Inglaterra reduz em 15% contratação de professores de ensino religioso

O governo inglês do premier David Cameron cortou em 15% os gastos com professores de religião, em decisão que representa uma vitória de seculares contra religiosos na questão sobre esse tipo de ensino. O número de professores contratatos caiu para 400.

Na Inglaterra, a religião é obrigatória no ensino fundamental, e essa medida pode significar uma preparação para a sua extinção gradual.

Maeve McCormack, porta-voz do Departamento de Educação da Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales, disse que a decisão de Cameron confirma que o governo “não tem interesse no ensino religioso”, o que ele lamentou.

Argumentou que o ensino religioso proporciona aos alunos a “oportunidade de se aprofundarem” não só em questões metafísicas, mas também nos “mais urgentes problemas éticos de nosso tempo”.

Em meados de 2010, cerca de 30 cientistas do Reino Unidos assinaram uma petição para que o governo introduzisse nas escolas, a começar do pré-primário, o ensino da Teoria da Evolução, de Charles Darwin (1809-1882). Entre eles estavam o naturalista David Frederick Attenborough e o biólogo Richard Dawkins.

A petição foi uma reação dos cientistas às escolas que estavam dando criacionismo nas aulas de ciência.

Com informação da Rádio Vaticano, entre outras fontes.

Rio terá 600 professores de religião para ensinar 'valores morais'.
setembro de 2011

Religião no Estado laico.

Comentários

  1. As sociedades mundo a fora cada vez mais desenvolvendo-se e deixando valores arcaicos para trás. Enquanto isso, o Brasilzão aqui permanece "atrofiado".

    ResponderExcluir
  2. Religião seja qual for deixa as pessoas frágeis e de certa forma imbecis e intolerantes e dependentes de coisas tolas e desnecessarias, religião na minha opinião não serve pra nada. Então qualquer ensino religioso e puramente pretencioso.

    ResponderExcluir
  3. Por que existem pobres e ricos? Por que existem pessoas que nascem saudáveis e outras com defeitos? A Bíblia não explica isso?

    ResponderExcluir
  4. Mais 10 anos isso tudo acaba.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pra esse governo na Inglaterra. Enquanto isso no Brasil é aprovado dia do evangélico, oração antes das aulas e agora querem usar até o FGTS pra financiar templos...quanta diferença.

    Leandro

    ResponderExcluir
  6. O intrigante é que cinquenta por cento dos britânicos não acreditam na evolução nos EUA oitenta por cento frequentam igrejas e são um dos países mais ricos do mundo não seria o ateísmo uma atitude burra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O intrigante é que cinquenta por cento dos britânicos não acreditam na evolução nos EUA oitenta por cento frequentam igrejas e são um dos países mais ricos do mundo não seria o ateísmo uma atitude burra?"

      Não necessariamente. Na França, na Holanda, na Suécia, na Dinamarca e na Noruega (alguns dos países com melhor qualidade de vida no planeta), apenas um terço da população declara acreditar em Deus, e essa proporção cai a cada ano.

      Excluir
    2. Isso é um erro de argumento non sequitur,porque a sua conclusão(ateísmo é uma atitude burra) não segue as premissas iniciais .

      Excluir

Postar um comentário