Autor de ‘Religião para Ateus’ critica o radicalismo ateísta

Botton afirmou ser preciso
aprender com as religiões
O filósofo suíço e ateu Alain de Botton (foto), 41, tem sido contundente ao reprovar o que ele entende ser militância ateísta radical. Em entrevista à Folha, disparou contra Richard Dawkins, o “papa” dos militantes ateus.

“Não adianta o Dawkins ficar repetindo que as pessoas são estúpidas por acreditar em Deus”, disse ele ao jornalista Vaguinaldo Marinheiro. “[Porque] a ciência não resolve algumas coisas das necessidades humanas, como consolo, comunidade, moralidade e compreensão”.

Botton virá ao Brasil em novembro para o lançamento do seu livro “Religião para Ateus” (editora Intrínseca, 274 páginas). Ele vai debater o tema do livro em Porto Alegre e São Paulo.

Ele defende no livro que os ateus precisam aprender como as igrejas -- que por vezes recorrem às artes -- se comunicam com as pessoas e como elas conseguem criar um sentimento de comunidade. Nesse sentido, ele discorre sobre obras sacras, arquitetura e trechos dos evangelhos e do Torá.

"Quando falo que precisamos pegar alguns aspectos bons das religiões, logo [ateus] dizem: ‘E os horrores cometidos pelas igrejas?’. Eu sei da pedofilia, da Inquisição, da morte de inocentes... Mas essa não deve ser a única conversa sobre o assunto."

Botton é também autor, entre outros livros, de “A Arquitetura da Felicidade” e “Como Proust Pode Mudar sua Vida”.

Ele disse que os livros de Marcel Proust (1871-1922) contêm mais sabedoria do que o Novo Testamento. Mas o problema, afirmou, é que hoje dia quase ninguém lê Proust. “Já o ‘Novo Testamento’ continua a vender milhões de cópias.”

Para o filósofo brasileiro Luiz Felipe Pondé, o lançamento do “Religião para Ateus” comprova que o mercado de livros de autoajuda está se sofisticando.

“Autoajuda sempre reúne algo da filosofia, ciência e religião, áreas que são essenciais”, escreveu. “E o filósofo Alain de Botton é um autor de livros de autoajuda chique.”

Trecho do livro 'Religião para Ateus', de Alain de Botton
novembro de 2011





Ateus têm de aprender com religiões como unir pessoas, diz filósofo
novembro de 2011

Ateísmo.    Alain de Botton.


Comentários

Israel Chaves disse…
Ele está certo quando diz que religião tem seus benefícios. Realmente oferece conforto, oferece força aos que estão se sentindo por baixo, dá apoio às pessoas. O erro é achar que religião é a única coisa capaz de proporcionar isso. E o problema da religião é que ela proporciona essas coisas fazendo com que as pessoas enganem a si mesmas. As pessoas realmente se sentem melhores ao ouvirem o que querem, como por exemplo que são especiais, que há um deus todo poderoso que as ama e que quando morrerem irão para um lugar melhor.
Mas ser confortante não quer dizer que seja verdade. Isso é se enganar e uma felicidade conquistada através de mentiras não é uma felicidade verdadeira. Some esse fato a todas as centenas de desvantagens que a religião traz, e é óbvio que deve-se procurar alternativas melhores; a razão.
Tudo aquilo que religião traz de bom pode ser substituído por outras coisas igualmente boas, ou melhores, e sem as suas desvantagens. Por isso, religião é desnecessária, para não dizer danosa.

Quando ele diz “[Porque] a ciência não resolve algumas coisas das necessidades humanas, como consolo, comunidade, moralidade e compreensão”, também está certo. Isso porque a função da ciência não é consolar ninguém, é explicar o universo. Se alguém tentar encontrar "consolo" na ciência, é no mínimo, idiota.
Consolo, comunidade, moralidade e compreensão são encontradas através da reflexão, da filosofia, da amizade, do contato com pessoas amadas. Não é preciso nem religião nem ciência para isso.

Religião é como um tratamento com remédios invasivos. Pode curar, mas traz sérios efeitos colaterais. Por isso estamos sempre pesquisando métodos de cura mais eficazes e sem causar danos ao paciente. Para mim, isso é o que deveria fazer um "militante ateu".
AlyneS2 disse…
Hum...eu recorro ao "radicalismo ateu" pra cima do meu irmão quando ele vem pregar a palavra de Deus. Desde quando ele virou religioso ele mudou muito e eu não sei definir se como melhor ou pior. Quando ainda não era ateia eu passava algum tempo na igreja refletindo, rezando...e hoje eu recorro a arte. Desenho e pintura. E a segunda opção me traz tanta paz quanto a primeira.
LEGIÃO disse…
O Mundo, ainda, não viu surgir um secularista com competência o bastante para dirigir-se às pessoas mais simples, sem que elas se sintam agredidas por um pedante endemoniado.

Valdomiro Santiago e Edir Macedo podem muito bem estar sendo guiados pelo Demônio, se usarmos a lógica religiosa. Mas falam a linguagem simples do povo. Eles atingem, em cheio, os corações, mentes e bolsos de pessoas que não fazem parte da elite da informação.

Ocorre que as pessoas se alimentam de sonhos e esperanças! Se tirarmos isso delas, definharão e morrerão.

A GRANDE MAIORIA DAS PESSOAS USA A RELIGIÃO PARA SE PROTEGER DE UMA DANOSA FALTA DE ESPERANÇA. Por isso não se importam em "devolver" bilhões em dízimos e ofertas (somados ao trabalho voluntário e outras contribuições sem nome) aos gerentes do pedágio divino.

O mesmo ocorre com políticos, para os quais as promessas não vem escritas num livro mágico. Eles despertam o sentido de esperança nas massas fazendo suas próprias promessas.

Assim, a Desprogramação Religiosa tem que vir junto com algo que mantenha acesa a chama da esperança!

Seria interessante a compilação de um corpo doutrinário secular, contendo as melhores idéias das várias doutrinas existentes no mundo. E, para propagá-las, pessoas simples ao invés de doutores e escritores com gosto refinado. Os primeiros vão de encontro ao povo, conversam com as pessoas, distribuem seu suor... Já os portadores da erudição se trancam em seus bangalôs com ar condicionado, longe do sol para escrever suas idéias revolucionárias e vendê-las a seus iguais.

Se consultarmos o buscape.com.br, veremos que, em média, os preços dos livros de Dawkins é de R$ 40,00. Enquanto isso, os preços médios das bíblias é de R$ 18,00. E, em geral, a Bíblia é distribuída gratuitamente pelos crentes.

O Secularismo tem relevância de sobra, mas carece de competência para avançar.
Anônimo disse…
É aquilo que a gente diz, religião é uma MULETA, ela não trás nada pra ninguém , uma pessoa com problemas emocionais normalmente esta doente e precisa de médico e não de pastores e padres e monges ou sejá lá o que quer que seja.

Religião faz as pessoas ficar acomodadas , fragilizadas ,suas mente ficam estagnadas e eles se tornam presas faceis deste sistema caduco chamado religião. A não religião a longo prazo seria muito mais útil a humanidade ,porque a religião cria um carater ''vagabundo'' de fragilização na mente das pessoas.

Mais os religiosos pode ficar tranquilos que suas religiões não vão acabar , as coisas só chegarão ao fim quando não mais a vida for sustentável neste planeta, porque enquanto houver pessoas neste planeta terra infelizmente pessoas precisarão desta muleta chamada religião.
Leandro Santiago disse…
@Israel Chaves, concordo inteiramente com seu comentário. Acho até que o autor do blog deveria publicá-lo na forma de post, como resposta ao post atual. Resumiu em poucos parágrafos o que eu levaria uma bíblia inteira para explicar :-)

Eu particularmente não vejo este "radicalismo ateu" que muitos religiosos tanto falam. Dawkins é um cara bastante simpático e nunca vi ele xingando pessoas e chegar para alguém em chamá-lo de imbecil. Na verdade ele costuma ser bastante equilibrado em suas discussões e discursos.

Sobre o autor do livro, achei a pior besteira do mundo auto-ajuda para ateus. Eu tenho paixão pela ciência - embora não seja um cientista -, mas não vejo nela nada além de beleza e uma excelente maneira de entender o universo. Nunca rezei para a gravidade, que não faz sentido, como diria Sagan :-)

Algumas vezes me emociono com um belo pôr-do-sol, mas isso não faz com que eu veja nele uma figura de adoração ou motivo fé ou esperança de viver para sempre.
Pedro Lobo disse…
Quando ele diz “[Porque] a ciência não resolve algumas coisas das necessidades humanas, como consolo, comunidade, moralidade e compreensão”, também está certo. Isso porque a função da ciência não é consolar ninguém, é explicar o universo. Se alguém tentar encontrar "consolo" na ciência, é no mínimo, idiota.

Israel, Botton está o tempo todo se referindo ao ateísmo, e não à ciência.
Avelino Bego disse…
Existem três coisas distintas:

Religião
Religiosidade
Espiritualidade

A pessoa pode ter Religiosidade e Espiritualidade sem a necessidade dessas Religiões dogmáticas e segregadoras.
Douglas disse…
Pra refletir:

http://tropalanternaverde.blogspot.com/2011/10/culpa-e-de-quem-alisson-morais.html
Avelino Bego disse…
E, como devem saber, a simples menção da palavra Dawkins pode fazer ascender seres abissais.

Não os alimentem!
Anônimo disse…
este atoa falou tudo, tem uns atoas ai que são revoltados e idiotas, acham que Deus vai ficar magoado com suas atitudes...é de rir mesmo destes bestas.

anti-hipócritas.
Avelino Bego disse…
Essa visão de "radicalismo atue" que Dawkins tem é fruto da imagem que alguns religiosos formaram dele.
Marcos Vinicius disse…
Não lembro de quem é essa frase que li certa vez:
"Afirmar que um homem religioso é mais feliz que um descrente não é mais relevante que afirmar que um homem bêbado é mais feliz que um sóbrio."

Esse autor afirma que a Religião proporciona coisas boas e por isso é necessária. Ora, o crack também deve proporcionar sensações boas (senão ninguém usaria), mas não vejo gente escrevendo livros defendendo o uso do crack como necessário ou mesmo recomendável...
Pedro Lobo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Yuri disse…
Botton é um cara muito sensato, devemos fazer como diz a bíblia: separar o joio do trigo, até mesmo nela. Podemo lê-la como um guia com sabedorias antecestrais e ignorar coisas mais arcaicas como Números, Êxodos e aquela mitologia toda. uma leitura crítica pode ser muito construtiva.
Avelino Bego disse…
E devo lembrar que não sou devoto de Dawkins, ele tem erros e devem ser questionados.
E vejo sensatez no Botton.
Cognite Tute disse…
Este é um livro que vou ler, acho a ideia básica interessante. Não acho que a critica a Dawkins seja justa, é a imagem que religiosos tentam "aplicar" em Dawkins que está sendo atacada, e não o Dawkins real.

Mas o ideia de que ler a biblia como se lê outras mitologias é excelente, o problema é convencer, não ateus a fazerem isso, mas aos religiosos.

Todo problema, na verdade, esta deste outro lado, de quem crê. Nós SABEMOS que é só mitologia, superstições e lendas, e SABEMOS que se pode tirar boas ideias da biblia, tanto quanto da Teogonia ou do Mahabharata.

O difícil é convencer o Papa..:-)

Cognite Tute

PS: religiosos tiveram de construir um "espantalho" com a posição e a postura de Dawkins porque, em termos de contra-argumentos, eles não puderam enfrentar. Não há como, então é preciso atacar um espantalho, baseado em ad hominens e distorções. Basta assistir qualquer um dos documentários estrelados por Dawkins para perceber que de agressivo ou extremo ele não tem nada. É educado, gentil, atencioso, até com os mais malucos e doidos religiosos.
Anônimo disse…
Radicalismo não é bom em nada na vida.
Anônimo disse…
Como é bom ver um ateu que usa o cérebro e o bom senso! Ateu sensato como Botton é a melhor vacina contra a corrente de ateu babacas guiados pela grande besta ateia Dawkins. Sou ateu graças a Deus!
Anônimo disse…
A "luta dos ateus" não é pra que a religião chegue ao fim, se o direito de crença estivesse em risco, lutaria com os religiosos mas a "luta" é para que estes religiosos não acabem com a laicidade!
Anônimo disse…
veja: http://icnv.blogs.sapo.pt
e tire as suas conclusões
Anônimo disse…
O que mais me deixa indignado é que por mais que seja a absurda a crença dos religiosos e eles não percebam isso e ainda se orgulhem, é que eles fingem não conseguir ver problema nenhum em não serem laicos. Querem combater a laicidade, ou seja, quem não pensa exatamente do mesmo jeito que eles deve morrer, ou não tem direito nenhum, ou se torna uma pessoa terrivelmente má instantaneamente.

Não gosto de religião, perdi grande parte da minha vida por causa deste tipo de besteira, sofri bastante e não gosto quando alguém insiste para que eu continue sendo ignorante.
Como se isso já não bastasse, agora estão querendo obrigar de vez qualquer um a fazer o que eles dizem que é o certo. Daqui a pouco vai ter fogueira de novo e até esses que defendem essas ideias que nem eles mesmo conhecem serão acabarão por ser queimados também.


Como diz o sábio Matt Dillahunty: A religião não oferece nada que você não obtenha sem ela. Religião só atrasa, só te faz acreditar que você deva ser feliz por ser estúpido, que ser estúpido é motivo de orgulho. Na verdade, tudo que religião oferece você consegue fazer muito melhor sem ela.

-------- Busca neste site --------