Em SP, uma vergonha: campanha política se abrigou nas igrejas

Título original: Campanha nas igrejas

por Xico Sá para Folha

Não existe amor em São Paulo, caro Criolo, e a democracia também não passa muito bem. Uma disputa praticamente sem debate conduz a uma eleição atípica que saiu das ruas e se abrigou, de forma vergonhosa -como um vira-lata que encontra a porta aberta-, nos templos e igrejas.

Os gogós dos padres e dos pastores substituíram a oratória política e devem decidir, nas missas e nos cultos do próximo domingo, o destino da cidade. Pela ira santa de ontem no seu blog, o bispo Edir Macedo sentiu o golpe terreno da desconstrução da sua ovelha política Celso Russomanno (PRB) e vai tentar sacudir o rebanho. O voto como dízimo.

A entediante campanha eleitoral não é um fenômeno isolado. Pode ser apenas a consequência do processo de encaretamento que encontrou na era Kassab o mais perfeito papa-hóstia. Voltamos aos tempos do Jânio Quadros. Com menos talento dramático -nisso JQ era um gênio- e sem a sacanagem embriagada do marido da dona Eloá.

Covardemente, com o medo de perderem votos, Serra (PSDB) e Haddad (PT), ligados à tradição mais democrática que esteve unida nos palanques das Diretas-Já e nos maiores comícios da história da cidade, tudo pensam, nada falam. Como no "Último Desejo" do Noel Rosa.

São Paulo, caro Criolo, carece reaprender a fazer manifestos, como fazem você, Tom Zé e Mano Brown. Há mais política em um disco, sacado aleatoriamente em qualquer prateleira das Grandes Galerias, do que em toda a campanha eleitoral de 2012.

Essa onda de acreditar que São Paulo é só uma cidade conservadora também não é lá bem assim. Conservadora, vírgula. É a cidade onde o pau comeu com os operários anarquistas no começo do século passado, é a cidade da Semana de Arte Moderna de 1922, é a cidade mais roqueira do país, é a cidade aberta que recepciona as manifestações artísticas mais radicais feitas fora do eixo Rio-São Paulo etc.

É, caro Criolo, acabei fazendo uma crônica-comício. E já que a eleição virou uma guerra santa, só me resta seguir o conselho do amigo Groucho Marx: "Todo mundo precisa crer em algo. Creio que vou tomar um uísque".

 Não dá para impedir influência da religião no voto, diz Schwartsman.
outubro de 2012

Religião na política.

Comentários

  1. Elemento químico.4 de outubro de 2012 10:21

    O que me estranha nisto tudo é ver como os religiosos endeusaram os políticos e colocaram a política no mesmo patamar que o deus deles. Antes era o "senhor é nosso poder e salvação" , agora dizem "o senhor estado e nosso senhor e salvação" eles trocaram a esperança em "deus" pela esperança do "estado" . Eu digo o que eles esperam de um político , que tipo de favores os pastores e bispos querem dos religiosos, e nesses anos todos de todos os líderes governamentais a igreja nunca sofreu nenhum ataque , nunca um pastor foi preso mesmo todos sabendo que se enriqueceram com dinheiro da igreja. Que tipo de esperança os religiosos esperam do estado , porque este envolvimento tão alto com os assuntos deste mundo? Enquanto seu líder dizia eu não sou deste mundo , e os religiosos hoje diferente de seu "líder" , eles dizem nos somos deste mundo e ele é nossa esperança ,estamos com certeza assistindo de camarote a prostituição da igreja com o mundo e a queda brutal e sem volta da igreja prostituta. O estado é meu senhor e nada me faltará , o político é meu messias , minha esperança e salvação ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ** eu digo que tipo de favores pastores e bispos esperam de um político**

      Excluir
  2. "é a cidade aberta que recepciona as manifestações artísticas mais radicais feitas fora do eixo Rio-São Paulo"

    O problema é São Paulo recepcionar eventos fora de si mesma.

