Pular para o conteúdo principal

Atirador do Realego fez pelo menos 60 disparos, afirma polícia


O delegado Felipe Ettore, titular da Divisão de Homicídios do Rio, informou que foram encontradas na escola municipal Tasso da Silveira, no Realengo, 60 cápsulas dos disparos feitos por Wellington Menezes de Oliveira no dia 7 de abril.

Na tarde de hoje, a polícia apresentou à imprensa os dois revólveres (um de calibre 32 e outro, 38) usados pelo atirador que matou 12 estudantes.

A polícia também mostrou um cinturão e um carregador de munição. Oliveira, ao ser atingido no joelho por um policial, se suicidou com um tiro na boca.

Especialistas em segurança, com base nas imagens gravadas pelo circuito interno da escola, afirmam que o assassino demonstrou grande habilidade no manuseio das armas, carregando-as em segundos. Ele carregou as armas nove vezes, no mínimo, de acordo com a perícia policial.

Ettore, contudo, disse que a utilização dessas armas não exige treinamento especializado. “O seu uso não é complexo.”

Uma das armas foi roubada em 1994 de um sítio e outra está com a numeração raspada. A polícia está investigando a sua procedência.

Com informações dos portais.

Vídeo mostra habilidade do atirador no recarregamento de arma.
abril de 2011

Caso do atirador do Realengo.    > Casos de violência na escola.

Comentários

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

No Brasil, mulher que não crê em Deus é submetida à opressão em dobro

Cobrado por aluguel de templo, Valdemiro diz não ter contrato social com a Igreja Mundial

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade