Boff escreve que Twitter não é lugar para discutir ateísmo


Em resposta a um internauta que se assina como @faxinageral, o teólogo da libertação Leonardo Boff, 73, escreveu no Twitter que o microblog “não é lugar para discutir ateísmo. Viva seu ateísmo sem proselitismo. Os ateus geralmente são os que mais falam de Deus”. 

Boff tem mais de 52 mil seguidores no Twitter. Ao se julgar pelas suas postagens ali, em relação proselitismo cristão, o microblog está liberado, inclusive para criticar ateus.

No dia 20 de janeiro, ele escreveu que Miguel Nicoleis é um bom cientista, “mas, filosoficamente, diz bobagens a mais não poder. Quer até fundar uma ‘igreja de ateus’. Talvez o 'papa' seja ele.”

Ateus têm reagido com firmeza às afirmações de Boff. O internauta que se assina como Coline Kennel, por exemplo, escreveu que é “arrogância querer censurar a liberdade de expressão dos outros. Cale-se você.” Já João Aquino disse: “Aqui as pessoas discutem o que quiser e não o que vcs [religiosos] acham conveniente. Deus não existe!!”

Em contradição com o que escrevera, Boff respondeu que no Twitter as pessoas podem postar o que quiser e que ninguém é obrigado a segui-lo ali. “Siga seus afins. Não estou disposto a polemizar”.

Mas ele acabou polemizando com ateus. A um disse que ele, descrente, iria dizer que “Jesus, S. Francisco, dom Helder, Madre Tereza, Irmã Dulce e Dorothy são antinatureza, acho que não sabe o que diz”. A dois outros, escreveu: “Eu sou ateu de muitas imagens de Deus, especialmente daquelas deploráveis de alguns proclamados ateus”.

Com informação do Twitter de Boff.

Boff contesta ateus e afirma que só a razão não basta para ser bom.
setembro de 2011

Ateísmo.  Intolerância religiosa no Brasil.

Comentários

  1. Nada de novidade. Ele e seus companheiros cristãos podem falar o que quiserem e tentar converter quem quiserem.
    Mas quem discorda dele, tem que ficar quieto.
    Não é esse um dos princípios do cristianismo? Ele está sendo coerente com sua fé.
    Se faz sentido ou não e se isso torna ele um idiota ou não, é outra história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Israel, você em seu perfil se diz ateu e contra as "fantasias medievais". Você ao menos entende e compreende o cristianismo suficientemente para se dizer tão contrário as ideias da religião?

      Excluir
  2. Não estou disposto a polemizar, ai Boff!! mais uma vez ? E ele é a pessoa inviada por deus para ditar o q deve ser escrito ou deixar de ser escrito no twitter ?

    ResponderExcluir
  3. Normal, só mais um que está se incomodando com os ateus que agora se manifestam. Antes eram só eles criticando todos que quisessem, ateus, mulheres, homosexuais, outras religiões... Aí podia tudo!

    ResponderExcluir
  4. Ateísmo sem proselitismo só será possível quando o proselitismo religioso não influir mais em nossas vidas...

    ResponderExcluir
  5. Ainda bem que já tá velho, igual a religião dele.
    Daqui a pouco ambos estarão enterrados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro: coloca teu nome na postagem. Esse negócio de "Anônimo" não é legal. Segundo: "ainda bem que tá velho". Chato isso. O Dakwis também está envelhecendo. Você e eu, também, estamos envelhecendo. Como ateu não desejo a morte de ninguém, porque sei que só temos essa vida para ser vivida. O certo é debater com os teísta de maneira racional e civilizada. Há três coisas que devemos fazer sempre. Argumentar, argumentar e argumentar. Mesmo que essa argumentação ocorra em um universo de 140 caracteres como é o caso do Tuíter. Apesar de todo o seu cabedal intelectual, Boff usa argumentos primários quando rebate ateus. Forte abraço.

      Excluir
  6. Aí Boff, o lugar pra discutir as tuas idéias é na privada!

    ResponderExcluir
  7. Ou seja, com a "coargem" típica dos donos da verdade, ele se acha no direito de ofender os direitos, mas tambpém quer calar quem reclama de sua intolerância preconceituada movida pelo mais puro "amor" cristão. Hipócrita, nada mais que isso.

    ResponderExcluir
  8. Sim, senhor! Agora que o grande mestre disse eu nunca mais farei proselitismo. Pena que ele não me esclarece nada sobre quem pode e quem não pode fazer proselitismo e o porquê?

    Nossa, um dia desses ouvi essa frase: "você fala mais de deus que os religiosos".
    Não entendo o problema disso. Será que é porque é muito contraditório sendo eu ateu? Mas e daí? Acredito que muitos religiosos só devem falar de deus quando os interessam. Eu também, quando me interessa eu falo mesmo...lol
    E agora? Será que deus aparecerá na minha frente como dizem acontecer com o diabo: "de tanto falar ele aparece"

    Boff parece fazer joguinho psicológico no Twitter.

    ResponderExcluir
  9. Ironicamente, graças a idéia do Boff quando eu ainda pensava em ser padre, foi com a Teologia da Libertação que eu acordei para a vida ao ver que cristianismo é regido por um mito. Daí para o ateísmo foi moleza.
    Devo muito disso a ele.

    ResponderExcluir
  10. Nivaldo, comungo contigo da ideia de que Boff construiu-nos uma ponte para o ateísmo. Sempre apreciei, o confesso aqui, as suas posições divergentes do autoritarismo da Igreja Católica. Sua Teologia Libertação lançou algumas luzes. Lamento, contudo, que acuse os ateus de proselitismo, esquecendo-se de que o cristianismo sim se afirmou como uma religião de prosélitos e se consolidou pelo proselitismo. Cristão é aquele que se converteu e se submeteu a um poder - a Igreja. Ela arregimenta, administra, disciplina, reza a moral, ela detém o corpo doutrinário, ela prescreve a Lei (de Deus).

    Não vejo razão para censurar os ateus por se ocuparem com o tema 'Deus'. Esse tema deve ser universalizado, deve ser posto em debate, sobretudo quando está na base de decisões importantes para a vida humana. Será que os religiosos supõem ter o direito ao monopólio do tema?

    ResponderExcluir
  11. Mais um perdido numa noite escura, nem seus pares aceitaram suas ideias.

    ResponderExcluir
  12. Não existe proselitismo ateu.

    ResponderExcluir
  13. Eu debato sobre ateísmo onde eu quiser e quando eu quiser, porque eu posso e eu quero.

    E aí?

    ResponderExcluir
  14. Como diz o meu primo: "já tá fazendo hora extra".!

    ResponderExcluir
  15. Essa declaração dele nem merecia um post aqui. Se alguém já leu as asneiras que ele escreveu sabe do que estou falando.

    ResponderExcluir
  16. Vou discutir papai noel o quanto eu quiser

    ResponderExcluir
  17. Para conhecimento

    O post abaixo tem partes de um texto em um site dos EUA que está sedo reproduzido no Brasil. Cheio de barbaridades.


    Criacionismo nas escolas: tendência mundial?

    http://portugues.christianpost.com/news/criacionismo-nas-ecolas-tendencia-mundial-10145/

    O norte-americano republicano Jerry Bergevin, por exemplo, associa o ensino da teoria da evolução às atrocidades de Hitler e à falta de respeito aos direitos humanos em países como a União Soviética, Cuba, os nazistas e a China atual.

    Segundo sua declaração à publicação Concord Monitor, a ideia evolucionista “é uma visão mundo que não contempla Deus. O ateísmo tem sido tentado em várias sociedades e tem induzido a crimes de desrespeito aos direitos dos cidadãos”.

    ResponderExcluir
  18. Twitter não é lugar de ferir a liberdade de expressão dos outros.

    ResponderExcluir
  19. Que é ele pra decidir onde e quando é lugar de falar sobre o ateísmo?

    ResponderExcluir
  20. E esse argumento dele é uma b...

    Se somos ateus vamos falar de quê?

    ResponderExcluir
  21. A internet é um campo aberto para debater idéias, sejam com quais ferramentas forem.

    ResponderExcluir
  22. o twitter tbm não é lugar para a direita religiosa divulgar suas moções contra quem luta pelo estado efetivamente laico e pelos direitos de todos, como aconteceu com Jean Wyllys e a Igreja.

    ResponderExcluir
  23. Pelo que eu saiba a internet é um lugar onde as pessoas podem debater, discutir e divulgar quaisquer idéias, não só as idéias que o Leonardo Boff concorda.

    ResponderExcluir
  24. Boff, Padre Fracassado, não perdeu a arrogância clerical de dizer o que as pessoas podem ou não podem fazer.

    ResponderExcluir
  25. democracia, como dói5 de fevereiro de 2012 07:46

    Leonardo Boff falou bobagem.

    A internet e o twitter são lugares para se opinar, informar e dicutir qualquer coisa que alguém quiser.

    Pelo menos por enquanto, enquanto os esquerdopatas, ateístas xiitas e gayzistas (que Boff, Betto, Gondim & cia costumam apoiar) não conseguem amordaçar a sociedade e proibir, com o patrulhamento e as leis tirânicas que adoram inventar, a livre manifestação do pensamento.

    ResponderExcluir
  26. Isso porque ele ajudou a elaborar a teologia da libertação
    Essa teologia da libertação só foi criada por conta da ditadura militar, na quele tempo a igreja católica foi perseguida pelos militares por abrigar terroristas e ter discursos subversivos. Mas ela não vale para as outras religiões e tão pouco para o ateísmo. Mas teoricamente era pra valer para todos. Em quanto todos estavam no mesmo barco era esse papinho de teologia da libertação, mas depois que a ditadura acabou a igreja quis instalar um ditadura teocrática que não teve muito exito, mas aos poucos ela começou "policiar" os seus fieis. Hoje em dia ela tenta ganhar o espaço que ela tinha antes da ditadura militar, mas o que vemos é só a perda desse espaço, aí vem um teólogo metido abesta como esse para ajudar a recuperar um espaço, um poder que a igreja não tem mais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário