Adventista quer obrigar escola a não dar provas aos sábados

estudante Mariesi Teixeira Correa
Mariesi invocou seu
direito à crença
A estudante de direito Mariesi Teixeira Correa (foto) recorreu à Justiça para obrigar o Univag (Centro Universitário de Várzea Grande), no Mato Grosso, a não submetê-la a provas nos sábados porque a sua religião não permite nenhuma atividade nesses dias. Correa é fiel da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Ela está no último semestre do curso.

Correa já conseguiu um liminar em relação às provas do primeiro bimestre, mas a universidade entende que a decisão provisória da Justiça não vale para o segundo período.

“Estou sendo prejudicada”, disse Correa, que acusou a a universidade por intolerância religiosa e exigiu na Justiça reparo para seus danos morais. Seu argumento é o de que a Constituição respalda o direito à crença.

Nocchi disse que não
pode privilegiar ninguém
Nello Nocchi (foto), coordenador do curso de direito, disse que o Univag é um estabelecimento laico e, por isso, não pode privilegiar nenhum estudante tendo como motivo a sua crença. Disse que o tratamento tem de ser igualitário.

Além disso, segundo ele, ao se matricular na universidade, Correa foi informada de que a carga horária do curso exige que os sábados sejam aproveitados para aulas e provas.

“O curso é presencial [...], e nós não temos nenhuma ligação com religião”, afirmou.





Com informação da Rede TV!

Adventista obtém direito de faltar à aulas na sexta à noite e sábado

Fanatismo religioso.     Religião no Estado laico.

Comentários

lex disse…
isso ai!!!quer cabular prova??

vai estudar sua preguiçosa!!!
Anônimo disse…
vAMOS PôR UM FIM NESSAS MALDITAS RELIGIÕES!!!
Anônimo disse…
Frescura, esperou chegar no ultimo semestre do curso pra querer exigir. Ela ta é querendo pagar de conhecedora das leis só pq está no ultimo semestre, mas vai perder fácil, afinal como está no fim do curso ja havia tempo habil suficiente para saber das regras da universidade antes de se matricular, se chegou até ai é pq ja havia acatado as regras anteriormente.
Anônimo disse…
bom minha religião não permite que eu trabalhe na Segunda, Terça , Quinta, Sexta, sábado e Domingo vou arrumar um emprego, trabalhar só na Quarta e depois arrumar uma Liminar e se não der certo vou reclamar por Danos Morais e tira uma graninha facil, São Vagabundis seja louvado.
miss m disse…
O duvido q ela n vá conseguir. Até para trabalho, parece q tem previsão na clt permitindo(claro q tem q compensar, enfim).Quem dirá faculdade.
Tarcisio disse…
Que mulher descarada... Se ela acha que nao pode fazer e direito dela.. So nao atribuem ponto facultativo.. Ora ela assinou um contrato se condizendo aceita as todas as normas imposta pela faculdade.. Agora que fazer esse circo.. Pega sua denominaçao e vá cantarola
Anônimo disse…
Na verdade ela é cristã, e a Bíblia não permite que mulheres estudem, trabalhem e mantenham economicamente um lar... Tecnicamente ela já está saindo no lucro! kkkkk
Anônimo disse…
Será que esse pessoal cag.a nos sábados tbm?ou não pode?
Anônimo disse…
Muda de faculdade, a minha nunca pediu nada aos sábados, simples...
Leandro Santiago disse…
E se o seu patrão concordar, mas com a condição de lhe pagar somente pelos dias trabalhados, vc entra na justiça alegando discriminação e que vc estará recebendo menos por causa da sua religião.
Yuri disse…
São Vagabundis é o único deus verdadeiro.
­ disse…
→ Isso nunca vai acontecer
→ Cuidado para não confundir religião com religioso...
Anônimo disse…
Acho que essas duas últimas notícias - a da estudante adventista e a do ateu americano - demonstram um fato preocupante: nem religiosos nem ateus parecem ter entendido exatamente o que é o estado laico e até onde vai os seus direitos.

Os casos são parecidos: os dois queixosos tentam obrigar estabelecimentos particulares a mudar as suas regras em benefício de suas crenças pessoais. Ora, nem a proprietária do restaurante é obrigada a dar descontos para clientes ateus, nem a universidade é obrigada a suspender as avaliações no sábado para contentar a aluna adventista. Se um e outro não estão satisfeitos, que vão comer em outro restaurante ou matricular-se em outra universidade.
Anônimo disse…
É provavel que ela consiga lembra que testemunha de jeova nao serve o exercito.
Anônimo disse…
Até parece. Os ateus tem que ter mais privilégios do que os religiosos, pois somos os mais excluídos da sociedade.
_É inacreditável que uma estudante, formanda em Direito, tenha esse tipo de concepção!
_Além do mais, ao se matricular, ela sabia que teria aulas aos sábados para concluir a grade.
Anônimo disse…
Que sejamos marginalizados e excluídos, não discordo. Que sejamos os mais marginalizados e excluídos, acho discutível (travestis sofrem tanto ou mais preconceito que nós, ateus). Que devamos ter privilégios, discordo radicalmente.
Lia de Souza disse…
Nem vestibular pode ter provas ao sábados...Em SC ao menos, não.
Quando prestei o meu, as provas eram em 4 dias:sábado, domingo, segunda e terça, pela manhã somente. Uns anos depois tiraram do sábado e me lembro bem que era para não prejudicar os adventistas. Depois ainda concentraram tudo em dois dias.

Curioso que judeus também guardam os sábados e nunca vi um pedindo esse tipo de privilégio, algum não deixam nem se abrir 'o lojinha' aos sábados...

Precedente já houve e por onde passa um boi, passa uma boiada.
Ah, quer dizer então que se o ENEM, vestibular ou qualquer concurso público cair num sábada, essa debiloide vai querer obrigar a mudarem a data da prova, afetando todos os demais concorrentes, tudo por causa de uma crença idiota que ela insiste em enfiar goela abaixo de todo mundo? Uma banana pra ela!

Eu sei, tem a opção de fazer a prova no dia seguinte, eu que já fiz vestibulares já perdi a conta de quantas vezes os fiscais perguntaram se alguém é adventista, mas acho isso um tremendo absurdo. Isso é privilégio, nada mais que isso.
Lagartão disse…
_A debilidade de pessoas que se dizem cristãs e não são, sendo antes covardes e borra-botas, é lamentável!
_Seria melhor nem terem aberto a boca, do que falar e voltar atrás!
Carlos Martins disse…
Povim vagabundo desta religião, qualquer uma oura tenta entender, mas eles e os testemunhas de jeová acham que o mundo tem de girar em torno deles, agora engraçado, eles devem seguir a religião em benefícios deles, mas a parte que fala que a mulher tem o papel de servir ao homem elas não querem, não é querer ser machista, mas se vai usar a religião a risca, tem de fazer tudo que ela pede, até se submeter ao homem
mundo de sombras disse…
ela não estudou isso é desculpa para não levar para casa um 0
Anônimo disse…
Como sempre, a religião é o maior câncer da civilização.
Anônimo disse…
agora um médico no sabado de plantão ela quer...
Anônimo disse…
Esta parte eles e elas fazem de conta que é de mentirinha que não é pra levar a sério. Eles são uma piada, ridículos eles são, todos eles e elas sem excessão.
Wickedman disse…
A mentalidade de alguns religiosos funciona assim: se eu não posso, pois minha religião não permite, então ninguém mais vai poder e tudo terá que ser alterado por minha causa. É um egocentrismo nojento. A aluna nem cogitou a possibilidade de fazer a prova dela em outro dia. Em vez disso, o resto é que tem que se adaptar.
Alenônimo disse…
A atéia que tá reclamando da discriminação religiosa num restaurante está citando uma lei que fala que estabelecimentos comerciais não devem discriminar sua clientela com base na religião, raça, estado civil, etc. A lei existe, então ela pode apelar.

