Revista destaca a importância da internet na mobilização dos ateus

Título original: Os ateus se organizam

por Rodrigo Cardoso, da Istoé

Os ateus brasileiros têm no universo virtual uma espécie de igreja online. É ali onde o conglomerado de pessoas que negam a existência de Deus se sente à vontade para professar o desapego às religiões, manifestar os porquês de não seguir nenhuma delas e trocar ideias com outras pessoas na mesma condição.

Minoria em uma sociedade crente como a nossa – os ateus fazem parte do grupo demográfico definido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) como sem religião, do qual fazem parte também agnósticos e crentes sem religião, e representam 6,7% da população brasileira –, eles preferem esse canal de comunicação uma vez que, em público, ainda estão sujeitos a críticas. Duas ações, uma no Brasil e outra em Londres – onde um templo ateu deverá ser erguido até o ano que vem – pretendem pôr fim à solidão físico-intelectual desse grupo.

No domingo 12, está marcado o 1º Encontro Nacional de Ateus. Cerca de três mil pessoas estarão reunidas simultaneamente em 21 Estados e no Distrito Federal. “Precisamos sair do armário, mostrar que somos bons filhos, pais, que a moralidade independe de uma crença”, diz a estudante gaúcha Stíphanie da Silva, citando uma expressão utilizada na luta pelos direitos civis dos homossexuais. Aos 22 anos, ela é membro da Sociedade Racionalista, que organiza a ação. “O intuito principal do evento é conhecer uns aos outros e organizar a nossa força.”

Soa paradoxal, porém, ateus militantes se reunirem para defender um ceticismo contra fé, religião e deuses. Agindo dessa forma, argumenta o professor Edin Abumansur, do departamento de ciências da religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), o ateísmo se torna uma opção de crença, a da negação, à disposição dos que procuram coisas para acreditar, no caso, que Deus não existe.

Apesar de contraditório, os brasileiros estarão seguindo à risca, com essa movimentação, a cartilha do britânico Richard Dawkins, espécie de guru dos ateus, autor de “Deus, um Delírio”. Zoólogo, ele exorta seus pares, historicamente estigmatizados, a se assumir e encampar publicamente um debate intelectual.

No século XIX, porém, a fé na ciência e na razão já pautava as discussões nas igrejas positivistas, principalmente na França, terra natal de Auguste Comte (1798-1857). Um dos pais da sociologia, ele propunha uma nova religião baseada não em uma crença, mas na capacidade humana. “Crer no homem e na sua racionalidade justifica uma militância ateísta”, afirma o professor Pedro Paulo Funari, do departamento de história da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Fora do Brasil, no entanto, ateus famosos parecem não falar a mesma língua. Dawkins criticou publicamente o filósofo suíço Alain de Botton, autor de “Religião para Ateus”, que anunciou a construção de um templo ateu no centro financeiro de Londres. “Ateus não precisam de templos, é um desperdício de dinheiro”, afirmou o zoólogo. 

O projeto do espaço, que terá 46 metros de altura, foi encomendado por Botton ao arquiteto Tom Greenall. Segundo o arquiteto, o templo representará a história da vida na Terra. “Cada centímetro equivale a um milhão de anos de vida”, diz Greenall.

O filósofo – que pretende começar a levantar a construção no ano que vem, após a autorização da prefeitura – defende em seu livro que os ateus não devem fechar os olhos para as religiões, mas aprender com aquilo que elas têm de bom.

“Isso (a construção) poderia significar um templo ao amor, amizade, tranquilidade e perspectiva”, diz Botton. “O ateísmo de Richard Dawkins ficou conhecido como uma força destrutiva, mas há pessoas que não acreditam (em Deus) e não são agressivas contra outras religiões.”

Não é o que ocorre no Brasil. A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea), por meio de uma pesquisa com seus cerca de 3,5 mil membros, descobriu que 90% deles consideram a religião um mal. Um claro efeito rebote da hostilidade crescente patrocinada por alguns religiosos.

