Religião é origem de conflitos e miséria, afirmam britânicos

Matança em nome de Alá
Uma recente pesquisa mostrou que 79% dos britânicos acreditam ser a religião a origem de muita miséria e conflitos no mundo. Do total, apenas 11% discordaram dessa avaliação.

A pesquisa foi realizada pelo YouGov em parceria com o Departamento de Política e Estudos Internacionais da Universidade de Cambridge. Foram ouvidos 64.303 adultos (maiores de 18 anos).

Para 72% deles, a religião é usada por pessoas para justificar sua intolerância e sectarismo. 15% discordam disso.

A Grã-Bretanha está entre os países onde mais tem avançado o secularismo nos últimos anos. A pesquisa confirma isso.

A maioria (78%) concordou, por exemplo, que religião é um assunto da esfera privada, não pública. Aqueles que se opõem a essa abordagem representaram 12%.

Seguem outros resultados da pesquisa.

- 70% não querem que cristãos e igreja tenham mais influência na política do país. 16% concordam.

- 40% afirmaram não ter nenhuma religião, 55% se declararam cristãos e 5% informaram que seguiam outras religiões.

- 74% informaram que foram criados em família que professava alguma religião – cristã, na maioria de 70%.

- 34% afirmaram ter um Deus pessoal, 10% admitiram crer em algo tipo de poder espiritual e 19% informaram não acreditar nessas duas formas de crença. 29% se declararam indecisos ou agnósticos.

- 16% informaram que rezam diariamente, 12% disseram que o fazem várias vezes por semana e 4% uma vez. Os homens rezam menos que as mulheres.

- Para 61%, as religiões organizadas estão em declínio. Na faixa da população com mais de 55 anos, o percentual é de 67%. Do total, 18% discordam de que as crenças estruturadas estão em decadência.

Com informação da National Secular Society.





Estudo comprova que pessoas de pouca reflexão têm mais fé em Deus
setembro de 2011



Comentários

  1. Seria muito bom se tivesse esses resultados aqui no Brasil também. :(

    ResponderExcluir
  2. Se 79% acreditam ser a religião origem de muita miséria e conflitos no mundo e 55% se declaram cristãos, então grande parte dos que se dizem cristãos são, na verdade, hipócritas.

    É claro que não mencionaram quais religiões provocam tais misérias e conflitos, o que os torna cínicos.

    ResponderExcluir
  3. A Inglaterra é prova de que o caminho não é não ter religião para o país se tornar inteligente e culto, mas que é necessário ser inteligente e culto para não ter religião.

    Não importa se a religião católica ou protestante deixar de existir, existem mil e uma crenças malucas querendo tomar espaço(terra oca com o sol no centro, Nibiru, power balance, homeopatia, ect), enquanto houver pessoas burras, pessoas sem senso critico, sem saber filosofar/raciocinar e cheias de wishful thinking, estaremos ainda perdidos.

    Religião e sobrenaturalidades só acabam com educação de verdade(não esses Paulo Freirismos que temos, essas pedagogias "mudernas" que mais atrapalham que ajudam) e inteligencia.

    ResponderExcluir
  4. isso é um fato, faz parte, a biblia ja diz isso a muito tempo.

    Jesus disse; que por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriariam.

    no ultimo capitulo de Daniel, que viveu cerca de 500 anos a.c. ja previa isso, que nos ultimos tempos a ciencia se multiplicaria.

    ResponderExcluir
  5. Izaque,já que você acredita tanto que o mundo vai acabar em breve,o que você está fazendo aqui na Terra? Se eu fosse você,iria direto pro Paraiso . Deixa esses ateus aqui na Terra tranquilos,você sabe que não consegue provar que a sua "verdade" é mesmo a "verdade verdadeira",ainda mais porque prefere ameaçar,ao invés de argumentar racionalmente .

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Os cristãos agem como se o Homem nunca tivesse matado (e muitas vezes em nome do deus do amor) e só *hoje* é que há desigualdade.

    Mas esse proselitismo é chato e sem efeito algum.

    Dá pra tirar de letra.

    ResponderExcluir
  8. Estivemos agora em setembro em Londres, e comparando com as habituais e periódicas paradas em Portugal e França; constatamos talvez pelo superficial dado que é a primeira vez que lá fomos; que o azar (ou a sorte) da Grã-Bretanha não é a religião ou a irreligião dos seus cidadãos ou súditos, mas dos seus colonizados. Na França, que desde 2008 já fomos três vezes; observamos um crescente aumento da violência, do vandalismo, da rebelião dos colonizados imigrantes; sempre revoltados e amparados pela religião(praticante minoritária) e pela ditadura do politicamente correto.Na Inglaterra, embora visitamos pela primeira vez, não podemos comparar com épocas anteriores; contemplamos uma pacata e pacífica submissão dos colonizados e imigrantes(aqueles que os países ricos toleram para fazerem o que ele não encontram quem fazer); e chamou-me a atenção o fato de que a religião deles, o sentimento de que as condições sociais originam-se de um elemento divino e natural; obriga-lhes a tal pacifismo e maior tolerância. O hindu, mais que o cristão, acredita que está assim ou assado porque é o seu karma, algo como o nosso "Deus quis assim". O karma entretanto é mais pessoal, eu agi de tal modo e recebo a reação. Até nisso a Inglaterra deu sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, antes de mover para o Japao, vivia na Inglaterra.
      Apesar de ser um pais com milhoes de Ateus, por causa da "invasao" dos colonizados e imigrantes, passaram a ser muito tolerantes.
      Ja discuti com um colega Britanico, o qual defendia o direito da instalacao da Sharia law nos bairros Muslim.
      Ele dizia que: No passado nos os tornamos escravos, invadimos suas terras e os roubamos, nada mais digno agora do que dar a eles o direito de viver na nossa terra que se ergueu a custa do sangue dessa gente... e blablabla.. E olha que ele se dizia agnostico.

      Viajei muito pela Franca, onde o caso e exatamente o mesmo de toda a Europa.
      A minha Italia amada, onde eu sonhava um dia se aposentar e ficar ate a morte, terra do meu sangue, totalmente distorcida pelo cristianismo e pela invasao islamica.
      Ultima vez que estive la, estava acontecendo um protesto em Bologna: Os Muslims queriam o direito de construir um templo no centro da cidade.


      Portugal, a ignorancia crista tomou conta daquela gente, o mesmo na Espanha.
      Alemanha apesar te ter muitos protestantes e Turcos Muslim, ainda nao tem um grande problema, pelo menos onde morei na Bavaria.
      O resto da Europa, no mesmo: brigas por causa de Religiao, disputa por leis e verbas.

      Como na falida Grecia: O governo liberou 16 milhoes de euros ano passado para a construcao de um templo muslim, houveram dezenas de protestos mas nao adiantou.

      Agora, ja o Japao, mesmo sendo cheio de templos, religiao e escamcaradamente assim: Ninguem te pergunta nada, ninguem te pede nada. A maioria dos Japoneses leva a religiao mais como "cultura" do que "FE". E como quando usam kimono, so por tradicao mesmo.
      Minha esposa e Japonesa, toda a familia dela budista.
      Num ritual de morte ano passado, o monge falado enquanto os sinos badalavam: As religioes do mundo se matam por que querem crer num deus. Ja o budismo nao tem "deus" e nem mesmo e uma religiao, simplesmente acreditamos na necessidade de nos tornar pessoas melhores.

      Eh uma fe onde "crer em deus" eh opcional.
      BTW, sou ateu, porem tao encantado com a diferenca desta cultura que nem falo nada, so aprecio e respeito.

      Quem me dera se o mundo tivesse de budista o que tem de cristoes e muslims... ja que ateismo ainda pode estar um pouco distante.

      Excluir
  9. Isso tudo é a conseqüência de uma educação de qualidade.

    ResponderExcluir
  10. Um mundo sem religiões, poderá decidir com discernimento novos caminhos.

    ResponderExcluir
  11. Tenho ódio de religioso, em especial dos fanáticos .

    ResponderExcluir
  12. Se os britânicos conhecessem a história do colonialismo de seu próprio país, veriam que a Inglaterra é causa de muita miséria.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Busca neste site