Pular para o conteúdo principal

BBC deixa de usar a.C. e d.C.; jornal do Vaticano diz ser ‘uma hipocrisia’

Tempo histórico deixa de ter
 conotação religiosa
As emissoras de TV e de rádio da BBC (British Broadcasting Corporation) deixaram de usar as abreviaturas a.C. (Antes de Cristo) e o d.C. (depois de Cristo) como referências históricas, substituindo-as, na tradução para o português, por  "antes da era comum" e "era comum".

A BBC informou que decidiu pela mudança por se tratar de uma empresa ligada ao Estado, que é laico, e também em respeito às pessoas de outras religiões.

O jornal L'Osservatore Romano, porta-voz do Vaticano, reagiu com uma contundência que não lhe é habitual. Disse que a empresa optou pela “hipocrisia historicamente insensata”.

"Muitíssimos não cristãos disseram que não se sentem ofendidos pela datação tradicional, pelo a.C. e d.C.”, disse o jornal.

“O que está bem claro é que o respeito a outras religiões é só um pretexto [da BBC], porque o que se pretende é apagar qualquer marca do cristianismo na cultura ocidental”, disse o L'Osservatore.

A até o final da tarde de hoje (4), a BBC não tinha comentado o artigo do jornal. O Vaticano já vinha acusando a emissora britânica de ter tomado uma postura nitidamente antirreligiosa, principalmente em relação ao catolicismo.

Recentemente, a Austrália determinou que as referências a.C. e d.C. fossem retiradas dos livros didáticos, em uma medida que deverá entrar em vigor em 2012. O arcebispo Peter Jensen, de Sidney, taxou a decisão de “uma tentativa absurda” de expulsar Jesus Cristo da história.

Com informação das agências.

Austrália manda tirar dos livros didáticos as abreviaturas a.C. e d.C.
setembro de 2011 

Religião no Estado laico.

Comentários

Anônimo disse…
excelente iniciativa, tomara que comece a ser copiada. a igreja inventou jesus na historia e já passou da hora do "mundo real" ser levado mais a sério.
Douglas disse…
tadinhos... como eu vou dormir em paz agora?
Cognite Tute disse…
Que interessante! Gostei da ideia, coloca as coisas em perspectiva mais razoável e mais laica.

Calendários são apenas convenções. E outras culturas, e religiões, marcam o tempo de outras formas, como o ano judaico, o ano chines, que não estão necessariamente em sincronia com o sistema ocidental atual.

Seria interessante começarmos a adotar um sistema de data mais racional e lógico, uma espécie de "data estelar", como nos filmes de Jornada nas Estrelas.

Vou adotar o sistema "era comum" na informação sobre datas.

Cognite Tute
Carlos B. disse…
[“hipocrisia historicamente insensata”]
Quem é a Igreja Católica para chamar alguém de hipócrita? Mas talvez ela tenha razão, que repente a BBC deveria ter assumido logo sua posição sem medo de perder clientes...

[taxou a decisão de “uma tentativa absurda” de expulsar Jesus Cristo da história]
Mas é por uma boa causa, vale à pena e não tem nada de errado nisso. Ah, é verdade, a opinião é do cristão, então tá.

A Igreja sabe o poder da mídia!!!! lol
Anônimo disse…
Espero que acabe com o cristianismo mesmo.
Cute Atheist disse…
Igreja Católica e sua eterna mania de perseguição...
Anônimo disse…
Igreja católica para de mimimi, e sossega que vocês não pode mais queimar ninguém. Agora senta lá e fica quietinha.
Rodrigo plei disse…
"“O que está bem claro é que o respeito a outras religiões é só um pretexto [da BBC], porque o que se pretende é apagar qualquer marca do cristianismo na cultura ocidental”

Olha a conspiração ateísta-satanista-darwinista-exuzista-gayzista-comunista-maçônica aí gente!

Chora cavaco!
Rodrigo plei disse…
Espero que acabe com o cristianismo mesmo.[2]
Lucio Ferro disse…
Este tal de G-zuis já foi expulso da história, só existe na imaginação dos insanos religiosos.
Everton Maciel disse…
uso isso nos trabalhos acadêmicos desde sempre.
J.M. disse…
Valeu, BBC!
Unknown disse…
"Este tal de G-zuis já foi expulso da história, só existe na imaginação dos insanos religiosos."

Isso não é verdade.

De qualquer forma, não vejo por que mudar a notação a.C. e d.C. Como se fosse fazer muita diferença. Para mim parece mais frescura do que uma mudança positiva.
Cognite Tute disse…
gugamilare: "De qualquer forma, não vejo por que mudar a notação a.C. e d.C. Como se fosse fazer muita diferença. Para mim parece mais frescura do que uma mudança positiva."

Não exatamente. Se esperamos que um dia a mitologia hebraico/cristã siga os caminhos das outras mitologias, como a grega, celta, etc, e que Javé se junte a Zeus e Odin, é preciso desligar os símbolos dessa mitologia dos aspectos modernos das sociedades.

Símbolos são poderosos, e podem atrasar o avanço das sociedades.

Marcar o tempo é uma atividade laica, não religiosa, não mais. Faz todo sentido termos um formato padrão, menos religioso, para isso.

Uma "data estelar" seria legal..:-) Mas era comum também é bacana, simbólico, no bom sentido. E muito menos ofensivo ou irritante para os que seguem outras mitologias.

Religiões são excelentes em dividir e separar pessoas, em provocar constrangimentos e conflitos por qualquer bobagem. Uma aula de história para crianças de países islâmicos pode virar uma "guerra" se as datas forem apresentadas dessa forma, antes de depois de cristo.

Cognite Tute
Unknown disse…
Não exatamente. Se esperamos que um dia a mitologia hebraico/cristã siga os caminhos das outras mitologias, como a grega, celta, etc, e que Javé se junte a Zeus e Odin, é preciso desligar os símbolos dessa mitologia dos aspectos modernos das sociedades.

Eu não vejo motivo algum para isso. Os planetas do nosso sistema não mudaram de nome só porque os mitos que deram os nomes a eles desapareceram, as constelações também continuam com os mesmos nomes. Ninguém olha para a notação a.C. ou d.C. e fala "Ah, olha a prova da superioridade cristã" e se alguém fala isso, é um retardado, critique-o por isso, não critique a sociedade toda pela notação que ela usa.

Ficar implicando com detalhes como esse só vai aumentar a mania de perseguição deles. Deixemos a briga para o que realmente importa.

E não devemos de maneira alguma forçar para que o cristianismo ganhe o status de mito. Deixe que isso aconteça naturalmente. É bem mais simples lutar contra o preconceito, a hipocrisia, a ignorância, enfim. Querer "destruir" o cristianismo vai contra a liberdade de crença que é tão importante para nós mesmos.
Louvável a atitude da BBC. Deveria ser aderida por diversas nações como um ato de laicidade.
Ah, vale destacar que adorei o comentário do Rodrigo plei sobre as conspirações!
Cognite Tute disse…
gugamilare: "Eu não vejo motivo algum para isso. Os planetas do nosso sistema não mudaram de nome só porque os mitos que deram os nomes a eles desapareceram, as constelações também continuam com os mesmos nomes. Ninguém olha para a notação a.C. ou d.C. e fala "Ah, olha a prova da superioridade cristã" e se alguém fala isso, é um retardado, critique-o por isso, não critique a sociedade toda pela notação que ela usa."

O exemplo dos nomes de planetas é muito bom, mas não suficiente. Estes nomes, embora ligados a crença pagã greco-romana, não tem o mesmo simbolismo justamente por terem sido suplantados, a crença que os nomeou, pela mitologia católica.

Se estivéssemos sob a vigência da religião grego-romana, eu esperaria uma mudança para ajudar a tirar esse simbolismo de seus nomes.

Vou usar seu mesmo exemplo, nomes como símbolos, e como eles foram "modificados" para impedir a perpetuação da ligação com deuses e mitologias que não se desejava manter.

Segunda-feira, Terça-feira, Quarta-feira, Quinta-feira, Sexta-feira, no lugar de nomes de deuses. Em vez de Dia de Thor, Dia da Lua, Dia de Saturno, feiras.

Os católicos sabiam do poder dos símbolos, e como afasta-los para ocupar espaço.:-).

Outro exemplo, a cooptação do Natal, uma data pagã, que comera eventos pagãos, o solstício, como data de nascimento de Jesus.

Não é uma ideia nova, nem nossa, trocar nomes e símbolos, para mudar a ligação ou enfraquecer as relações.

Não é fundamental, mas ajuda.

guga: "Ficar implicando com detalhes como esse só vai aumentar a mania de perseguição deles. Deixemos a briga para o que realmente importa."

Quase concordo com você nesse ponto, quase..:-) Apenas acho que não é tão "provocador" assim apenas se referir a uma data com outro padrão. Existem diversos, mais um não deveria ser uma ofensa mortal a quem crê.

Judeus tem anos e datas diferentes, chineses, e outros povos, porque não uma forma não "católica" de determinar uma data histórica. Era comum é bastante razoável.

guga: "E não devemos de maneira alguma forçar para que o cristianismo ganhe o status de mito. Deixe que isso aconteça naturalmente. É bem mais simples lutar contra o preconceito, a hipocrisia, a ignorância, enfim. Querer "destruir" o cristianismo vai contra a liberdade de crença que é tão importante para nós mesmos."

Pois é, nesse ponto concordo totalmente, plenamente. Apenas, como disse acima, não acho que a mudança da forma de definir datas seja contra essa posição.

Eu certamente não quero "impor" o fim do cristianismo, ou de qualquer religião. Espero apenas que as sociedades atinjam um ponto em que isso seja algo natural, como foi para o zoroastrismo, as crenças gregas, a religião celta, etc.

Liberdade é importante até para os que discordam de nós. Mais, é importante especialmente para os que discordam, ou não seria liberdade de toda forma.

Mas liberdade sem vigilância corre o risco de ser destruída pelos que dela se beneficiam, mas não veem virtude na mesma. Religiões, por exemplo.

Por isso acho interessante, e importante, esse distanciamento, esse afastamento dos símbolos das religiões, para permitir que novas gerações se coloquem a distâncias seguras dos fanatismos e fundamentalismos.

A reação da Icar neste caso, é de desespero. É apenas uma forma de marcar eras históricas, que não precisa mais de um "nascimento divino" como base. Isso é bom, não ruim, e muito menos provocação.

Não contamos mais as horas com o padrão dos mosteiros, não damos nomes as horas pelo sistema eclesiástico, não corrigimos os calendários pelas necessidades da Icar, porque determinaríamos as datas a partir do nascimento de seu deus hipotético?

No mais, acho que concordamos bastante.

Cognite Tute
Unknown disse…
Cognite Tute:

Bem, talvez você tenha um pouco de razão.

Quanto ao nascimento de Jesus, a ICAR pode ver isso como o nascimento divino, mas eu vejo como um acontecimento histórico: o nascimento de um homem que era meio teimoso, não gostava do sistema em que vivia, e que decidiu lutar contra ele. Ele falhou no objetivo principal dele, mas ele sobreviveu nas ideias dele e, mesmo sendo praticamente um zé ninguém, mudou completamente a História.
Anônimo disse…
Está na hora de ser adotado no Brasil também, afinal, não precisamos de um Estado Laico apenas na Constituição.
Cognite Tute disse…
guga: "Bem, talvez você tenha um pouco de razão."

Eu eu penso que você também tem, por isso concordamos em boa parte. O que é tudo que eu espero de um debate, já a única pessoa em todo mundo a concordar plenamente comigo, em tudo, sou eu mesmo (nem minha mãe concorda com tudo sempre..:-).

Acho que isso é algo que as pessoas devem compreender, para manter um debate razoável, discordâncias são esperadas, na verdade, inevitáveis. São as concordâncias e acertos que importam.

guga: "Quanto ao nascimento de Jesus, a ICAR pode ver isso como o nascimento divino, mas eu vejo como um acontecimento histórico: o nascimento de um homem que era meio teimoso, não gostava do sistema em que vivia, e que decidiu lutar contra ele. Ele falhou no objetivo principal dele, mas ele sobreviveu nas ideias dele e, mesmo sendo praticamente um zé ninguém, mudou completamente a História."

Também concordamos em parte. Jesus, se existiu historicamente (há dúvidas, mas eu tendo a considerar que alguém com este perfil existiu na época, ou historicamente perto disso), ele certamente era diferente, carismático e um pensador interessante.

Mas as ideias dele não eram originais, derivam de filosofia grega, sua história tem aspectos de deuses e personagens de outros credos, seus milagres já haviam sido apresentados por outros antes dele (Pitágoras, por exemplo, tinha a fama de ter nascido de uma virgem, ser capaz de multiplicar pães, andar sobre águas, e até uma história sobre ter morrido e voltada existia em sua época).

O que Jesus, ou melhor os seguidores deste messias específico, teve foi uma boa dose de sorte aleatória. Se Constantino, ao procurar uma nova religião, para tentar unificar o estado romano, tivesse escolhido, por exemplo, os seguidores de Apolonio de Tiana, em vez de Jesus de Nazaré, a história seria diferente.

Não muito, ainda teriamos idade média, ainda teríamos a queda de Roma, e ainda teríamos uma religião de 2000 anos, mas seus seguidores adorariam Apolonio, não Jesus.

As ideias dele, um conjunto variável de boas e más idéias, são a coletânea de conceitos anteriores, sendo que as boas estão quase todas baseadas na regra de outro, muito mais antiga, e que tem sido "descoberta" muitas vezes em nossa história como espécie, por diferentes culturas.

Trate o outro como gostaria de ser tratado, e ele fará o mesmo.

Este é um debate interessante, mas longo para uma conversa em posts de blog, uma pena.

Um abraço.

Cognote Tute
Auridian disse…
"Era comum" é bastante razoável; uma vez que "antes de Cristo" leva a crer que esse cara realmente tenha existido, o que de fato não temos ideia.
Carlos B. disse…
Olá!
Deixar acontecer naturalmente? Realmente é isso que está acontecendo. A BBC mudando essa notação permitirá que jovens (e qualquer um), assistindo a seus documentários, venham a questionar sobre o por que desse termos, e não AC e DC que a família dela ensinou desde quando ela não "pensava" direito. E possibilitar (abrir caminho ao) o questionamento é uma atitude muito positiva!

A BBC está assumindo uma visão e posição, que também é muito positivo isso. Em si vejo como uma atitude revolucionária.

Deixar como está, sem fazer as mínimas e talvez pouco efetivas modificações, e mesmo assim esperar que as coisas aconteçam... isso me cheira a conformismo, a falta de atitude, ou "não não vou encarar peixe grande (igreja)".

Também não acho que o exemplo dos planetas é uma boa comparação, já que uma coisa são datas, coisa que você vê o tempo todo, desde as fazes mais tenras do seu raciocínio. Outra são os astros, que não tem uma frequência e um significado tão grande no seu dia a dia.
Um abraço
Anônimo disse…
pela primeira vez concordo com o vaticano, q hipocrisia desta bbc.

ser ateu tudo bem, mas hipócrita basta.
Cognite Tute disse…
Anonimo: "pela primeira vez concordo com o vaticano, q hipocrisia desta bbc.
ser ateu tudo bem, mas hipócrita basta."


Precisa entender, se não explicar, apresentar argumentos, sustentando porque é uma hipocrisia - adotar uma forma de marcação de data comum a todos, sem relação com uma religião específica, como muitas outras culturas fazem - sua frase é só uma "bravata", uma tentativa de arrumar briga, mais nada.

Até em séries de ficção científica vemos novas formas de marcação de datas (como a data estelar), que levam em consideração a natural mudança que ocorre nas mesmas, de tempos em tempos.

Não marcamos mais o tempo de acordo com o calendário grego, nem com o Romano, nem com o Assírio, nem com o sistema de nascimento de imperadores chineses, etc, porque não devemos nos ajustar a tempos em que a religião cristã não "manda" mais em tudo?

Não seria mais hipócrita "fingir" que a datação com a menção ao ser imaginário Jesuis marca períodos históricos? Um início que, mesmo dentro da mitologia católica, é apenas simbólico (como a data de "nascimento" de Jesus", identificada com o solstício para "pegar carona" nas festas pagãs)?

Explique, porque seria hipócrita adotar um termo técnico já utilizado pelo sistema acadêmico/histórico?

Esse "mimimi" religioso, de organizações que cada vez mais perdem espaço, prestigio, visibilidade, é triste, embora irritante.

Cresça, Anonimo, vire adulto, seja responsável por sua vida e suas escolhas, a única vida que temos certeza existir. Essas superstições da idade do bronze não fazem mais sentido.

Cresça, Anonimo, cresça.

Cognite Tute
LEGIÃO disse…
Os Cristãos acreditam que o Messias veio para morrer por todos nós. Eles exultam e festejam isto.

Pois bem, nós o estamos matando de novo!

Por quê não estão gostando?
Unknown disse…
Mas as ideias dele não eram originais, derivam de filosofia grega, sua história tem aspectos de deuses e personagens de outros credos, seus milagres já haviam sido apresentados por outros antes dele.

Sim, claro, porque muito da história de Jesus não veio de Jesus. Jesus foi, como eu disse, um zé mané qualquer, existiam muitos da época deles que saiam por aí fazendo milagres e se dizendo o messias. Ele provavelmente só ficou famoso mesmo depois da queda do templo de Jerusalém, e ficou mais famoso fora da Galileia do que na Galileia em si.

Além do mais, hoje em dia, se você for de igreja em igreja, os milagres feitos também são bem parecidos uns com os outros, são "truques" que um indivíduo aprende com outro.

Eu recomendo as palestras de Bart D. Ehrman e um curso da Universidade de Yale por Dale B. Martin, estão no Youtube. De acordo com Martin, com exceção de um ou outro, todos os bons historiadores acreditam na existência histórica de Jesus e que aqueles que defendem o contrário costumam não entender muito bem do assunto.

Ele citou uma exceção e disse que é possível defender que Jesus não existiu, mas poucos acreditam nisso. E no curso ele ensina como se estuda quais pontos da história de Jesus provavelmente são verdadeiros e quais provavelmente foram inventados.

Pessoalmente, pra mim, dizer que Jesus não existiu não cola, eu fico com a posição de Ehrman e Martin. Pra mim, o verdadeiro milagre mesmo é um zé mané de dois mil anos atrás ter umas ideias tão geniais quanto Jesus tinha. Dizer que ele foi uma divindade só estraga o verdadeiro significado da sua existência, e dizer que as ideias de Cristo é que são a base do cristianismo é mostrar total ignorância do que ele foi e disse.

Este é um debate interessante, mas longo para uma conversa em posts de blog, uma pena.

Já tive debates bem mais longos em um blog :P Se tiver interessado, a gente move a discussão para um fórum.
Cognite Tute disse…
guga: "Pessoalmente, pra mim, dizer que Jesus não existiu não cola, eu fico com a posição de Ehrman e Martin. "

Eu também, como disse na mensagem anterior. Alguém com parte das características atribuídas a Jesus deve ter existido, e deve ter sido uma "figura".

E também concordo que a divinização dessa figura, a necessidade de "mágicas" de palco, truques que qualquer charlatão da época fazia, deprecia a imagem e as ideias deste, para "dar peso" a alegação de ser filho de deus, é terrível para sua imagem.

Seria melhor, mais nobre, para Jesus ser conhecido como um grande pensador, um grande "filósofo", como Platão ou Aristoteles, do que como responsável por tanta enganação, trambiques, falcatruas, por organizações que protegem pedofilos, por seitas que roubam dinheiro de pessoas simples e indefesas, etc, como é usado hoje seu nome.

Cognite Tute
Carlos B. disse…
Desculpe meus erros de português. Desde criança insisto em escrever fase e frase com "z"... Vou comprar um caderno de caligrafia e repetir, repetir, repetir... como um mantra... brincadeirinha!
Lorran Luiz disse…
Ufa! Estamos caminhando! (porém muito lentamente, ainda)
Lorran Luiz disse…
Cognite Tute, a figura que chega a nós acerca de "Jesus" não permite que enquadremos-lo como filósofo, visto que, ao contrário de qualquer filósofo e mesmo da filosofia, jesus pregava a fé, a crença, o sobrenatural, e não ensinava acerca do saber, da natureza e do homem.

Jesus não pode, então, também ser considerado filosofo. Talvez que seria melhor classificado como uma espécie de místico, oráculo ou algo semelhante.

Grande abraço!
Cognite Tute disse…
Lorran: "Jesus não pode, então, também ser considerado filosofo. Talvez que seria melhor classificado como uma espécie de místico, oráculo ou algo semelhante."

Acho que tem boa dose de razão, talvez a classificação mais precisa seja mesmo "profeta".

Eu usei filosofo no sentido de que parte de seu discurso, aquela parte mais próxima das idéias gregas, do estoicismo, etc, seriam mais filosofia que pregação propriamente.

Seria uma forma de os seus atuais seguidores deixarem a parte mística/sobrenatural de lado, e adotarem as partes "boas", como a regra de outro.

Eu, pessoalmente, acho a "filosofia" cristã muito simplória, pouco original, e bastante infantil. Tratar algo como "ame seu próximo" como a maior revelação do universo me parece um pouco de exagero..:-)

Cognite Tute
Cognite Tute disse…
Ops...:-)

Leia-se "como a regra de OURO".

Cognite Tute
Unknown disse…
Cognite Tute, a figura que chega a nós acerca de "Jesus" não permite que enquadremos-lo como filósofo, visto que, ao contrário de qualquer filósofo e mesmo da filosofia, jesus pregava a fé, a crença, o sobrenatural, e não ensinava acerca do saber, da natureza e do homem.

Na verdade, Jesus muito provavelmente não pregava tanto assim a fé e nem o sobrenatural quanto costumam fazer parecer. Eu acredito que o grande vilão foi Paulo, ele que começou a mistificar a figura de Jesus como uma divindade e, conforme ele mesmo admitiu, ele não tentou aprender as coisas que Jesus dizia, mas ele "consultava Jesus diretamente" (ou seja, tirava merda da própria cabeça dele).

Por outro lado, considere, por exemplo, o evangelho de Tomé (eu recomendo):

http://textosparareflexao.blogspot.com/2008/12/o-evangelho-de-tom-i.html

Um versículo:

"Disse Jesus: Quando fizerdes um de dois, tornar-vos-eis Filhos do Homem; e se disserdes montanha mova-te, ela se moverá."

Lembra daquela passagem que fala "se tiverdes fé, movereis montanhas?" Aí tem outra versão da mesma frase, meio que dizendo que o que move montanhas é algo como a união em vez da fé. Pra mim o mais provável é que esta esteja mais próxima da versão original da frase. Veja que ele está dizendo implicitamente que outros são ou serão Filhos do Homem, assim como ele.

É claro que Jesus era um homem extremamente religioso, ele via as coisas com os óculos do que ele acreditava e provavelmente tinha esquizofrenia por achar que era o messias e que voltaria depois de morto. Ainda assim, para muitas coisas, ele era bem pé no chão e racional.

Ele foi um profeta e também foi um filósofo.

Tratar algo como "ame seu próximo" como a maior revelação do universo me parece um pouco de exagero..:-)

Eu concordo.

Agora, "amai os vossos inimigos e fazei bem aos que vos querem mal", até onde eu sei, essa sim foi uma ideia original, além de ser anti-intuitiva. Outra ideia é "se alguém lhe der um tapa, ofereça a outra face." E ele justifica tudo isso de forma racional, algo do tipo: "se você devolver o tapa, que grande merda você está fazendo? O seu inimigo não faria o mesmo? Faça melhor, seja melhor!"

No sermão da montanha, que foi o discurso onde havia o maior número de pessoas (conforme diz a história), ele falou a respeito de não revidar, de humildade, mansidão, ele não ficou falando "olha, eu sou foda, eu sou o filho de Deus, adorem-me" e nem falou de coisas sobrenaturais. Ele fazia críticas eloquentes, ele justificava as atitudes dele de forma inteligente, enfim.

Se você ler esperando encontrar características de um deus, você se decepciona. Mas se você ler esperando encontrar um homem, você se surpreende. Ao menos eu me surpreendo com certeza :)
LEGIÃO disse…
Está na hora de retirar as referência AC e DC também da Imprensa Oficial. Os Diários Oficiais da União, dos estados e municípios também pertencem a um Estado Laico.

A melhor forma de matar um deus é relegá-lo ao esquecimento.
Avelino Bego disse…
Então, o grupo de rock AC/DC deveria mudar o nome? ;)
Anônimo disse…
Vou esperar o dia que essa bicharada raivosa faça a mesma coisa com Maomé. Como sei que quem tem fiofó tem medo, vou sentar e esperar.
Unknown disse…
Vou esperar o dia que essa bicharada raivosa faça a mesma coisa com Maomé.

Faça o que com Maomé, meu querido? Você quer dizer mudar o calendário dos muçulmanos? E como é que nós poderíamos fazer isso?
-~- disse…
o reitor da escola superior de geopolítica e estratégia, Professor Fernando G. Sampaio usa em seus artigos os termos:

antes da nossa era,
em nossa era,

não sei qual a unidade de referência histórica que ele utiliza, mas acho bem interessante a iniciativa.
Anônimo disse…
Gugamilagre, não seja ignorante. Vocês, ateus, jamais se livrarão de religiões. Quer dizer: terão que perseguir a todas. O que é de vocês está guardado. Pode esperar.
Carlos B. disse…
Hahahaa... eu sempre achei que AC/DC era em inglês, e significava corrente contínua e corrente alternada (alternating current/direct current).
Unknown disse…
Gugamilagre, não seja ignorante. Vocês, ateus, jamais se livrarão de religiões. Quer dizer: terão que perseguir a todas.

E quem disse que eu quero me livrar das religiões?

Eu quero me livrar da intolerância, do preconceito, do medo e da filha-da-putisse tão comum nas religiões.

E não vou perseguir ninguém, os cristãos que continuem com essa prática malévola, que não tenho vontade nenhuma de imitar!
Cognite Tute disse…
Anonimo vociferante: "Gugamilagre, não seja ignorante. Vocês, ateus, jamais se livrarão de religiões. Quer dizer: terão que perseguir a todas. O que é de vocês está guardado. Pode esperar."

Ah, a bondade, tolerância, amor e generosidade cristãs, nunca deixam de me espantar e comover..:-)

Não sei como viveríamos sem ela..:-)

Parabéns Anonimo, você parece ser tão mesquinho, violento, vingativo, e insano, quanto o ser imaginário que adora. Ele deveria ficar muito feliz com você, caso ele existisse claro..:-)

Vocês se merecem.

Cognite Tute

PS: um exemplo claro de como uma conversa, um debate, interessante, produtivo, racional e principalmente educado, pode ser posto a perder por um troll religioso maluco e ameaçador.
Anônimo disse…
Aí ateuzada salvadora da humanidade, tentem também mudar o calendário dos judeus, que também tem fundamento na religião judaica (como o da "era comum" - hahaha - que CONTINUA significando "depois de Cristo", para vosso desespero).

Quero ver se encaram os descendentes de Moisés também, ou têm medinho de serem tachados de "anti-semitas". :D

Com os muçulmanos, sabemos que os homo-ateus não se metem mesmo, pois como já dito por outro comentarista, quem tem C* (órgão mais importante da anatomia homo-ateísta) tem medo!

:D
Fernando disse…
Amigo troll anônimo, os judeus, muçulmanos etc. tem seu calendário próprio... mas eu não sou judeu, não sou muçulmano... e veja só, também não sou cristão. Agora me explica por que eu devo seguir um calendário que não pertence a minha fé? Você pode seguir o seu calendário cristão como quiser, é legítimo, porém, usá-lo em um país laico é tão incorreto quanto usar um judeu ou muçulmano.

No mais, eu moro no Brasil, o calendário daqui é cristão, se eu morasse em outro país com outro calendário de outra religião eu questionaria do mesmo jeito. Será que você é tão desprovido de capacidades intelectuais para entender que não faz sentido eu questionar o calendário judeu, que é seguido apenas pelos judeus, no Brasil?

Ah, e tenho outra novidade para você: você também não é cristão, afinal, mostrou uma atitude claramente não coerente com a doutrina :)

P.S.: Você deve sentir uma saudadinha da inquisição com suas fogueiras purificadoras não é mesmo? Vá procurar a Arca de Noé e deixe o discurso sério para aqueles que atingiram a maioridade.
Fernando disse…
Esqueci de mencionar outra coisa ao ânonimo: quanto a perseguição aos muçulmanos, não se preocupe, o seu colega Norueguês já tratou de colocar em prática o método cristão de lidar com as pessoas de outros credos, no caso, muçulmanos.
Anônimo disse…
Quanta bobagem ateísta. Papo de fogueira e inquisição (pra não perder o costume ateu) e, de quebra, a mentira safada de que o terrorista norueguês é "cristão" ou usou "método cristão"...

Essa é a "maioridade" dos ateus? Que lindo!

Quanto ao calendário, acordem, bobinhos.

Na prática, a referência continua sendo o tão odiado (por vocês) Jesus Cristo. Mesmo com a troca de palavras ateo-babaca, o referencial permanece:

"Antes da era comum" continua significando ANTES DE CRISTO, e "era comum" continua sendo DEPOIS DE CRISTO.

Continuem esperneando.

Sorry.
Anônimo disse…
O Joel Carvalho continua despejando suas asneiras por aqui e multi-facetando-se pessimamente.Sorry Joel Boboca Jojoca.
Anônimo disse…
Assistam os videos de Alfredo bernacchi ele fala sobre o jesus historico que nunca existiu
Unknown disse…
Na prática, a referência continua sendo o tão odiado (por vocês) Jesus Cristo.

Odiado? De forma nenhuma! Acreditar que ele não foi Deus, ou mesmo que ele não existiu, está bem longe de odiar. O que nós odiamos é a hipocrisia e a tentativa de instituir o cristianismo de forma ditatorial sobre os não cristãos.
Cognite Tute disse…
Anonimo Joel: "Na prática, a referência continua sendo o tão odiado (por vocês) Jesus Cristo. Mesmo com a troca de palavras ateo-babaca, o referencial permanece."

Não exatamente. Compreendo que história não deve ser seu forte, mas imaginei que sobre as superstições religiosas deveria saber um pouco mais.

Não há uma data precisa do nascimento de Jesus. Registros históricos quase não existem, nenhum sobre esse evento fenomenal, nenhum registro histórico confiável, a não se a biblia, e mesmo a biblia não é lá muito precisa, com várias controvérsias.

Então, AC/DC significa mais "antes da data aproximada do pretenso nascimento de um suposto Jesus" e 'depois da data aproximada do pretenso nascimento de um suposto Jesus"..:-)

Isso não é muito confiável, tem de concordar.

Além disso, a data não é significativa, e não marca exatamente um nascimento de um deus vivo, mas marca o momento em que um novo sistema de datação foi imposto, por uma nova organização no poder, a Icar.

E calendários são algo interessante e engraçados, e totalmente relativos. Tirando passagens de tempo óbvias, como a duração do dia, e outros reais mas menos óbvias, como a duração do ano, todo o mais é apenas um acordo entre as partes.

Nem sempre acordadas de forma amigável. Quando Gregório "consertou" o calendário, uma boa parte da Europa recusou o "conserto", e continuou a usar o antigo calendário, com 10 dias de defasagem.

Essa é uma história interessante, deveria procurar para estudar, os 10 dias que nunca existiram..:-)

Calendários são substituídos, e aprimorados. É isso que estamos fazendo agora, ajustando uma forma de marcar datas e eventos, de forma mais precisa e menos supersticiosa.

E é apenas por conveniência que usamos um padrão bem estabelecido, ainda que estabelecido pela força e pela violência, não seria razoável mudar agora. Mas poderia ser mudado, bastaria definir um evento preciso, como uma eclipse, ou outro evento cósmico, e datar a partir deste ponto.:-)

Claro que você, e sua superstição, pode ficar "feliz" que ainda seja a "data de nascimento de seu senhor jisuis cristinho", é seu direito..:-)

Mas é como adultos que ainda creem em Papai Noel, ficarem felizes porque os Shoppings ainda se enfeitam no Natal..:-) Uma coisa um tanto triste de ver (e motivo para procurar ajuda psiquiátrica, me parece).

Cognite Tute

PS: O gugamilare disse tudo, não se pode odiar algo inexistente, não faz sentido. Apenas ficamos preocupados com os seguidores de um ente imaginário, que tenta prejudicar outras pessoas e impor sua superstição da idade do bronze.
Usuario disse…
Eu acho que é hipocresia de ambas as partes. A justificativa é válida por tirar os A.C e D.C., mas se for para tirar todas as referências, então deixamos de utilizar o calendário Cristão como referência de data.
Cognite Tute disse…
Usuario: "Eu acho que é hipocresia de ambas as partes. A justificativa é válida por tirar os A.C e D.C., mas se for para tirar todas as referências, então deixamos de utilizar o calendário Cristão como referência de data."

Não, não é hipocrisia (com i). Nada é assim, 8 ou 80. Tudo precisa começar por algum lugar.

Não é preciso tirar "todas" as referências de uma vez só, é perfeitamente possível ir ajustando conforme as necessidades.

Muitas de nossas convenções são "legados", que não valem a pena mudar, seria esforço sem necessidade. Por exemplo, dividimos o dia em um formato que vem dos antigos Assirios, em base 6. 6, 12, 24, 36, etc.

Seria mais "natural", para nossa cultura, dividir o dia em 10 partes, base decimal. Seria também extremamente trabalhos, e pouco útil, uma vez que todos estão acostumados com este formato em base 6.

Já o AC/DC pode ser modificado, já está sendo modificado em ambiente acadêmico, de forma simples, e prática.

É nossa era, a era comum, não a era de um imaginário ente sobrenatural.

Cognite Tute
Anônimo disse…
Acho um pouco desnecessário essa medida de tirar a.C. e d.C.. Para mim, deixar do jeito que está não ofende ninguém.
LEGIÃO disse…
Há várias alternativas ao uso de AC/DC ou, em Inglês BC/AC (Before Christ/After Christ). Porém, os Estados Laicos e suas estruturas deveriam se expressar tomando como referência a maior realização humana neste planeta. Mas qual seria esta?

Embora não seja possível apontar, de imediato, qual é a mais fundamental de nossas ações, é possível sugerir os critérios para identificá-la:

UNIVERSALIDADE: ela deve ter uma relação tal com a Existência Humana, que ninguém, independente de sexo (ou escolha de sexo), cor (ou escolha de cor), credo (ou ausência de credo), idade registrada (ou aceita) possa ignorá-la; ela se aplica a todos;

CONTRIBUIÇÃO COLETIVA DIFUSA: tal realização não deve ser originária da criatividade ou ação de um único indivíduo ou de uma coletividade definida; ela deve ser reconhecida como o despertar simultâneo de um número indefinido de pessoas diferenciadas, que contribuíram espontaneamente para seus resultados, seja de forma explícita ou anônima;

HARMONIA: a Maior Realização Humana deve promover um estranho, mas funcional, acoplamento entre idéias, aparentemente e historicamente, irreconciliáveis; ela deve funcionar como uma cola, cuja composição desligue as inconsistências, alinhe as indiferenças numa sintaxe que resulte num sentido irretocável, e converta os impactos da mútua agressão num impensável e surpreendente crescimento criativo e realizador.

As Organizações Atéias e Agnósticas deveriam promover uma campanha, no mundo inteiro, para que se escolha essa grande realização humana que pode vir a ser o referencial histórico de uma Sociedade Laica. Só o fato de a discussão ser aberta vai gerar um avanço incrível no Secularismo.
Anônimo disse…
A BBC de Londres só está fazendo o que a Historiografia mundial faz há mais de 15 anos: se atualizar, pois nos livros didáticos atuais, essas denominações estão obsoletas mesmo, e não digo isso por ser ateu, digo isso por ser um licenciado pleno em história, até na pedagogia isso de AC-DC já não é nem mais usado há anos. O que a ICAr quer mesmo é manter seu legado de terror psicológico contra o mundo livre (se é que é totalmente livre mesmo).
Anônimo disse…
O cristianismo é algo de que a humanidade não precisava e não precisa para nada. Se sumir a manhã nem se notará.

É uma mancha negra na história da humanidade e terá que ir obrigatoriamente para a prateleira dos mitos mais dia menos dia.
Anônimo disse…
Essa grande realização humana já existe, é o uso da razão, a inimiga mortal da religião. Basta sufocar a religião para ela despertar em toda a sua grandeza.
Headbanger Ateu disse…
"antes da era comum e era comum"


Genial e provisória classificação. As religiões imperialistas atrapalharam até mesmo a contagem dos tempos. Os cristãos contam o tempo pelo uso do calendário gregoriano. Judaístas, pelo calendário judaico e por fim, os islamitas com o calendário hegírico.

O tempo deve ser contado a partir do que se conhece geologicamente a respeito do planeta, e não como "deveria ser" sob a ótica de uma religião (mito).

Os tempos estão mudando.
divertindo com ateus disse…
Idéia genial de ateu: vamos nos livrar da aC/dC e de todas as convenções baseadas nas malignas religiões, e contar o tempo geologicamente agora, fazendo de conta que sabemos exatamente o ano em que o mundo começou.

Tipo: estamos no ano 6.343.431

Humor involuntário ateísta é sempre diversão garantida.
Cognite Tute disse…
Divertido: "Tipo: estamos no ano 6.343.431 "

Ops, errou feio (isso não me espanta)..:-). 6 milhões nem chega perto da idade da Terra. São aproximadamente 4,5 BILHÕES de anos. E n;ao, não sabemos se foi "exatamente" em uma segunda feira ou no sábado..:-)

Na verdade, quem alega saber 'exatamente" quando o mundo começou são religiosos (e tem certezas absolutas), como alguns cristãos que "contaram" os tempos de vida dos personagens bíblicos, até Adão, e descobriram que ela tem 5610 (na noite anterior ao dia 23 de outubro, um domingo, do ano 4004 antes de Cristo).

Fala a verdade, é muito mais divertido, não?..:-)

Toda contagem de tempo é uma convenção, e diferentes culturas usaram diferentes marcos para iniciar a contagem. Podia ser o nascimento de um imperador ou ancestral importante, podia ser um fenômeno cósmico, como uma eclipse ou vulcão.

A data atual é fruto da chegada ao poder de uma organização religiosa, que herdou as estruturas administrativas do Imperio Romano (por acidente), e que trocou marcadores de data romanos (como nascimentos de imperadores) por um marco de sua crença (nascimento de um ser imaginário do passado).

Talvez você não saiba, mas o calendário atual NÃO começa no nascimento do senhor jisuis, até porque ninguém prestou atenção nisso na época, mas séculos depois, implantado a posteriori (e nãos em briga, conflitos e discussões acaloradas sobre quando teria sido isso..:-).

Nosso calendário é muito mais romano, inclusive nos nomes dos meses, forma de contagem dos meses, dias da semana (as "feiras" de nossos dias não existem em outras denominações, que usam ainda os nomes de Thor para os dias da semana), e a sua data principal, 25 de dezembro, é uma apropriação de uma festividade pagã.

Janeiro, é em honra a Janus, o deus com dois rostos, um voltado para o passado, outro para o futuro. Julho homenageia Julho Cesar, Agosto, Augustus. Setembro, outubro, novembro e dezembro ainda mantém os nomes romanos para sétimo, oitavo, nono e décimo mês. Calendário se refere as calendas, dias especiais dos romanos.

Ainda acha, mesmo, que o calendário e a forma de datar atual, tem qualquer coisa a ver com seu amigo imaginário Jisuis? Sério?..:-)

Se vamos falar de humor involuntário, acho que religiões ganham disparado..:-)

Cognite Tute
divertindo com ateus disse…
Temos de acabar com todas essas referências à mitologia greco-romana nos nomes dos meses, dos dias da semana, dos planetas e astros.

Estado laico-babaca já!

(a diversão continua)
Cognite Tute disse…
Divertindo: "Temos de acabar com todas essas referências à mitologia greco-romana nos nomes dos meses, dos dias da semana, dos planetas e astros."

Não, não temos..:-) Temos apenas de tornar as referência da mitologia hebraica, bem, mitológicas..:-)

Acho que está começando a entender a questão, mesmo com suas limitações cognitivas agravadas pela fé cega..:-)

Mais um pouco e vai entender que é tudo mitologia, e nada mais. Talvez até entenda que seu amigo imaginário é imaginário, veja que legal!

Boa sorte com esse problema..:-)

Cognite Tute
divertindo com ateus disse…
Ora, se é necessário retirar as referências à "mitologia cristã", em nome do Estado laico-babaca dos ateus militantes, então a coerência exige que os mesmos ateus militantes lutem também para retirar as referências à mitologia greco-romana.

Mas, apesar da pose de "racionais", coerência não é o forte dessa militância, eu sei.

E isso faz parte do humor involuntário ateísta.
Cognite Tute disse…
divertido: "Ora, se é necessário retirar as referências à "mitologia cristã", em nome do Estado laico-babaca dos ateus militantes, então a coerência exige que os mesmos ateus militantes lutem também para retirar as referências à mitologia greco-romana. "

É, vai ser mais difícil do que pensei, sua capacidade cognitiva não é lá grande coisa..:-)

Não há falta de coerência, pois as situações são diversas. Ninguém leva a sério a mitologia greco-romana, como se verdade fosse, como se Zeus, seu filho Hércules, centauros e hamadriades fossem personagens reais, históricos.

Por outro lado, está cheio de malucos, ops, crentes, que pensam que Jeová, seu filho Jisuis, anjos e demonios, são reais, verdadeiros, e que Adão e Eva são personagens históricos.

E estes malucos, ops crentes, tentam usar essa mitologia para infernizar a vida dos outros.

Por isso as referências a mitologia greco-romana não causa dano, mas as referências a mitologia hebraica, causa.

Viu, é simples, leia de novo, preste atenção, peça ajuda a sua mamãe nos trechos mais difíceis, e até você vai entender (em algum momento, espero)..:-)

Cognite Tute

PS: Tem razão, é muito divertido..:-)
Olímpico disse…
Eu acredito em mitologia greco-romana. Acredito em Júpiter, Marte, Vênus, etc. Sou adorador das divindades do Olimpo.

Portanto, sou uma perigosa ameaça ao seu querido "Estado laico" perseguidor de religiões.

Vocês, militantes religiofóbicos, correm grande perigo.

É melhor vocês mudarem logo os nomes dos planetas e retirarem todas as referências greco-romanas do calendário.

Vocês não podem vacilar, todo cuidado é pouco!
Alice Martins disse…
Prezados comentaristas, a igreja católica não é o Cristianismo, Ele está acima de todas as igrejas e de quaisquer convenções humanas. O cristianismo do Cristo é o amor em essência; dia virá em que todos compeenderão que somos "um só rebanho para um só pastor". Que todos os demais líderes religiosos estiveram, estão e estarão a serviço do Mestre Maior, Jesus Cristo. Portanto, com a.C. e d.C ou sem a.C. e d.C na História, o cristianismo continuará vencedor...
Cognite Tute disse…
Alice Martins disse...
Prezados comentaristas, a igreja católica não é o Cristianismo, Ele está acima de todas as igrejas e de quaisquer convenções humanas. O cristianismo do Cristo é o amor em essência; dia virá em que todos compeenderão que somos "um só rebanho para um só pastor".


Desculpe, mas não existem evidências do que afirma. E não sou rebanho, nem preciso de pastor, pelo contrário, preciso de liberdade, de corpo e pensamento.

Procure outra igreja para pregar frases feitas e sem conteúdo, aqui não vai encontrar muita receptividade..:-)

Cognite Tute
Anônimo disse…
Alice Martins disse... "Ele está acima de todas as igrejas e de quaisquer convenções humanas. O cristianismo do Cristo é o amor em essência."

Esse cristianismo só existe na cabeça dessa louca, O QUE JESUS TROUXE FOI A CONDENAÇÃO ETERNA NO INFERNO.

DISSE O JESUS INVENTADO PELA IGREJA CATÓLICA:

"QUEM CRER E FOR BATIZADO (NA ICAR) SERÁ SALVO, MAS QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO." (AO INFERNO)

Que lindo amor não é mesmo?
Partita disse…
Algum idiota disse:"...somos um só rebanho para um só pastor". Faz todo sentido, mas só esqueceu de citar que nem todos são quadrúpedes como você, Eu sou um animal racional(aquilo que vocês chamam de ateu).
Reinaldo disse…
Acho que os políticos, antropólogos, historiadores, cientistas em geral, deveriam se reunir e criar uma nova datação, esta talvez baseada no início da história, ou da escrita, e estaríamos nos anos dez mil.....
Deveriam também criar um novo calendário, tal que conciliasse, na medida do possível, as referências do tempo lunar e solar , e teríamos o ano de 13 meses e algumas horas.....
Beto Martins disse…
Jesus Cristo, simplesmente o Maior Homem que já andou sobre a Terra. Podem tentar "apagar" esse fato da história contada, mas nunca poderão tirar esse Fato da humanidade.
Paulo MorX disse…
G-ZUIZ, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
essa foi a do ano... rsrsrs
Paulo MorX disse…
E o boi dormiu...
Paulo MorX disse…
se provar a existência do mesmo a gente conversa, pois esse cristo adorado a muitos mais se parece com o deus mitra romano; será que Cristo foi o homem de Nazaré ou foi algo inventado pelos romanos a fim de enganar a humanidade???
Acredito no salvador mais não acredito nesse jesus cristo, inventado por Constantino.
Unknown disse…
INFELIZMENTE, não acaba pq os lucros são homéricos!!
Unknown disse…
INFELIZMENTE, não acaba pq os lucros são homéricos!!
Unknown disse…
"A velha neurose de ter que escrever corretamente"!!!!! Tb sou assim e isso é bom pq acabamos por ser bons escritores!!! Abços
Anônimo disse…
"homéricos". Ótima comparação, rs.
bacana, mas este site carece um pouco de fontes!
tem que colocar o link para as noticias originais, em ingles, que sejam, como referencia!

só pra comentar...é um sarro comparar este tipo de atitude com as atitudes das emissoras de tv brasileiras! :p
Unknown disse…
lá vem as ameaças, muda dvd crentóide.
Francisco Neto disse…
Concordo com você. Entretanto, e se a maior fonte de hipocrisia, ignorância e preconceito for a religião ? Então, o que vale mais ? A liberdade religiosa ou a luta contra esses males ?

Acho que deve-se permitir que cada um creia no que queira, mas não que essa crença não transpasse a legislação.

Não vejo nada demais em mudar, alias, eles não tem do que reclamar, esse tipo de coisa é feito por historiadores e os cristãos não são donos da história.
Garcia Junior disse…
Excelente. Minha admiração pela BBC (tenho vários dos seus documentários) só cresce. Adotarei "Antes da Era Comum" e "Era Comum"nas minhas aulas e materiais didáticos.
Anônimo disse…
Bem a Europa está do jeito que está por perder seus valores cristãos. Esse é só mais um passo em direção a sua derrocada. Abandonem seus valores e paguem o preço disso, Europeus!(Já estão pagando!).
Anônimo disse…
Judas é o exemplo clássico do que ocorre com quem trai Jesus. Parabéns Europa, rumo a derrocada!
Anônimo disse…
Jesus não é invenção da mente humana.
E o mundo real que te cerca são drogas, tráfico de armas, tráfico humano, corrupção, fome, egocentrismo, falta de paz, alegria... e isso, nenhum cigarro de maconha, ou uma cheirada é capaz de suplantar.
Quando tu nasceu, muitos sorriam e só tu chorava. Viva de uma maneira sensata para quando tu morreres, muitos chorem... e só tu sorria.
Vê se consegue escrever teu nome na história de vida para que tua memória não se apague tão fácil, e não sejas apenas uma lápide comum num cemitério qualquer.
Anônimo disse…
Então vc é um apoiador das políticas salariais tóxicas da BBC, uma estatal q suda dinheiro q nem um ralo dos contribuintes ingleses e nem séries boas consegue fazer (só faz Sherlock). hahahahahaha

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Lei anti-ciência de Ohio permite que alunos deem resposta com base na religião

Milagrento Valdemiro Santiago radicaliza na exploração da fé

Pai de vocalista dos Mamonas processa Feliciano por dizer que morte foi por ordem de Deus

Capela em centro espacial é absurdo, afirma estudante

do leitor Sérgio "Este prédio da capela poderia abrigar um bom laboratório" Sou físico e aluno de doutorado do INPE [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais] em São José dos Campos (SP) e gostaria de fazer um breve comentário. Há 5 anos, quando ingressei no mestrado no instituto, fique fascinado com a estrutura física/financeira oferecida ao desenvolvimento da pesquisa. Sinceramente não tenho do que me queixar, mas uma coisa  chama muito atenção (não só a minha, claro). É que dentro do INPE (um centro de pesquisa principalmente física), acreditem, tem uma capela para oração. No local que é considerado o maior centro de pesquisa tecnológica da America Latina (a Nasa brasileira, como muitos dizem) existe tal absurdo. Esse prédio poderia, por exemplo, abrigar um bom laboratório ou coisa mais útil. O INPE (englobando todas as áreas – astrofísica, meteorologia, sensoriamento, engenharia de materiais, etc.) é formado por pesquisadores/cientistas de várias partes do mu

Ministro do STF critica a frase ‘Deus seja louvado’ do real

Marco Aurélio lembrou  que somente no  império  a religião era obrigatória  O ministro Marco Aurélio (foto), 65, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que não consegue conceber “que nas notas de moedas do real nós tenhamos ‘Deus seja louvado’”, porque isso fere a laicidade do Estado. Em uma entrevista ao UOL, lembrou que na argumentação de seu voto favorável à descriminalização do aborto de fetos anencéfalos, em abril, ressaltou que o Brasil não está mais no império, “quando a religião católica era obrigatória e o imperador era obrigado a observá-la”. “ Como outro exemplo de incompatibilidade com o Estado laico ele citou o crucifixo do plenário do STF. “Devíamos ter só o brasão da República.” Aurélio elogiou a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho pela retirada do crucifixo de todas as suas dependências, o que demonstra, segundo ele, que o Rio Grande do Sul é um Estado que “está sempre à frente em questões políticas”. Celso de Mello, outro ministro do Supremo, já

Intel deixa de ajudar escoteiros que discriminam gays e ateus

Empresa avisou que as instituições preconceituosas não terão subsídios  Um grupo inglês de escoteiros rejeitou a filiação de George Pratt, 11, porque ele, ateu, disse que, no juramento de lealdade, não podia declarar obediência a Deus. Trata-se de um juramento padrão, seguido por escoteiros de todo o mundo. Nos Estados Unidos, a partir de agora, os grupos de escoteiros que discriminam ateus e gays deixarão de receber ajuda financeira do programa de voluntariado da Intel. A fabricante de chips informou aos grupos de escoteiros, entre outras entidades, que adotou uma nova política de não conceder ajuda a quem promove de discriminação. Chuck Mulloy, porta-voz da Intel, disse que as instituições, para receber subsídios, terão de assinar um documento declarando estar de acordo com as políticas de não discriminação da empresa. A decisão afeta principalmente os escoteiros de Oregon, onde a Intel tem uma fábrica. Somente em 2010, as doações foram de US$ 180.000 (R$ 360.000). Matt

Evangélico, chefão do tráfico no Rio manda fechar igrejas católicas

PSC radicaliza ao dar apoio a Feliciano, afirma Wyllys

por Ivan Richard da Agência Brasil Deputado disse que resposta também será a radicalização O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, criticou a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorais da Câmara. Para Wyllys, o acirramento dos ânimos por parte do PSC pode provocar ainda mais confusão nas sessões da comissão. Feliciano é acusado por de ter feito afirmações homofóbicas, como a de que a "Aids é câncer gay", e racistas. “Não falo em nome do movimento [LGBT], mas, se um lado radicaliza, o outro tende a radicalizar. Se o PSC radicaliza e não ouve a voz dos movimentos socais, das redes sociais, o pedido para que esse homem saia da presidência, se a tendência é radicalizar e não dar ouvidos, é lógico que o movimento radicalize do outro. Isso não é bom para a Câmara, para o Legislativo, para o PSC, nem para o país”, disse Wyllys. Wyllys afirmou que as lideranças do PSC estão “confundindo” as criticas ao

Família esperou por três dias, mas Neide não ressuscitou; corpo foi sepultado cheirando mal