Presidente da Atea, o engenheiro civil Daniel Sottomaior, 40 anos, faz troça da proposta de Botton, a quem se refere como um agente duplo infiltrado no movimento. E apoia com ressalvas as reuniões de ateus no Brasil. Para ele, à medida que eles conseguirem se colocar na sociedade sem medo, a necessidade de se encontrarem cairá drasticamente. “Afinal, não temos nada em comum: há gays, heteros, gente de esquerda, de direita”, diz Sottomaior. 

O engenheiro explica que, nos países nórdicos, com altas taxas de ateus, eles não se organizam, porque não precisam. “Por que pessoas que não acreditam em saci-pererê, por exemplo, teriam de se organizar?” Lutando pela causa juntos ou cada um por si, os brasileiros descrentes têm muito trabalho pela frente.

Mais sobre o encontro   Ateus brasileiros famosos   Ateísmo

Leonardo Boff escreve que Twitter não é lugar para discutir ateísmo
fevereiro de 2012

Comentários

  1. Com certeza, os ateus brasileiros tem muito trabalho pela frente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. claro, afinal brasileiros são burros, ateu ou não

      Excluir
  2. Amanhã eu estarei lá. Não faço idéia de quantas pessoas de Santa Catarina irão ao encontro, mas eu irei. Se isso vai ter algum impacto ou não, não sei ainda. Mas vou fazer a minha parte para, quem sabe, mudar alguma coisa.

    ResponderExcluir
  3. Como sempre, reportagem tendenciosa, cheia de metáforas religiosas para descrever os ateus: "uma espécie de igreja online", "espécie de guru dos ateus", "fé na ciência e na razão"... E muitos ateus contribuem com isso quando dizem que ateísmo é uma crença ou querem construir templos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou de disse. Sempre tentando associar a visão religiosa no ateísmo, ou, tentando colocar um hexágono numa abertura em formato de losango......¬¬

      Excluir
    2. Agora precisamos de eleger, cardeais e bispos para esse igreja. Quem se habilita???

      Excluir
  4. Concordo com Cassionei Petry: as metáforas religiosas para descrever os ateus ("uma espécie de igreja online", "espécie de guru dos ateus", "fé na ciência e na razão") são um vício comum dos que tentam enquadrar e fazer da descrença uma religião. Então sou da religião "não-saci-perereísta"? Pelo raciocínio indicado no artigo, se não acredito no Saci Pererê, sou dessa "religião", dessa "crença": Saci Pererê não existe.

    Sei que há os que defendem não crença como crença, paciência. Ateísmo é bom até nisso: é livre de dogmas, e não temos que aceitar o pensamento/ensinamento do outro sem crítica.

    Porém, discordo do meu presidente quando ele diz: “Afinal, não temos nada em comum: há gays, heteros, gente de esquerda, de direita”. Ora, essa é a grande vantagem! No meio de tanta diversidade, temos em comum a descrença e somos vítimas constantes dos assaltos que religiosos fazem ao Estado Laico.

    Trabalho na rede de educação das três esferas (Federal, Estadual e Municipal), e tando na escola estadual quanto municipal (na Federal o laicismo é mais forte) há crucifixos e/ou imagens de Cristo.

    Temos essa luta em comum.

    ResponderExcluir
  5. “Afinal, não temos nada em comum: há gays, heteros, gente de esquerda, de direita”, diz Sottomaior.

    Vou dar uma de Eli Vieira, agora, e criticar essa frase do Sottomaior. Há muitas coisas em comum:

    a) a não crença na existência (ou crença na não existência) de deuses (percebam que a partícula negativadora apenas mudou de posição);

    b) um ambiente social que isola ateus e agnósticos;

    c) a associação de políticos ambiciosos e líderes religiosos, igualmente ambiciosos, no uso indevido da coisa pública e

    d) A necessidade de um novo sistema de vida, que promova a comunhão entre os seres que vivem neste planeta, que ensine sobre amor, compaixão e paz, tudo isso por nossa vontade e nosso entendimento do que é bom e não porque um deus quer assim.