    ResponderExcluir
  3. "...conduz a uma eleição atípica que saiu das ruas e se abrigou, de forma vergonhosa -como um vira-lata que encontra a porta aberta-, nos templos e igrejas."

    Claro que não foi a intenção do Xico (de quem gosto muito) chamar os políticos ou igrejas de vira-latas, mas nunca "igrejas e vira-latas" se juntou tão bem numa mesma frase. SP merece bem mais do que esses cabeças-de bagre.

    ResponderExcluir
  4. Conter diversidade não é sinônimo de respeitar essa diversidade. O Brasil é um país diverso, mas definitivamente não tem lá muita vocação para abrigá-la. Não são as cidades e país que acolhe a diversidade. É a diversidade que se impõe. Acostumar-se com a diversidade não é o mesmo que respeitá-la. Os radicalismos na cidade são vistos apenas como excentricidades. SP é assim. Semana de Arte Moderna de 22, os roqueiros, as manifestações radicais... nada disso reflete "radicalmente" na consciência popular de forma efetiva e gera mudança política. Por mais que se possa citar N exemplos de movimentação política e artística politizada, esse momento de eleição é bem mais representativo do teor conservador da cidade e de sua vocação para teocracia. Em parte você pode culpar o PSDB e o PT que desde as últimas eleições presidenciais transformaram as eleições em questão teocrática. O Haddad está tentando defender a laicidade, mas não sei se será possível reverter o quadro imposto anteriormente. Mas isso não isenta a população do país e das cidades. Então, realmente SP não é só uma cidade conservadora, mas o seu histórico não está a ajudando em nada a ser uma cidade laica, democrática e politizada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para você, pelo que entendi, a politização deve ser superior à religião, o laico deve predominar sobre o religioso. Interessante. Isso parece o comunismo de Pol Pot. Nada acima do Khmer Vermelho. É, você parece ter talento para justiceiro social. & justiceiro social executa com a mesma frieza que qualquer outro justiceiro.

      Excluir
    2. "O laico deve predominar sobre o religioso" merda de onde você tirou isto O___o , vai saber o que é estado laico , nos somos uma democracia , se aqui fosse um partido totalitario é claro que os partidarios teocratas do regime nacionalista cristão iriam sofrer perseguições e consequentemente iriam ser mortos como foi no passado, eles levaram no c* por exatamente sairem de seus ambitos religiosos, hoje a religião esta ai porque ela é um bom negócio para os governo , se ela fosse oposição ao sistema mundano já teriam evaporado com a religião da face da terra.

      Excluir
    3. Se você não é a favor de um estado cada vez mais laico e é favor de um estado teocratico cristão eu posso jurar que você é um daqueles assassinos cristãos que viveram no passado, vai ver você é descendentes deles é tem no sangue o ódio pela minoria e um desejo ardente de matar aqueles que jamais vai permitir um estado nacionalista teocratico cristão, se era isto o que se propõe o cristianismo vocês perderam e o cristianismo falha e perde com uma derrota vergonhasa mais uma vez porque por fim ele acaba não servindo pra nada a não ser enganar e distrair milhares de trouxas..

      Excluir
    4. Uma derrota vergonhosa .

      Excluir
    5. Esses crentelhos reaças sempre associa de forma leviana o ateísmo ao comunismo.

      Agora estão associado até o estado laico...

      Eles só ficariam satisfeitos se fôssemos como a Arábia Saudita: uma teocracia pró-EUA.

      Excluir
    6. Correção:

      [..] associaram [...]


      [..] estão associando [...]

      Excluir
    7. O Estado Laico era interessante para esses crentulhas (tanto que eles lutaram por ele) quando o Brasil era católico, agora não interessa mais.

      Excluir
  5. Interessante notar que Criolo & Mano Brown são tomados no artigo por modelos de uma política virtuosa. Mano Brown cantou as glórias de Marighella,& que eu saiba, não são muitos os intelectuais burgueses que aceitariam seus filhos participando de uma guerrilha. Deixem de hipocrisia, por favor.

    A Teologia da Libertação sempre usou a religião para fazer pregação doutrinária ideológica. Os padres libertadores não são cristãos, simplesmente porque adoram Barrabás, que era um revolucionário, & não Cristo. Se Jesus tivesse escolhido o caminho da revolução, o povo não o teria condenado ao madeiro.

    Como se vê, aqueles que amam um ideal de sociedade mais justa detestam seres humanos justos. Entendo bem a raiva que domina o coração do autor: não é que ele discorde do uso das Igrejas para incubação ideológica; ele discorda é da incubação ideológica de direita feita pelas Igrejas. Se fosse uma doutrinação esquerdista, com certeza o autor não reclamaria.

    A hipocrisia dominou o mundo. Ainda bem que nós, os gnósticos místicos, não aceitamos o deísmo de Rousseau. & Rousseau é o pai desse profundo sentimento politicamente correto que devastou a Imaginação em nossa sociedade.

    Leiam o poema A Igualdade, no blog do Arcanjo Suburbano.

    abraços,
    Ezequiel

    ResponderExcluir
  6. Uma pergunta para os partidarios do regime nacionalista teocratico cristão, vocês falam falam e falam muito mais como partido o que vocês tem a propor para humanidade? Como seria esse governo de vocês, eu acredito que não seria diferente do islamismo já que o livro de leis seria o mesmo.. Eu posso imaginar alguma coisa , ensino religioso para crianças desde os 3 anos de idade, sexo antes do casamento é crime , uma repressão total e absoluta a liberdade de expressão, bebidas e praia é crime porque fomenta a fornicação e estimula os prazares carnais que é crime gravíssimo contra o senhor deus judaico cristão. E o que mais vocês iriam fazer pra promover a limpeza étnico religiosa cristã eu imagino que seria algo semelhante a inquisição , não é verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carram para as colinas, que a inquisição evangélica virá e ainda ior do qua católica.

      Excluir
  7. No governo do partido nacionalista teocratico cristão, paulopes bom é paulopes morto..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulopes me desculpe me dirigir a você , mais é só uma ilustração do que os religiosos já fizeram no passado ,e o teu blog no entanto seria um problema para os partidarios teocratas nacionalistas cristãos, por isso eu disse que neste governo teocrata paulopes bom seria paulopes morto..

      Excluir
  8. Luiz Mário de Melo e Silva4 de outubro de 2012 16:26

    A partir do momento em que o ser humano chegou à civilização (organização da sociedade)a política está a permeá-la. E as religiões tiveram importantíssimo papel nesse processo; portanto, sempre praticaram a política, como na idade média, onde isso ficou bem claro. Vamos parar com a hipocrisia. ABSTENÇÃO JÁ!

    ResponderExcluir
  9. Gostaria que os cristaos tornacem nosso pais uma teocracia assim eu me tornaria guerrilheiro em prol do estado laico e poderia matar soldados de cristo a vontade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O difícil seria matar os chefes das quadrilha que por falta de fé em seus deuses preferem carros blindados e seguranças armados e outra se aqui virasse uma guerilha o que não é difícil estes crentes iriam pegar seus jatinhos e dar o fora do país.

      Excluir
  10. Temos a sorte de contar com a desunião desses que disem defender o mesmo deus. Cada qual rejeita candidatos indicados pela outra facção, tal qual quadrilhas.

    ResponderExcluir
  11. Quanto mais conheço os cristaos mais gosto do pol pot (apesar de acha o comunismo uma merda)

    ResponderExcluir
  12. Tomara que as nossas autoridades não permitam que ocorra aquela VERGONHA ,ocorrida nas eleições presidenciais de 2010, agora no segundo turno das eleições para a prefeitura de São Paulo.

    ResponderExcluir
  13. Isso só prova o que já sabia: Que a maioria dos evangélicos não pensam e agem por si. São teleguiados, direcionados e facilmente enganados pelo "pastor de ovelhas".... caso contrário dariam deus votos independentemente da opinião desses ladrões disfarçados. Isso é uma vergonha, não só no Brasil isso ocorre. Religião já é uma porcaria sozinha imagina conjugada com a política.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site