Pular para o conteúdo principal

Machismo da Bíblia e Corão manda a mulher se calar

Machista, Bíblia diz que é a mulher que vem do homem; para o fundamentalismo religioso, a mulher tem corpo sujo, menstrua

LUKRETIA
colaboradora

Se dependesse da Bíblia, nenhuma de nós teria aprendido nada, pois aprendizagem exige a palavra e a Bíblia condenou-nos todas ao silêncio. "A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição". 1 Timóteo 2:11.

Ora, um tão odioso fundamentalismo, anacrônico e ultrapassado, algum dia será peça literária de museu, não entendo como pode haver ainda mulheres insistindo em querer se basear em fundamentalismo tão misógino. E além de tudo anticientífico e estapafúrdio, porque a ciência prova que todos viemos de uma única mulher, a fêmea Eva africana, que copulou com muitos e diversos machos.

Todos nós, desde os primórdios até hoje, toda a humanidade do planeta Terra, possui dela o DNA mitocondrial. Mas a Bíblia ensina: "Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem". 1 Coríntios 11:8.

Se dependesse do antiético e obsoleto fundamentalismo bíblico, ainda estaríamos todas nas cavernas, porque, além de não podermos aprender, somos pela Bíblia proibidas de ensinar: "Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio". 1 Timóteo 2:12

Religiões
submetem
as mulheres
ao silêncio

Não teríamos direito de chefiar o lar, nem de mantê-lo, pois a Bíblia diz que o homem é o cabeça, isto é, o chefe, não só da casa, mas da mulher. "Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo".

Por que o marido salvaria o corpo da mulher? Porque para o odioso fundamentalismo bíblico o corpo da mulher é sujo, menstrua, excreta imundícies, e o marido o salva, presumidamente, quando faz dele objeto de sua sagrada fertilidade via inseminação...tsc, tsc!

É devido à “impureza” dos pensamentos femininos, inclusive, que o cabelo não pode ser cortado, segundo o fundamentalismo bíblico, e o uso do véu é compulsório.

A Virgem Maria e todas as santas e freiras do catolicismo obedeciam ao fundamentalismo bíblico e usavam o véu! Ele é biblicamente obrigatório.

Por isso o fundamentalismo islâmico, copiado do deles em 622 dC e fac-símile do judaico, instituiu o véu e a famigerada burca. 

Está na Bíblia, para quem quiser ver e conferir. O "sagrado" texto é: "Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu". (1 Coríntios 11:6) "Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu". (1 Coríntios 11:15)

Não entendo essa visão unilateral que critica o fundamentalismo islâmico e não vê que o cristianismo é um fundamentalismo e dos piores, porque falacioso, useiro e vezeiro da autonegação.

Se queremos ser honestas, denunciemos o fundamentalismo cristão inimigo do nosso sexo e gênero, que se manifesta na intolerância para com as mulheres.

Enquanto esse modelo patriarcal, androcêntrico, sexista e machista estiver no poder, negando às mulheres até o próprio sexo, procurando desqualificá-las como se fossem homens menores.

Aliás, é esse o significado da palavra foemina, em latim. Aquela que tem menos fé. Estaremos todas fritas, e condenadas ao mármore do inferno.

> Lukretia é o pseudônimo de uma leitura deste site.


Por que as mulheres devem ficar longe do cristianismo. Dez razões 

Médicos impõem sua religião à mulher quanto ao contraceptivo

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Holanda pede a religiosos provas de que animal não sofre no abate

Marianne Thieme: "Liberdade religiosa termina onde começa o sofrimento de humanos ou de animais"  O Parlamento da Holanda concedeu aos líderes do judaísmo e do islamismo um ano para provar cientificamente que o abate religioso não causa sofrimento nos animais.  Em junho de 2011, a Câmara dos Deputados aprovou lei que proíbe esse tipo de abate porque é feito sem o atordoamento dos animais. A lei terá de ser votada pelo Senado, para ser confirmada ou não, o que ocorrerá após o prazo dado para a manifestação dos religiosos. A lei foi proposta pelo Partido pelos Animais, o único do gênero no mundo. Para Marianne Thieme (foto), líder do partido, “a liberdade religiosa termina onde começa o sofrimento humano ou animal”. Ela é seguidora da Igreja Adventista do 7º Dia. A proposta da nova lei uniu judeus e muçulmanos do país. Eles acusam o Parlamento de querer acabar com a liberdade de religião. Pela tradição judaica e islâmica, os animais têm de estarem conscientes no m