Ela não está citando a Primeira Emenda porque ela só é referente ao governo, que precisa ser laico.

Aquela lei foi criada para evitar que criassem promoções do tipo "50% de desconto se você não for negro" ou "se você não for muçulmano, ganhe a sobremesa de graça". O estabelecimento não pode impedir um grupo de pessoas de participar de um desconto, entende?

No caso da adventista acima, ela está reclamando de ser forçada a estudar no sábado, o que é um tanto exagerado. Ela leu o contrato? Tava previsto aulas no sábado? Ela não tinha a opção de mudar de escola? Ainda não tem?

A escola não está impedindo ela de participar dos estudos, mas forçá-la a mudar seu calendário já é sacanagem. Seria o mesmo que a adventista tivesse tentando forçar aquele restaurante a não funcionar aos sábados, ou que ao dar desconto somente aos sábados para todos os clientes que ali aparecessem estivesse automaticamente discriminando contra os adventistas. Ou um muçulmano forçando o restaurante a não vender carne de porco.

Ser adventista é uma escolha pessoal. Não trabalhar aos sábados é uma escolha pessoal. É um sacrifício que se faz em nome de Deus, representando a criação do mundo. Que diabo de sacrifício seria esse se não houvesse um sacrifício?

Você até pode dizer "bom, é só dar a prova pra ela fazer um dia antes ou na segunda". O problema aí é que a prova precisa ser dada a todos os alunos ao mesmo tempo, para evitar fraudes. Se ela fizer a prova um dia antes ou dois dias depois, essa prova precisaria no mínimo ser diferente, implicando em trabalho dobrado para a instituição. Ou ela poderia ficar "detida" esperando pra fazer prova à noite, forçando hora extra aos funcionários.

Porra, quem tem que fazer o sacrifício não é ela?
_Quem falou que poderia copiar o que escrevi?
_Crie o seu próprio texto ao invés de copíar o dos outros.
Anônimo disse…
Liberdade de culto não é empurrar sua fé goela abaixo dos outros. Agora, enquanto o direito for guiado pelo jusnaturismo, esse pessoal tem chance de fazer essas merdas... Depois me criticam quando digo que dieito é conto da carochinha, e só serve para livrar rico e f*der pobre.
Wagner disse…
Me parece haver um equívoco dos comentaristas. Ela não quer obrigar todo mundo a não fazer provas sábado.
Ela quer ter o direito de fazer as provas outro dia que não sábado. Só ela.

Estou certo?
WillPapp disse…
O inciso VIII do art. 5ª da Constituição diz o seguinte:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

Quando se fala em “obrigação legal a todos imposta” , não se está falando de situações pontuais, ao contrário: está se falando em situações gerais, situações que abrangem a TODAS as pessoas. Há universidades laicas, confessionais e semiconfessionais. A aluna em questão tem toda liberdade de escolher em qual tipo de universidade quer estudar; e deve se adequar às exigências e particularidade inerentes à universidade escolhida. Há faculdades adventistas no Brasil e a digníssima aluna mato-grossense poderia se matricular em qualquer uma delas. Eu faço Letras, sou ateu e estudo numa universidade adventista aqui em São Paulo que, além de não ter aulas aos sábados, também, não funciona às sextas-feiras à noite; e eu estudo à noite. Teria eu o direito de exigir que a faculdade na qual eu estudo mudasse as suas regras só por que eu quero?
Anônimo disse…
Vc é ateu! os adventista sabem? Não quieseram te converte?
WillPapp disse…
Anônimo11 de julho de 2012 11:42

O importante é não atrasar a mensalidade e tirar boas notas. That's it.
Dúvida disse…
Um elefante é mais pesado que um homem ou um elefante é mais pesado que um homem perante a lei?
Osga Malandra disse…
É lamentável uma situação dessas. Mentes limitadas.
Anônimo disse…
Fazer provas em dia de sábado não é ilegal. Portanto, eles que se conformem e deixem de ser vagabundos de sábado.
Dúvida disse…
Por um fim como?
Nika Pinika disse…
ahahahahahaha... São Vagabundis... eu lembrei do "cacildis" do Mussum.
Nika Pinika disse…
A justiça pode obrigar um estabelecimento privado a privilegiar uma única aluna de uma única religião?
Pow, pq as pessoas sabem alardear seus pseudo-direitos mas não sabem cumprir seus reais deveres?
WillPapp disse…
Dúvida11 de julho de 2012 12:51

As coisas são o que são e é com elas que a lei trabalha.
Acho que a garota tem o direito de guardar o sábado, desde que por sua conta. Na minha faculdade eu posso mudar o dia da prova se pagar R$80,00 de taxa por uma prova especial. A universidade tem que ter liberdade no oferecimento de seus serviços o o consumidor destes que escolha a universidade que lhe for conveniente e não tornar conveniente a que ela quer. Mas isso parece muito mais aquela síndrome dos recém convertidos de sentir necessidade de dizer: "Olha pra mim!!! Sou um cristão renascido!!! Aceitei G-zuis". Essa mania por atenção é doentia.
Anônimo disse…
Sua mente ateia esta tão cauterizada que nem leu direito a materia.Ela não quer mudar pra todos o dia,mas só pra ela!
Anônimo disse…
Hum... a Lagartixa não gosta e fica nervosinha ao ouvir suas próprias asneiras contra si mesma! kkkkkkkkkkkk
Lia de Souza disse…
Sim, só ela, e pelo jeito criar precedentes para os demais adventistas, porque a mudança não poderia ser personalíssima, individual. Se bem que da Justiça no Brasil de pode esperar de tudo. Aqui, em SC, o TJSC, contrariando o que está na lei sobre autorizar casamentos civis entre menores de idades, ignorou os critérios para a exceção, critérios que valem para todos ( valiam...) e autorizou um casamento em função da natureza religiosa dos requerentes. Vai daí...Por onde passa um boi, passa uma boiada...

E, no caso do post, os professores darão a mesma prova ou terão de fazer uma especial para evitar que ou ela pegue as respostas com quem já fez ou os demais peguem as respostas da prova dela, imaginando aqui que a dela, então seja antes do sábado em questão para os demais?

Fazer provas especiais ou usar a mesma. Ela paga pela prova especial?

Imagino se um deles,adventistas, for trabalhar num lugar que use tanto as sextas-feiras à noite quanto os sábados como hora de trabalho! Se for hospital, vai se recusar a fazer plantão nesses dias? Numa escola, professor adventista vai ter horário especial? vai jogar as aulas dos outros para os sábados para que o 'adventista' tenha sua religião respeitada? Olhe, queria eu ter uma empresa com atividades aos sábados, um comércio simples que fosse, para ver se adventista ia se recusar a trabalhar aos sábados...
Wendell disse…
Primeiro que no caso do Restaurante é apenas uma promoção para atrair mais clientela nos domingos à noite, assim como existem outras promoções para outros grupos sociais em outros dias da semana.

Além do mais, ninguém é obrigado a ser religioso para conseguir um desconto. Basta passar em uma das muitas igrejas e sinagogas da região e pegar um boletim de graça, na porta, sem nem precisar entrar no templo. Mesmo se fosse preciso entrar no templo, isso não tornaria a pessoa religiosa.

TODO desconto tem como alvo um grupo específico de pessoas. Se eu não faço parte do grupo específico, procuro outra promoção...

O caso é semelhante sim. Ambos estão errados.
Wendell disse…
Eu me lembrei aqui de outro caso: O caso da estudante lésbica que foi expulsa do colégio adventista.

Ora, o caso é muito semelhante. A regra do colégio diz que o namoro é proibido. E ela quebrou a regra e foi expulsa. Ela reclamou de discriminação. Mas tanto casais heterossexuais como casais homossexuais eram proibidos de namorar e anteriormente já houve casos de expulsão de heterossexuais pelo mesmo motivo.
Wendell disse…
Além de corroborar com a opinião do Rodrigo César Dias, que relata semelhanças deste caso com o caso do desconto no restaurante nos EUA, que é um comentário que todos aqui devem ler, e de lembrar do caso da estudante lésbica que foi expulsa do colégio adventista por desobedecer a regra explícita de proibição de namoro, quero lembrar o seguinte:

Quando a constituição fala de obrigação legal a todos imposta, ela está falando de leis do Estado e ainda cita "e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei".

Não fala nada sobre regras internas. O comentário de Mauri Zelindro Junior (11 de julho) é muito pertinente.

De qualquer forma ela é uma consumidora e poderia simplesmente mudar de instituição.
Wendell disse…
Muitos dos leitores do blog frequentemente reclamam do preconceito por serem ateus, preconceito contra as minorias, etc.

Mas aqui no blog tenho observado um enorme preconceito por parte de uma minoria de leitores através de comentários lamentáveis.

Termos como "São Vagabundis", "Será que esse pessoal cag.a nos sábados", "povim vagabundo", foram usados...

A religião cristã de uma maneira geral tem um dia de descanso definido: o Domingo. Nem por isso as pessoas que não trabalham no domingo são taxadas de vagabundas ou preguiçosas.

A diferença é que os adventistas fazem questão do sábado, (inclusive, quando possível, repondo as horas no domingo ou durante a semana) e tem mais restrições em relação ao sábado do que os outros cristãos têm em relação ao domingo.

Excêntrico, diferente, sim. Você discorda deles? Eu também discordo. Mas chamar de vagabundo é de uma ignorância tremenda.
Wendell disse…
Lia de Souza, pesquise a respeito do assunto. A Igreja Adventista mantém hospitais e colégios internos. Garanto que no sábado nem os pacientes dos hospitais ficam sem atendimento nem os alunos dos colégios internos ficam sem comida.

Porque? Os adventistas de abstêm de atividades seculares durante o sábado. Atividades permitidas são:
1) Atividades religiosas e de caridade
2) Atividades essenciais à vida e à saúde.

Se você tivesse um comércio simples, e uma adventista aparecesse, se ele realmente fosse fiel, ele tentaria convencer você e se não conseguisse, tentaria arrumar emprego em outro lugar. Simples assim.

Loucura? Talvez... afinal a fé muitas vezes não costuma ser racional. Mas a fé deles é essa.
Wagner disse…
Apoiado Wendell. Em prol da melhoria do nível dos comentários no blog, que é um primor de jornalismo.
WillPapp disse…
Entendo e discordo.

Embora, seja deselegante comentários do tipo que foram apresentados pelo Wendell, é necessário respeitar a liberdade de expressão e, além disso, compreender as limitações intelectuais e escolares de cada um.
Anônimo disse…
Wendell, sou ateu e concordo com você, não vejo qual a necessidade de ofender ou ridicularizar. Mas você já deve ter notado o nível de certos trolls, inclusive cristãos, que comentam aqui, então vale pra todos essa crítica.
Anônimo disse…
Pois é, mas essa parte da Bíblia ela "pulou"...
Direito Homoafetivo disse…
Um conselho:

Tente um caminho mais prático, seguro e fácil. Alegue que você é homossexual e está sofrendo "discriminação homofóbica".

