Pular para o conteúdo principal

Para evangélicos, secularismo é a maior ameaça ao cristianismo



O avanço na sociedade da ideia de que o destino do homem independe da religião, ou seja, o secularismo, ameaça mais o cristianismo do que a expansão do Islã. É o que acham 71% de 2.200 líderes evangélicos de 166 países ouvidos para uma pesquisa pelo Fórum Pew Research Center sobre Religião e Vida Pública.

Religiosos temem mais
 avanço do secularismo
do que do islamismo
Para esses líderes, o Islã ocupa a quarta posição no ranking de fatores que podem minar o cristianismo. Em segundo lugar está o consumismo e, em terceiro, o sexo e a violência na cultura pop.
A pesquisa foi realizada em 2013 durante um congresso de pastores e as suas conclusões foram agora divulgadas.

Os evangélicos norte-americanos foram os mais pessimistas: 82% deles acham que estão perdendo influência na sociedade.

Em contrapartida, houve, entre os líderes de todos os países, forte convergência em várias questões. Exemplos: 98% afirmaram ser a Bíblia a palavra de Deus e 96% disseram que o cristianismo é a única fé verdadeira -- a que conduz o fiel ao céu e à vida eterna.

Também houve quase unanimidade quanto ao aborto: 96% afirmaram ser uma prática usualmente errada ou quase sempre. Foi expressiva a concordância sobre a homossexualidade: 84% deles afirmaram que a sociedade deve desencorajá-la.

Mais convergência: 88% rejeitam a teoria da evolução de Darwin, 75% concordam que mulheres sejam pastoras, 84% acreditam que devem expressar sua opinião política, 73% consideram prioridade evangelizar pessoas não religiosas e 53% assinaram que os muçulmanos merecem mais atenção quanto à evangelização.

Metade dos líderes respondeu que a Bíblia deve ser lida literalmente. Para 49% deles, uma pessoa pode ser moralmente boa mesmo não acreditando em Deus.

Os evangélicos também se mostrarem divididos na questão de álcool: 52% responderam que o seu consumo é incompatível com uma boa religiosidade, contra 42% que aceitam socialmente a bebida.

Com informação do The Pew Forum on Religion & Public Life.



Países menos religiosos têm mais justiça social


Comentários

  1. Não é de estranhar, em se tratando de pessoas que tiveram suas mentes formadas junto com a leitura da Bíblia, Teoria da Criação, Historinha Adâmica, e que acreditam firmemente que o sistema monetário é justo, e o melhor possível.
    Se fosse perguntado a cada um deles: o que você acha que pode constituir-se numa alternativa ao capitalismo? Qual a sua relação com o dinheiro? A unanimidade seria absoluta.

    ResponderExcluir
  2. Não só o secularismo, mas as mídias digitais popularizadas, as associações virtuais chamadas redes sociais; eis a crescente liberdade de comunicação, que estes dois fatores reunidos acrescentam, à difusão da informação e do conhecimento junto à juventude globalizada. A revolução da era digital está apenas começando. São jovens, que muitas vezes nem se conhecem, mas se encontram, tendo marcado as mobilizações pelas redes sociais, e se manifestam, clamando por cidadania, emancipação, igualdade. É incrível que o olhar "religioso", como o seu equivalente e genérico, o olhar "conservador", cuja perspectiva é retrógrada, focada no acontecimento eterno que deve ser perpetuamente lembrado, comemorado e jamais esquecido; esteja perdendo cada vez mais terreno, para a avalanche prazerosa universal da pulsão escópica, - via mídias, TV, internet-; o horizonte mundivisionário do presente é a liberdade, a diferença, a diversidade. Os refúgios identificatórios, a referência ao eterno passado, ao mesmo repetido, ao estabelecido e determinado previamente; fraturam-se, racham, apresentam fissuras intangíveis, porém perigosas, no alicerce de todas as tiranias, e de todos os tiranos: o desconhecimento.
    Imaginemos um jovem liberto da autoridade religiosa, que tem acesso a imagens de outras realidades, outras pessoas; que não aquelas fragmentadas e dispersas, mostradas pelos recortes mutilados expostos na visibilidade limitada de sua seita...O poder que tem um jovem com visão livre, associado a outros, praticando este saudável voyeurismo político! Algo realmente incomensurável está por vir, mais alguns anos de internet livre (antes que os Rockfellers a queiram privatizar) e foge ao nosso poder de cognição, sequer o resultado avaliar... A Liberdade finalmente ganhou asas (digitais) e na velocidade dos quantas, dos Nbytes, começa felizmente a voar! Vês, Hannah?
    Sim, Charles, Milton Santos, eu vejo!

    ResponderExcluir
  3. "Os evangélicos norte-americanos foram os mais pessimistas: 82% deles acham que estão perdendo influência na sociedade."
    Então venham para o Brasil!!!!

    ResponderExcluir
  4. Venham não. já bastam os tranqueiras daqui.

    ResponderExcluir
  5. fique ai nao venham senao eu nao guento mais esses malucos leiam a BÍblias e seus Absurdos de Carlos Bernado Loureiro

    ResponderExcluir
  6. "88% rejeitam a teoria da evolução de Darwin"

    88% não foram à escola.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E uma imposição religiosa do fundamentalismo cristão eles proibem o ensino do evolucionismo.

      Excluir
  7. Tanta babozeira.....
    Que perda de tempo.

    Deus é um delírio......

    Pensem pelo menos nisso!

    ResponderExcluir
  8. As convergências mostram que devemos continuar batendo com muita força na bíblia :D

    ResponderExcluir
  9. _As pessoas tratam as coisas de Deus como se não fossem nada, perda de tempo e coisas dessa natureza! Pois bem: o tempo é dado por Deus e mais cedo ou mais tarde, irá acabar! _Aí não restará mais tempo para perder, porque: "o tempo perdido", será mostrado para aquele que o perdeu. _Não entendeu?
    _É uma pena!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Em encontro com Bolsonaro, padre canta que 'Deus pode realizar o impossível'

Vereador critica repasse de verba às igrejas. E é acusado pela bancada evangélica de 'intolerante'