    Então, Deus é o motivo mais irrisório desses encontros. Questões políticas, educacionais, doutrinárias, disposições pessoais e outros aspectos logo vão ser enfeixados num movimento organizado, que vai varrer a Terra, despertando milhões de mentes.

    Já está acontecendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. -- Eu creio na inexistência do Deus Buraco dentro do copo vazio!
      -- Ah, se você nega, é porque existe...

      Outra vez isso!

      De acordo com o materialismo, só se comprova a existência de matéria e energia, e em quantidades constantes. O universo pode ser só uma projeção? Bem, ninguém comprovou isso ainda. Mas o projetor é inteligente? NÃO, TODO MUNDO SABE QUE PROJETOR TEM SÓ UMA LÂMPADA! PROJETOR NÃO TEM CÉREBRO PARA SER INTELIGENTE!

      Excluir
    2. Ateísmo é a CERTEZA de que nada sobrenatural existe.

      Excluir
    3. Ou seja, uma crença, uma fé! E viva a instituição da igreja atéia. Mas quem será o "papa" dessa nova religião?

      Excluir
  6. Texto horrendo, idéias equivocadas e tendenciosas, coisa de alguém que não sabe do que está falando. Péssimo, um deserviço aos ateus e agnósticos. Mas era de se esperar de uma revista da grande mídia.

    ResponderExcluir
  7. Querem transformar Ateísmo em religião!
    Não serei mais Ateu!

    "Deus" me livre! rsrs

    ResponderExcluir
  8. Creio ser um equívoco supor que um encontro de ateus possa favorecer à formação de uma forma de religião, pensar assim é distorcer o conceito de religião. Ora, a força de uma minoria depende de que seus membros se organizem, depende que o grupo exiba coesão. Aos setores dominantes, interessa que a voz da minoria ecoe sempre dispersa, como fagulhas de isqueiro. Também discordo do professor que julga ser o ateísmo uma opção de crença. Aqui há um problema ligado ao sentido da palavra 'crença'. Ele deveria saber que as palavras mudam de sentido de acordo com a formação discursiva em que aparecem. No discurso religioso, 'crença' é confiar na verdade de algo sem ter provas, evidências'. A crença é cega. Se cremos na "inexistência de Deus" (do que discordo que seja uma crença), estamos, ao menos, dizendo que acreditar que deus não existe é mais plausível que acreditar que ele existe, pois a crença na inexistência conta com a falta de evidências para a existência. O ônus da prova recai sobre os religiosos, não sobre os ateus. Ora, não penso que advogamos uma crença na inexistência de deus, nós argumentamos no sentido de fazer ver que a crença na existência de deus é absurda.

    E mesmo que alcancemos mais aceitação nesta sociedade, quem disse que os encontros tenham de ser motivados apenas por aquilo de que comungamos? Não se trata de formar uma nova religião - fique claro, mas de mostrar aos desavisados que o ateísmo não é modismo de jovens rebeldes ou de intelectualóides da esquerda da nossa era moderna, mas tão antigo quanto as divindades que adoram. Ou supõem eles que o Deus de Abraão ou de Jesus teve acolhida unânime entre os homens? Eles só conheceram (e muito mal, diga-se de passagem) um lado da história. É preciso mostrar-lhes que o direito de dizer "não, deus não existe" é tão legítimo quanto o contrário. Que culpem o deus por nos dar este poder, então!

    ResponderExcluir
  9. Porra fé na não crença?


    ah para

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu sou religioso e também fiquei bobo com essa afirmação... não esperava esse "fogo amigo" entre os ateus rs.

      Excluir
  10. RELIGIOSOS EM GERAL, ESTÃO TREMENDO DE MEDO.
    Sua posição hegemonica esta abalada, e não tardara a ruir, a verdade vencera. Da religião e seus proceres, nao tirarão recursos para manter suas vidas abastadas. Pobres ignorantes manipulados e tolos, não terão suas bengalas mitologicas para se apoiarem. Ateus finalmente serão a maioria, e a idade da luz e da verdade voltara completando seu ciclo virtuoso.A verdade não precisa de templos, não precisa de mantras, não precisa de rezas. A verdade precisa de inteligencia, curiosidade, duvida, coragem e empenho construtivo. Jamais precisara de mentirosos pregando a exaustão seus contos ficcionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Tudo isso será alcançado daqui a uns... deixa eu ver... 200 anos... quando o grupo de vcs tiver crescido um pouquinho mais, para começar então, a colocar medo nos milhões de religiosos desse grande pais.

      Excluir
  11. O ateismo(a não crença em deus deuses) é abominável pra muita gente, a idéia de não existir nenhum deus e a vida ser o fim de tudo, e de fato é se torna muito atormentador para muita gente as pessoas precisam desse apoio dessa muleta mesmo que seja absurdo, as pessoas preferem acreditar num deus ou forças superiores mesmo tudo isto sendo apenas alusões da mente.

    ResponderExcluir
  12. Acho perturbador que os ateus tenham realmente se incomodado pela matéria ter dito "espécie de igreja online" e "fé na ciência e na razão". Ah, fala sério, que medo inútil das palavras fé e igreja! Isso foi, no máximo, um erro de expressão do autor do artigo acerca dos significados dessas duas palavras - que, diga-se de passagem, são subjetivos. Na visão de quem desconhece o movimento, essas expressões dão uma noção (nem positiva e nem negativa) do que se trata. No geral, o autor tentou ser imparcial e eu, sinceramente, acho isso muito bom, visto a tendência dos jornalistas de serem parciais contra o ateísmo, que, em geral, mostram apenas a opinião de bispos, padres e pastores e não a dos ateus.

    ResponderExcluir
  13. Louvado Seja Ashtar Sheran Amém

    ResponderExcluir
  14. Alguém poderia me informa por favor onde será reliazado o encontro em Porto Alegre!?

    Decidi de última hora que vou, só pra mata minha curiosidade, pois nunca me encontrei com outros ateus, pelo meno não um grupo grande, em toda minha vida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rio Grande do Sul

      Organização : Stiphanie da silva

      Local : Parque Farroupilha (Redenção)-Porto Alegre
      Mapa: http://binged.it/xtZkod

      Horário: 4 :00 PM

      Contato: https://www.facebook.com/events/229830877099838/


      Mais informações no site do encontro: http://ena.sociedaderacionalista.org/

      Excluir
  15. Os religiosos vão tremer de medo:
    "Cerca de três mil pessoas estarão reunidas simultaneamente em 21 Estados e no Distrito Federal."
    OU seja, menos de 150 pessoas por estado.

    A fase do professor Pedro Paulo Funari seria hilária,
    se não fosse trágica. hilária:

    “Crer no homem e na sua racionalidade justifica uma militância ateísta”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri de rir aqui huahuahuahuahuahua 150 pessoas em cada estado huahuahuahuahua

      Excluir
  16. Gustavo
    "medo inútil das palavras fé e igreja!"
    Medo?

    "Na visão de quem desconhece o movimento, essas expressões dão uma noção (nem positiva e nem negativa) do que se trata."
    Ele exagerou no uso. Um bom jornalista dosa as expressões.

    "o autor tentou ser imparcial"
    Se tentou, não conseguiu, até porque fez questão de apontar "contradições" dos ateus. Típico de quem quer agradar aos crentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cassionei Petry

      >> "Medo?"

      No mínimo, aversão. É a impressão que eu tive.

      >> "Ele exagerou no uso. Um bom jornalista dosa as expressões."

      Exagero?

      >> "Se tentou, não conseguiu, até porque fez questão de apontar "contradições" dos ateus. Típico de quem quer agradar aos crentes."