Terá mídia, políticos, Ministério Público, OAB, tudo a seu favor, e suas chances de se dar bem e de ferrar seus inimigos aumentarão significativamente.
Anônimo disse…
Veja Bem, a mulher se recusa a fazer provas de sabado e prejudica todo o resto da turma e o titulo de intolerante fica para a Universidade? Que falta de criticidade, eu queia saber quando ela se formar como ela vai fazer se for convocada pra trabalhar de segunda a sábado? Vai entrar na justiça por intolerância também?
Alguém avisa essa senhorita que ela vive no mundo capitalista e não no paraíso adventista. É muita cretinice e infantilidade pra uma pessoa só!!!
Se eu fosse o professor eu dava prova de sábado e se ela faltou o azar é o dela, que pague por outra prova, não posso prejudicar outros alunos por uma decisão dela, a responsabilidade da falta é dela e não da Universidade! Essa vai sofre na vida!!!!
Anônimo disse…
Todo anônimo é um bosta
manoel mendes disse…
liberdade religiosa, democracia-cristã
Anônimo disse…
desculpa mas noss ademocracia não é cristã é laica aqui todos são aceitos =p
Anônimo disse…
mas vem ká em, a sociedade é obrigada a se cruvar a crença aleia só pq todos tem liberdade de crer o não. creio q não.
Dúvida disse…
Manoel Mendes, por um fim nas religiões, dando liberdade às religiões?
Dúvida disse…
O que fazer com uma bosta?
Dúvida disse…
Um time de futebol crê que vai ganhar do outro e quem é que ganha?
Anônimo disse…
Essa daí eu apóio!!! pra alguma coisa esses adventistas servem!!!
valy disse…
Ela podia ter pedido para que deixassem ela ter feito uma segunda prova,mas não,quer dinheiro,que melhor com escrúpulos, invés de pensar no futuro emprego dela,pensa em dinheiro,irá ser uma excelente advogada,com certeza.
valy disse…
Dos comentários que eu geralmente leio aqui, os ateus falam mais é que os cristãos e evangélicos reclamam que são perseguidos,mas na verdade eles perseguem muitas outras religiões e ateus,sendo que alguns crentes definem ateismo como religião.
Anônimo disse…
e muito facio jugar as pessoas, escrever besteiras. porem um dia muito proximo vocês verao a grande ruina deste mundo. Leis de homens sao falhas, mais a lei de Deus e verdadeira e eterna. e so aguarda.
Anônimo disse…
Para esclarecimento de muitos que estão discutindo religião.Se a faculdade é laica, deveria respeitar todas as religiões.Com relação a essa faculdade, quando entramos no 1º semestre não tem aulas aos sábados, somente a partir do 8º semestre que começaram, por isso fica inviável passar para outra faculdade por causa da grade que é bem diferente, não é informado isso. Também, a segunda chamada por incoerência da instituição é aos sábados.Tratem os iguais na sua igualdade e os desiguais na sua desigualdade.Nós os Adventistas, não estamos querendo que aceitem nossa religião, mas que apenas respeitem.
Anônimo disse…
Quanta ignorância LEX
Anônimo disse…
Que falta faz um estudo na vida heim Tarcíso, antes de criticar, informe-se.
Anônimo disse…
Valy, vc fz comentários mas nem se informa.Se informa primeiro.
Anônimo disse…
Ela conseguiu, colou grau já.
Anônimo disse…
Nossa, que lição de sabedoria Wendell.Parabéns!!
Mariesi disse…
Não estou obrigando a instituição a não dar provas aos sábado, apenas estou pedi que me concedam fazer a prova e a matéria em outro dia. Nos semestres passados fiz as provas em segunda chamada, que eram em outro dia, e paguei para isso,mas nesse semestre mudaram e não havia mais essa possibilidade. Portanto para que eu colasse grau com meus colegas fui obrigada a recorrer à justiça. Quando entrei não haviam aulas aos sábados, porém a partir do 8º semestre que começou a ter, e trocar de faculdade no 8º semestre seria ruim, pois a grade é bem diferente.O coordenador mentiu na entrevista. Não estou querendo que sejam obrigados a engolirem minha religião, apenas que respeitem minha opção. Havia uma aula não presencial dessa matéria que eles poderiam ter me disponibilizado, mas se recusaram, pois reprovar é mais rentável. Só espero que vcs se informem antes de criticarem, para que não façam que pessoas entendam o que na verdade não é..Se quiserem mais informações poderei dá-las. Ah, e para a informação de vcs,colei grau no dia 23/08/2012. No Brasil ainda existem juízes que defendem os direitos humanos preceituados na Constituição Federal...
Mariesi disse…
Não estou obrigando a instituição a não dar provas aos sábado, apenas estou pedindo que me concedam fazer a prova e a matéria em outro dia. Nos semestres passados fiz as provas em segunda chamada, que eram em outro dia, e paguei para isso,mas nesse semestre mudaram e não havia mais essa possibilidade. Portanto para que eu colasse grau com meus colegas fui obrigada a recorrer à justiça. Quando entrei não haviam aulas aos sábados, porém a partir do 8º semestre que começou a ter, e trocar de faculdade no 8º semestre seria ruim, pois a grade é bem diferente.O coordenador mentiu na entrevista. Não estou querendo que sejam obrigados a engolirem minha religião, apenas que respeitem minha opção. Havia uma aula não presencial dessa matéria que eles poderiam ter me disponibilizado, mas se recusaram, pois reprovar é mais rentável. Só espero que vcs se informem antes de criticarem, para que não façam que pessoas entendam o que na verdade não é..Se quiserem mais informações poderei dá-las. Ah, e para a informação de vcs,colei grau no dia 23/08/2012. No Brasil ainda existem juízes que defendem os direitos humanos preceituados na Constituição Federal...
Max disse…
Mariesi,

