

    por mais que isso soe absurdo, os crentes estão certos ao dizer que deus só pode ser sentido. É só na experiência existencial que isso pode ser realizado. Trata-se, como analogia, daquele caso do gôsto: por mais que se possa descrever uma maçã, por exemplo, não se pode tê-la em totalidade se não a experimentar. E é essa a singularidade da experiência espiritual com o divino.


    e também é mais que óbvio que ela se dá na naturalidade da experiencia prática do dia-a-dia e não em milagres e efeitos espirituais "pirotécnicos"; não em literatura sagrada e rituais religiosos, mas na singularidade da experiência de se estar vivo e existindo.

    esse é um dos motivos pelo qual até o mais rústico dos homens reclama os deuses apesar de não saber exatamente como.

    uma outra analogia interessante é o das leis da matematica que é válida para todos, não importando se são mestres ou leigos ou mesmo analfabetos.


    só pra enfatizar ainda mais: a assinatura do divino não está na humanidade porque ela se pareça com um relógio, pois isso é fenomeno natural redundante; um criador a teria criado como fenômenos naturais. Simples assim, tão simples que passa despercebido. O método empirico só estaria andando em círculos, tentando explicar a ele mesmo e não a fonte da criação que o originou. A assinatura encontra-se na experiência existencial, o próprio existir é evidência forte dessa assinatura. Até mesmo quando se fala em evidência, acaba se cometendo redundância, pois ninguém crê em deus, todos já o conhecem de antemão ao existirem. É condição inerente do indivíduo que existe.

    o maior "milagre" de todos é a existencia.


    resta saber porque deus se calou pelos meios diretos. É um enigma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De qual deus você está falando?

      Excluir
    2. do da manifestação original que todos sentem.

      Nossas religiões são tentativas de definir isso com exatidão. Como a história já nos mostrou, todas estão erradas, apenas esbarrando em um ou outro conceito que tenha correspondência no mundo real. Mas esses conceitos também seriam encontrados sem religião, pois fazem parte da experiência existencial. A religião já nasceu morta.


      a hipótese deus está fora do alcance do indivíduo. Ele só pode sentir efeitos indiretos. O grande enigma é esse, o silêncio do divino.

      Excluir
  12. Se a ciência ficasse bitolada em uma só ideia ,ela nao se avançaria e nem descobriria que muitas teorias caíram por terra.Penso que ateus nao sao obrigados a acreditarem na existência e nem os crentes,na inexistência.O mundo já está muito em guerra para formarmos mais guerras em nome da crença ou descrença.O mundo está carente de amor que tem a ver também,com o respeito.Ao invés de ficarmos perdendo tempo,discutindo sobre coisas que a ciência ainda nao conseguiu alcançar,inclusive porque,nem um gênio utiliza todo sua inteligência,seu cérebro,ao ponto de poder comprovar tudo,vamos ajudar os que sofrem nos hospitais,por exemplo.E nós crentes ,vamos amar também,os ateus,através de nossas oraçoes a Deus para que eles possam experimentar esse universo misteriosoque para nós que experimentamos,podemos afirmar:Como é construtivo e bom,os milagres de Jesus,por exemplo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário