Pular para o conteúdo principal

Conselho proíbe cobrança de dízimo dentro das penitenciárias

Resolução do CNPCP (Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária), órgão do Ministério da Justiça, proíbe que pastores ou seus prepostos cobrem dízimo dentro dos presídios ou vendam materiais religiosos. Não há informação sobre o montante de dízimo arrecadado dos presidiários nem sobre o volume do comércio religioso.

Universal é uma das igrejas que enviam pastores aos presídios
A resolução estabeleceu que somente pastores de denominações com mais de um ano de existência poderão entrar nos presídios. A partir de agora eles não mais precisarão se submeter à revista íntima. Os presidiários poderão usar objetos para cultos, desde que não apresentem risco para a segurança.

Geder Luiz Rocha Gomes, presidente do CNPC, disse que a resolução respeita o direito da liberdade religiosa e de culto, “mas sem abrir mão da segurança”.

O conselho não sabe qual é o perfil religioso dos presidiários. Só tem sido feitos levantamentos esporádicos e localizados, como o da penitenciária de segurança máxima de Catanduvas (PR). Ali, no período de 2005 a 2007, a maioria (57%) dos presidiários disse ser católica, vindo em seguida os evangélicos (22,79%), os sem religião (17,65%), espíritas (1,47% ) e Testemunhas de Jeová (0,74%).

Ocorre muita conversão nos presídios, principalmente ao evangelismo. Esse foi o caso, por exemplo, de Anna Carolina Jatobá, madrasta de Isabela, que cumpre pena no presídio de Tremembé (SP) por assassinato da menina. Alguns se tornam pastores quando deixam a prisão.

Com informação das agências.

Diretor de prisão obriga detentos a assistir TV evangélica 24h por dia.
dezembro de 2010

Exploração em nome de Jesus.     Religião no Estado laico.

Comentários

Anônimo disse…
...é ali que eles arrumam mais "pastores" para a quadrilha, só gente boa!
E um monte de idiota ainda dá dinheiro
...isso é crime organizado em forma de igreja é 171!
Mello disse…
17% sem religião? Eu estava tão contente porque era 1%. Daqui há pouco vão dizer que o idiota do Datena tinha razão.
Anônimo disse…
Como 17%? tenho policiais na família...e eles mesmo me dizem que dificilmente uma pessoa não-religiosa ou ateia comete crimes.

Estranho esse dado...


Paulo Thiago Casado
Leandro Santiago disse…
@Mello, boa parte da população se considera sem religião, pois não pratica as "obrigações" que a religião que está acostumada a seguir manda.

Meu pai por exemplo é crente em deus (católico), mas se diz sem religião, pelo papel que esta religião tem em vários casos bárbaros. Ele diz não pertencer a religião alguma, mas não é ateu, pois acredita no deus católico. Muitos também se dizem sem religião, mas acreditam num deus pessoal.

Eu não seria tão imbecil a ponto de dizer que não existem ateus nas prisões. Deve haver muitos. E isso não significa muito. Neste 17% há muitos religiosos não praticantes, mas deve haver também muitos ateus.

Ah sim, como os pastores cobram dízimo dentro das prisões? Cobrar dízimo implica em circulação de dinheiro (ou quaisquer outros tipos de valores) nestes lugares. Sou só eu que enxergo algo errado nisso?

Que tal se, ao invés de bíblias, dessem para os detentos lerem livros sobre ciência? Livros sobre evolução, sobre sexualidade humana, sobre temas assim?
Leandro Santiago disse…
@Anônimo, e pq um ateu não cometeria um crime? Só por seu ateu? Isso é ingenuidade. Pra cometer um ato bárbaro existe um pré-requisito: ser um ser humano. Independe de crença ou nacionalidade.
Anônimo disse…
Sim leandro...mas veja que não ateus somos muitos poucos...temos uma parcela bem ínfima da população...deve ter quantos, uns 5 ou 10 milhões de ateus no Brasil no máximo...onde tem uma população beirando a 200 milhões...por isso achei estranho esse dado...por questão de proporção religiosa e não-religiosa.

por isso que o IBGE tem que separar o ateístas dos teísta e deístas...para não ter essa confusão.

tem que ser igual na Austrália e NZ...la os sem religião são os ateus, agnósticos, céticos, secularista e humanistas.

Mas como no brasil sempre e uma bagunca...ai ja viu.

Paulo Thiago
Headbanger Ateu disse…
Os "sem-religião" nas prisões devem ser teístas. Acreditam em uma idéia de deus, mas preferem não seguir uma religião. "Sem-religião" não quer dizer que é agnóstico ou ateu. Mas os órgãos de pesquisa brasileiros parecem ter a mania de colocar agnósticos, ateus e teístas na categoria de "sem-religião" e isso causa confusão e dados questionáveis.
Anônimo disse…
Sabendo que a IURD se envolveu com traficantes e até lavou dinheiro para eles (e muito provavelmente ainda faz isso), é um erro cancelar a revista íntima nesses pastores que visitam as penitenciárias.
Anônimo disse…
Esse é o fenótipo do protestante pentecostal brasileiro que faz associações com criminosos não para "conversão",mas para lavagem de dinheiro.
Cristian Z. R. disse…
Bom, se está proibido o dízimo nos presídios provavelmente não haverá mais evangélicos querendo salvar a alma desse povo.
Anônimo disse…
O tal do "pastor" não tem limite, imagine cobrar dizímo de prêso:ou já perderam tudo para os advogados ou pagam com dinheiro do crime?
Nas pequenas igrejas grandes negócios, existe um tratamento diferenciado para o povão e o individual para aqueles que dão muito dinheiro.
Por falar em crime, quando macedão vai depor?São tantos inquéritos?
Mario Antonio Gama disse…
Eu fico imaginando um prêso calculando o dizímo:

A boca rendeu R$10 mil - Dizímo R$1.000,00

Roubo de carrosR$40 mil- " R$4.000,00

Saidinha de banco R$5 mil- " R$ 500,00

Explosão caixa eletrônico 20mil- R$2.000,00

Pastor seguem R$7.500,00 peço que ore para que Deus continue abençoando os meus negócios e perdoe os meus pecados.

Nos livre da polícia, amém!

Pezão Louco - galeria 8 xadrez 21
Anônimo disse…
Os "sem-religião" dirão que acreditam em Deus, eles nem devem saber o que é Ateu.
Que tipo de criminosos sem caráter são esses que roubam até de outros criminosos?!
Ladrão que rouba ladrão, neste caso, não tem cem anos de prisão.

Um dia ainda vou ver todos eles na cadeia.
Anônimo disse…
E tome Macedão no cabeção do bandidão!
Negão Avantajado disse…
Aqui na cadeia, us pastô traz uma palavra amiga, coisa difíce de si consegui. Preso anda sempri revoltado e a puliça qué arrebentá nóis. Só us carcereiro qui são di boa, serve di aviãozinho entri as cela, traz celulá e outras coisa.

Agora qui us pastô num vão mais sê revistado, agente vai pensá no que podi servi isso.
Anônimo disse…
Mesmo proibindo que os pastores cobrem o dízimo, os detentos vão querer continuar a pag...quero dizer ofertar para sair do inferno e conseguir um lote no céu. Além de ganhar em dobro o que for roubado, traficado...e etc.
Anônimo disse…
Ái que ódio, toda vez que leio isso de pastor viver a custa do dinheiro alheio(quando poderiam trabalhar normal durante o dia e a noite ir pra igreja) Poxa vida, quando sei que tenho que ralar o mês inteirinho...e eles viajam, trocam de carro zero todo ano...mansão própria..Ái que ódio
Betinha
Anônimo disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
mary da silva disse…
eu fico revolta quando vejo esses"pastores" que na verdade são mercenário extorquindo as pessoas,me da uma revolta,se eu fosse uma autoridade máxima,digo com toda autonomia.eu botava todos eles na cadeia.e todos iam trabalhar para o Estado.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Escola Estadual Igreja Evangélica muda de nome e deixa de afrontar o Estado laico

Malafaia divulga mensagem homofóbica em outdoors do Rio

Juiz que anulou união estável gay é pastor da Assembleia de Deus

Pastor Boas: "Não  nego minha fé" O juiz  Jeronymo Pedro Villas Boas (foto), 45, da 1º Vara da Fazenda Municipal e de Registros de Goiânia (GO), que anulou a união de um casal homossexual, admitiu hoje (22) que é pastor. "Sou pastor da Assembleia de Deus Madureira e não nego minha fé." Ele reafirmou  que a sua decisão está amparada pela Constituição que exige que para uma união o casal receba a autorização de um juiz. Justificou que a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que garante aos homossexuais os mesmo direito civis dos demais brasileiros, não é vinculante e o acórdão daquela sessão ainda não foi publicado. "As pessoas no Brasil para viverem juntas e se unirem têm que ter os requisitos formais da lei. Quem reconhece isso é um juiz.". O juiz foi convidado a participar hoje (22)  de uma sessão da bancada Evangélica da Câmara, que entregou a ele uma moção de apoio. A corregedora-geral de Justiça de Goiás, Beatriz Figueiredo Franco

As mulheres deveriam ficar longe do cristianismo. Oito razões

Essência do totalitarismo é querer fazer o 'bem para todos'

Título original: Tentação totalitária por Luiz Felipe Pondé para Folha Você se considera uma pessoa totalitária? Claro que não, imagino. Você deve ser uma pessoa legal, somos todos. Às vezes, me emociono e choro diante de minhas boas intenções e me pergunto: como pode existir o mal no mundo? Fossem todos iguais a mim, o mundo seria tão bom... (risadas). Totalitários são aqueles skinheads que batem em negros, nordestinos e gays. Mas a verdade é que ser totalitário é mais complexo do que ser uma caricatura ridícula de nazista na periferia de São Paulo. A essência do totalitarismo não é apenas governos fortes no estilo do fascismo e comunismo clássicos do século 20. Chama minha atenção um dado essencial do totalitarismo, quase sempre esquecido, e que também era presente nos totalitarismos do século 20. Você, amante profundo do bem, sabe qual é? Calma, chegaremos lá. Você se lembra de um filme chamado "Um Homem Bom", com Viggo Mortensen, no qual ele é um cara

Arcebispo afirma que vida dos descrentes não tem sentido

Para Battisti, o sentido da vida está no sobrenatural  O arcebispo Anuar Battisti (foto), 59, de Maringá (PR), escreveu um artigo onde aborda um tema recorrente por parte de religiosos, o de que não há sentido na vida dos descrentes em Deus. “Este ambiente de descrença, misturado com ateísmo, leva a pessoa a viver no deserto da vida sem gosto, sem rumo, vagando em busca de um sentido”, escreveu dom Battisti no artigo publicado no Diário.com. “A ausência de Deus cria na alma humana um vazio de sentidos que leva ao desespero, à negação de tudo o que diz respeito ao sobrenatural”, acrescentou. A americana Paula Kirby, consultora de organizações seculares, escreveu recentemente no Washington Post que quem precisa de Deus para que a sua vida tenha um significado é porque a sua família e amigos, em tese, não têm nenhum valor. O que, obviamente, é um absurdo. Ninguém precisa de Deus, por exemplo, para amar seus filhos. Kirby argumentou que é o cristianismo que tenta tirar todo

Médico acusado de abuso passa seu primeiro aniversário na prisão

Roger Abdelmassih (reprodução acima), médico acusado de violentar pelo menos 56 pacientes, completou hoje (3) 66 anos de idade na cela 101 do pavilhão 2 da Penitenciária de Tremembé (SP). Foi o seu primeiro aniversário no cárcere. Filho de libaneses, ele nasceu em 1943 em São João da Boa Vista, cidade paulista hoje com 84 mil habitantes que fica a 223 km da capital. Até ser preso preventivamente no dia 17 de agosto, o especialista em reprodução humana assistida tinha prestígio entre os ricos e famosos, como Roberto Carlos, Hebe Camargo, Pelé e Gugu, que compareciam a eventos promovidos por ele. Neste sábado, a companhia de Abdelmassih não é tão rica nem famosa e, agora como o próprio médico, não passaria em um teste de popularidade. Ele convive em sua cela com um acusado de tráfico de drogas, um ex-delegado, um ex-agente da Polícia Federal e um ex-investigador da Polícia Civil. Em 15 metros quadrados, os quatros dispõem de três beliches, um vaso sanitário, uma pia, um ch

Música gravada pelo papa Francisco tem acordes de rock progressivo. Ouça