A coisa só mudou no oitavo semestre?

Estranho.
Mariesi disse…
Sim Max...Não havia aula no sábado até o 8º semestre..No portal da faculdade não há a informação do dia das aulas somente a matéria...Se vc quiser verificar é só entrar no portal na faculdade...www.univag.com.br....Em Cuiabá tbm não há uma faculdade adventista...Pq sou adventista nunca poderei mudar de vida??? O artigo 5º preceitua que todos somos iguais perante a lei e que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;Eu não me eximi, apenas pedi uma alternativa e eles tinham uma aula não presencial na quarta-feira dessa matéria, faltou bom senso por parte da instituição.
Anônimo X disse…
Mas você e todos os outros se curvam Lunna.

Ex: Natal, dias santos, copa do mundo etc.

Obs: não sou adventista
Anônimo X disse…
Mas você e todos os outros se curvam Lunna.

Ex: Natal, dias santos, copa do mundo etc.

Obs: não sou adventista
Leonardo Rocha disse…
é as leis dos homens são falhas...
por isso tentamos melhorá-las conforme o tempo passa.
Já a lei de deus, que exige coisas absurdas como genocídios, assassinatos, incesto, sacrifícios animais e tratar a mulher como um ser inferior não é uma lei digna do ser humano, pois ela vai contra sua natureza. A unica lei digna de ser seguida é a regra de ouro: "Ame ao próximo como ama a ti mesmo".
o resto é apenas maneiras diferentes de como se deve adorar deus e o ponto de vista metafísico dos povos que seguem a religião.
Sandro Antonio disse…
KKKKKKKKKKKKKKK


é cada coisa...

Sandro Antonio disse…
Bom... parece que a escola poderá 'rescindir' o contrato, já que não pode ofertar aula em outro horário....
Pague-se a indenização correspondente, e que a escola trate de melhorar a letra dos próprios contratos...
kkkkkkkkkkkkkkk

Adailton Pirôpo disse…
O que ela está fazendo numa faculdade que não pertença a igreja dela ? A rede de escola privada adventista já deveria ter pensado nisso para ampliação de seus negócios e oferecer curso superior a membros dessa igreja.

-------- Busca neste site