Bispo afirma que família deve exigir ensino religioso nas escolas

bispo Tarcísio Scaramussa
Bispo disse que o ensino
é completo da catequese
Dom Tarcísio Scaramussa (foto), bispo auxiliar de São Paulo e membro da comissão da CNBB que trata do ensino religioso, disse que a família de católicos têm de exigir essa modalidade de ensino nas escolas.

Ele afirmou que, como o ensino religioso é facultativo, há escola que às vezes não pergunta aos pais se desejam matricular seus filhos para ter essas aulas. “[E a escola] depois pode alegar que não há alunos matriculados e interessados na matéria.”

Para o bispo, o ensino religioso é importante porque “ajuda a pessoa a situar-se no mundo, em suas relações consigo mesma, com os outros, com o mundo, e com Deus”.

Além disso, segundo ele, essa modalidade de ensino “oferece referências para as escolhas da vida, para a identidade pessoal e a descoberta do sentido da vida”.

Ele disse que o ensino religioso deve ser um complemento da catequese. Aquele cuida da “assimilação sistemática e crítica da cultura” e esta se dedica ao “aprofundamento e amadurecimento da fé”.

O que Scaramussa afirmou sobre ensino religioso difere do entendimento de entidades seculares, para as quais a matéria tem de se dedicar a apresentar a história das religiões, e não fazer proselitismo de uma crença ou de outra, porque a Constituição determina que o Estado seja laico.

Com informação do site da Canção Nova.

Entidades querem que Supremo imponha limites ao ensino religioso.
março de 2012

Religião no Estado laico.

Comentários

  1. Que se queira trabalhar a matéria `religião`como objeto do pensamento reflexivo, tudo bem. Mas ler a Bíblia com a intenção de fazer apologia de uma religião, não é a escola o lugar adequado. Ao justificar o ensino religioso na escola, diz o bispo que "ajuda as pessoas a se situar no mundo". Ora, a filosofia, por exemplo, bem como a sociologia e a história servem melhor a essa função, se o que se entende por "situar-se no mundo" a assunção de um posicionamento crítico pelo cidadão diante da sua sociedade. A religião, ao contrário, presta, nesse tocante, um desserviço. Religião poderia ser um tópico em aulas de história, por exemplo.

    ResponderExcluir
  2. E sempre querendo atacar as crianças que não tem defesa nenhuma contra estes bichos papões da cristantade.

    ResponderExcluir
  3. "O que Scaramussa afirmou sobre ensino religioso difere do entendimento de entidades seculares, para as quais a matéria tem de se dedicar a apresentar a história das religiões, e não fazer proselitismo de uma crença ou de outra, porque a Constituição determina que o Estado seja laico."

    Não vi o bispo dizer que o ensino religioso deve fazer proselitismo de uma crença ou outra.

    Esse último parágrafo foi acrescentado de forma maldosa ou, quem sabe, por um analfabeto funcional.

    Gostei!!!
    Afinal, guerra é guerra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele falou de aproximação com Deus, portanto está falando do deus cristão e não de Alá ou o Monstro de Espaguete Voador. Portanto está fazendo proselitismo sim. Ponto.

      Nem acho que é tanto pelo estado ser laico pela constituição, já que é possível modificar a constituição e fazer o estado deixar de ser (como querem vários grupos políticos). Neste caso proselitismo passaria a ser algo bom?

      Família, que familia? Mesmo familias compostas por pessoas não-religiosas? Ou familias muçulmanas deveriam exigir o ensino do islamismo? Este é o problema com a maior pate dos religiosos: acham que sua religião é a única do mundo. Nem dá pra apelar para números, pq o islamismo está crescendo e não será surpresa se superar o número de católicos em poucos anos.

      Excluir
  4. Eu sim,tive ensino religioso! aprendemos do Animismo ao ateismo, para não sermos ignorantes a nenhuma religião.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Por que a justiça brasileira não bota na cadeia os bispos pedófilos???

    ResponderExcluir
  7. Ensinem religião nas escolas, as crianças vão questionar os seus responsáveis, vão ficar descrentes, fazer perguntas no "estilo criança". Daí vão pedir a cabeça ou que a religião seja ensinada da forma x.

    Em todos os níveis as escolas devem pensar a religião, pois ela faz parte do mundo e a escola deve ensinar o mundo.

    ResponderExcluir
  8. Ensino religioso? Até q concordo, vamos ter aulas de TODAS as religiões existentes (sendo imparcial e laico) e incluíndo religiões antigas (como a visão grega e egípcia, aliada com a história).
    Pelo menos não escutaremos bobagens (pela falta de conhecimento) como "ateísmo é uma crença", "Buda é o deus dos budistas" e "Minha crença é verdadeira, o resto é do demônio".

    ResponderExcluir
  9. É difícil definir o que é "ensino religioso". Se for, tipo, história das religiões, caberia, então, na aula de história. Se for proselitismo cristão, aí eu sou totalmente contra em escolas públicas. Em escolas confessionais, não digo nada.

    ResponderExcluir
  10. Se fosse um ensino religioso que mostrasse todos os tipos de religiões, desde os Wiccas aos Satanistas Teístas, sem preconceitos, apenas com o intuito de mostrar e apresentar de forma didática tais religiões, eu concordaria.

    ResponderExcluir
  11. Vamos ensinar evolucionismo nas igrejas!!!

    ResponderExcluir
  12. boa ideia sr bispo. vamos ensinar às nossas crianças suas reais origens e raizes, de onde realmente veio toda nossa cultura e civilização - dos gregos e romanos, paganíssimos. }|D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não apenas dos gregos e romanos, senhor Pagão, que mostre a cultura religiosa de forma didática sobre todos os povos.

      Excluir
  13. Vamos ensinar Darwin nas aulas de catequese. Vamso ver se eles gostam....

    ResponderExcluir
  14. Scaramussa, vai fazer um fandango e para de meter o bedelho em coisas que não te dizem respeito. Falando em respeito, seu bispo, respeite a laicidade do Estado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário