Manifestação de ateus de Madri pede liberdade de expressão


Com o slogan “menos padre e mais cultura”, que em espanhol rima, cerca de 500 ateus de Madri percorreram ontem as principais ruas da cidade em uma manifestação por liberdade de expressão.

A Amal (Associação de Ateus e Livre-pensadores de Madri) foi proibida de promover uma manifestação (a procissão ateia) na Quinta-Feira Santa, em paralelo à procissão dos católicos. A Justiça e as autoridades governamentais entenderam que a “procissão ateia” seria um desrespeito aos cristãos.

Para os manifestantes, a Espanha demonstra que continua um Estado confessional. Algumas faixas pediam que o país seja de fato laico, conforme está expresso em sua Constituição.

No começo da passeata,  uma pessoa que defende o direito à vida e outra pró-aborto discutiram entre si. Esse esse foi o único incidente registrado na manifestação, que vou acompanhada à distância por policiais.

O destaque da manifestação foi um bule de plástico vermelho transportado em um pedestal. Trata-se de uma referência ao filósofo Bertrand Russell, que imaginou um bule chinês no cosmo, como se fosse Deus, para argumentar que cabe aos crentes provar que Deus existe, e não aos ateus demonstrar a inexistência Dele. [Veja a explicação do Wikipédia]

Luiz Vega, presidente da Amal, afirmou que na Semana Santa do próximo ano os ateus vão tentar de novo promover a sua procissão.

Com informação do Religión Digital, entre outros sites.

abril de 2011

Comentários

Caruê disse…
Pena que estou no Brasil...
Adorei o Bule.
Anônimo disse…
Ainda bem que conseguiram fazer o que queriam... TODOS devem ter os seus direitos para dizerem e crerem no que quiser
Anônimo disse…
Menos cura, mais cultura. O slogan bem que poderia ser utilizado por aqui. Por se tratar de um país com tanta exploração da boa fé e ignorância da consciência popular, via charlatães e curandeiros midiáticos, chamados pastores, nas igrejas eletrônicas; menos cura referir-se-a não a padres, mas a promessas falsas milagreiras, de saúde, UM BEM QUE O ESTADO NÃO DÁ AO POVO E QUE É DIREITO FUNDAMENTAL DESTE. Tivéssemos educação, não repeticionismo, autonomia e reflexão, em vez de religiosismo, certamente a própria consciência popular, em vez de adoecer psicossomaticamente e ir buscar cura para sua hipocondria nas Igrejas; se mobilizaria, e se organizaria, como os ateus espanhóis, para exigir não de Deus, mas do Estado, a obrigação paga, tributada, NÃO A GRAÇA, da saúde.
Anônimo disse…
Espanha é o berço de uma revolução futura, a revolução mundial pela efetiva emancipação da humanidade, da religião política e da política religiosa. Ambas retóricas e puramente demagógicas. Outrora a unidade social era conferida pelo império eclesiástico universal, e seu representante local, o clero católico romano, via batismo, onde a filiação divina também significava o nascer de mais um cidadão da cristandade...Hoje, o Estado religioso cívico, emancipado da religião, mas não sendo capaz de emancipar toda a sociedade, em sua universalidade; outorga a suposta cidadania abstrata, só no papel: a identidade, o título eleitoral.
Aparentemente uma universalidade, na verdade uma exclusão da particularidade, que é a apropriação de todos os direitos pela riqueza, esta sim a cidadania plena, efetiva, real, que gozam e usufruem os proprietários, os que não trabalham, os ricos; portanto, estes, os reais seres emancipados.
A luta pelo Estado laico, impossível de se entender por quem não possui senso crítico, nem o raciocinio lógico, é UMA LUTA DE TODA A HUMANIDADE, PELA SUA REAL EMANCIPAÇÃO, tanto na UNIVERSALIDADE, QUANTO NA EFETIVIDADE. Ela há de acontecer quando a política se tornar realmente política, não a falsa-política, dos padres, pastores e políticos profissionais, pseudo-representantes da ilusão do coletivo, na verdade profissionais da política, remunerados ingenuamente pelos tributários cidadãos.

Quando a política se tornar digna do nome de política, atividade da POLIS, não dos sinecuras do erário e da fé pública; aí sim teremos a verdadeira política, capaz de implementar o Estado laico; uma política realmente secular, ou não-religiosa, e por conseguinte, o verdadeiro Estado democrático e de direito, fundamentalmente Constitucional. A Espanha sabe, ou lembra o que sofreu, sob a Cruz de Roma e a Espada dos Tiranos desde Isabel, A Católica, até o Generalíssimo Nada Franco... Ela pode dar-nos o exemplo.
Anônimo disse…
Gostaria de informar que este, dentre vários outros videos tem sido removidos do youtube devido a "multiple third party notifications of copyright infringement". Os responsáveis pela solicitação, segundo o youtube, são Sussex Safer Road Partnership, João Finoqueto Fo e Caroline Celico.
Acredito que seja um grupo de crentes oligofrênicos por trás disso, censurando os videos. o mesmo ocorreu com o video do "garotinho que tem 2 pais" que tentei assistir. Por favor, repostem o link do video novamente.