Pular para o conteúdo principal

Mais um caso de padre pedófilo abala a Igreja da Alemanha

por Alessandro Alviani, do Vatican Insider

Um novo caso de pedofilia sacode a Igreja Católica alemã. Andreas L., um padre de 46 anos de Salzgitter, na Terra do Norte da Baixa Saxônia, foi preso no fim de semana passado sob a acusação de abusos sexuais de menores. Em um primeiro momento, o homem confessou ter abusado de uma criança desde 2004, que na época tinha 10 anos. Depois, admitiu ter abusado de dois meninos. A última violência remonta ao mês passado.

O número total de vítimas ainda deverá ser esclarecido: a polícia fala de "uma multidão" de casos "regulares" e instituiu uma comissão especial, chamada de "Peccantia", que está examinando os documentos e os computadores apreendidos do pároco, em busca de outras possíveis vítimas. O que deverá ser esclarecido também é a história de um jovem de 25 anos que, em 2007, deu um tiro no apartamento do pároco, dentro da casa paroquial. Parece que o jovem havia sido acolhido pelo padre depois de ter sido deixado pela namorada, de ter perdido o emprego e de ter ficado sem alojamento.

Os agentes, que haviam arquivado o episódio, motivando-o com os problemas privados do jovem, estão agora tentando entender se há alguma eventual conexão com os abusos sexuais. A promotoria considera que não há nenhuma conexão. A polícia, ao contrário, anunciou planos de querer reabrir o caso.

Andreas L. foi detido pouco antes de partir com um grupo de crianças para um acampamento de verão, perto da localidade francesa de Taizé.

A história representa um "desastre" para a diocese de Hildesheim e para a Igreja Católica, explicou o bispo auxiliar de Hildesheim, Heinz-Günter Bongartz, que garantiu total apoio ao poder judiciário.

Andreas L. foi suspenso por enquanto. As primeiras suspeitas sobre ele datam de 2006: naquela época, uma família contatou a diocese de Hildesheim, reclamando que o padre não mantinha a distância necessária das crianças. Parece, no entanto, que, naquela época, não se falou concretamente de abuso sexual. O pároco foi alertado e continuou trabalhando lado a lado com as crianças.

No ano passado, no entanto, depois que a mesma família havia voltado a protestar contra as suas atitudes, a diocese ativou a magistratura. As investigações, no entanto, foram arquivados. Em junho, finalmente, a mãe de uma vítima de abuso fez uma denúncia junto à procuradoria de Braunschweig.

O caso surge poucos dias depois da apresentação, por parte da Conferência Episcopal Alemã, de dois estudos para lançar luz sobre os abusos que ocorreram nas últimas décadas nas dioceses da Alemanha. Além disso, na segunda-feira, a arquidiocese deMunique-Freising lançou um novo Centro para a Defesa das Crianças e dos Jovens, gerido em conjunto com a Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, e um portal na Internet sobre a prevenção dos abusos sexuais.

No ano passado, a Igreja Católica alemã havia sido sacudida por um grande escândalo de pedofilia.

Igreja alemã propõe pagar até R$ 11,5 mil a cada vítima de padre pedófilo.
março de 2011

Casos de padre pedófilo.

Comentários

  1. Paulo Lopes, vamos passar a noticiar casos de padres que não estupram crianças e não os que estupram...

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Gostei de sua sugestão, leitor anônimo. Com tantos casos de padres pedófilos, daqui a pouco, por ser fato incomum, a notícia será quem não abusa de criança.

    Até já estou imaginando alguns títulos de post, como "Diocese se orgulha de ter dois padres que não estupram crianças, um recorde!".

    Na TV, Jô Soares anunciaria: "Hoje terei a grata satisfação de entrevistar um padre que não se aproveita de criancinhas. Palmas para ele!"

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Muito boa a sugestão, adorei! Isso seria realmente um verdadeiro feito!

    ResponderExcluir
  4. Incrível! quando não é padre é pastor!
    ...toda semana tem alguma notícia, imagina quantos casos que não viram notícia!

    ResponderExcluir
  5. Não sabem bater pubnheta esses fdp, têm que abusar dos filhos dos outros esses monstros?

    ResponderExcluir
  6. A culpa é desse maldito ceribato! Poxa, melhor deixar eles se casarem do que abusarem de crianças, não acham? Parece que o Vaticano não pensa...

    ResponderExcluir
  7. Será que ateu também não é pedófilo?? Se fizermos uma pesquisa pode ter certeza que SIM.
    E outra: segundo uma pesquisa mais de 70% dos pedófilos são homens casados e mulheres casadas e podem ter certeza que neste meio tem ATEU.

    ResponderExcluir
  8. Certamente tem ateu mas a IMENSA MAIORIA É RELIGIOSA E CRISTÃ PELO MENOS AQUI!!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo das 12:04, deixa de ser estúpido, óbvio que existe ateu pedófilo, olha só aquele bando de japoneses pagãos que jogam Rapelay e desenham imoralidade de crianças...
    Quando esses idiotas vão aprender a separar abusador sexual de pedófilo?

    ResponderExcluir
  10. Haaa, deve ter Ateu pedófilo sim!
    Algum ex padre ou ex pastor!

    ResponderExcluir
  11. Então, seus ATEUS hipócritas tirem primeiro os ciscos de seus olhos antes de quererem tirar dos outros, vocês querem dar lição de moral, mas não olham para dentro de si para também ver as próprias misérias. Fui.

    ResponderExcluir
  12. Ahh... não admitimos que existe? Agora que tal admitir os erros dos religiosos, ao invés de fazer uma defesa cega? Ah esqueci, foi embora...

    ResponderExcluir
  13. padre é tudo biado minha gente, deixa de ser cega, o que não é pedófilo, gosta de garotão, tá vendo que um homem comum,normal, saudável, não passa sem sexo? que celibato o carvalho!

    ResponderExcluir
  14. Luan,a culpa não é do celibato!Veja os exemplos dos pastores evangélicos pedófilos.Mesmo casando os padres continuariam abusando de crianças ou adolescentes porque a pedofilia ou efebofilia são transtornos patológicos mentais graves que levam o portador desse transtorno a cometer abusos sexuais contra crianças.Casamento não cura pedofilia!Somente o tratamento psiquiátrico,psicológico ou psicanalítico e medicamentoso(psicofarmacológico)pode controlar o problema.A castração química é outra opção de tratamento.Fico com o anônimo que exortou sobre a necessidade de se diferenciar pedófilo de abusador de criança.

    ResponderExcluir
  15. Eita!!! Só por que saiu mais uma matéria de padre pedófilo alguém vem com aquela conversa de que os ateus também cometem isso. É lógico que existe ateus ruins seus sujos, ou acha que vamos defender um ateu pedófilo só por não ser religioso? Não somos como você que vem aqui defender esse padre culpando os ateus também.

    ResponderExcluir
  16. Mas os ateus podem ter um bom alibi. O espirito santo de deus não está a proteje-los.

    ResponderExcluir
  17. Acho que estou postando em tópicos já mortos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em encontro com Bolsonaro, padre canta que 'Deus pode realizar o impossível'

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'