      A meu ver, ele apenas apontou os diferentes pontos de vista entre os ateus. Isso até o Paulo Lopes fez :) e, pra mim, isso é uma qualidade no movimento ateísta, pois mostra liberdade de pensamento.

      Excluir
    2. Aversão é diferente de medo. Pelo visto, tu tens os mesmos problemas que o autor da matéria com as palavras.
      Mostrei que foi exagero, não precisava tantas comparações com expressões religiosas. Foi tentativa, nas entrelinhas, de mostrar o ateísmo como religião.
      As contradições de que falo não foram as opiniões diferentes mostradas, mas sim quando ele escreve "Soa paradoxal, porém, ateus militantes se reunirem para defender um ceticismo contra fé, religião e deuses" e " Apesar de contraditório, os brasileiros estarão seguindo à risca, com essa movimentação, a cartilha do britânico Richard Dawkins".

      Excluir
    3. É, você tem razão, eu não tinha prestado atenção nos detalhes. Tinha confundido a primeira frase que você citou como uma citação do professor Edin Abumansur. De fato, é uma matéria parcial.

      Excluir
  17. De Coimbra, cidade do centro de Portugal, envio um caloroso abraço aos ateus brasileiros e desejo que tornem o país irmão mais laico e menos supersticioso.

    A vossa é também a nossa luta.

    Carlos Esperança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw. Abraço aos portugueses. Boa sorte.
      Rodrigo*

      Excluir
    2. Cadê nosso ouro?

      Excluir
    3. Carlos Esperança, um outro abraço para vocês, e desejo que se torne laico de verdade, mas pelo andar da carruagem por aqui vai levar um bom tempo, mas quem sabe.

      Excluir
    4. Saudações Carlos Esperança, tenho prazer em lhe dizer que tenho o Diario Ateísta no Favoritos do meu Internet Explorer, ja que acesso o site todo dia. Grato pelo apoio!

      Excluir
    5. kkkkkkkkkkk cadê nosso outro foi ótimo huahuahuahua

      Excluir
  18. Por um Estado Laico! Passaporte diplomático pra pastor picareta é o fim da picada!!!

    ResponderExcluir
  19. O ateísmo é uma crença de que Deus não existe ?! Puta, só podia vir de um ''cientista'' de religião, afirmação incoerente e presunsosa, pois pressupõe-se arrogantemente que Deus verdadeiramente existe e que os ateus ''acreditam'' que ele não exista. ''Ciencia'' da Religião, pufff, não tinha outra pessoa melhor para solicitar a opnião?!

    ResponderExcluir
  20. Como pode uma pessoa nascer da água e do espírito?

    ResponderExcluir
  21. Merda de texto, o autor deve rezar antes de dormir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele já reza, só não revelou isso pra vcs.

      Excluir
  22. Interessante como os argumentos contra o ateismo(ou evolucao, já que vem tudo junto no mesmo saco) seguem uma certa moda. Durante algum tempo uma certa ideia é repetida ateh a exaustao. Quando fica caduca, ou ja se levantou diversas argumentacaoes contrarias, ai vem outra. Uns tempos atras era a Lei da Termodinamica, agora é essa de que o ateu é uma especie de crente na ciencia.

    ResponderExcluir
  23. Pois é, o que adiantou falar tanto dos católicos, evangélicos e de suas igrejas? Agora, vcs, ateus, também vão contruir uma igreja...

    "o filósofo suíço Alain de Botton, autor de “Religião para Ateus”, que anunciou a construção de um templo ateu no centro financeiro de Londres"

    Nunca iria imaginar que o ateísmo teria uma igreja e ainda por cima seria considerado um tipo crença, pelos próprios ateus:

    "o ateísmo se torna uma opção de crença, a da negação, à disposição dos que procuram coisas para acreditar, no caso, que Deus não existe."

    Ai ai, o mundo está cada vez mais confuso rs. Daqui a pouco vcs estrão dando dizimo também rs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário