Pular para o conteúdo principal

Polícia de SP pega pastor de Minas condenado por abusos sexuais

A Polícia Civil de São Paulo prendeu nesta segunda-feira (1) o pastor Elias Aurélio Araújo Moreira (foto), 39, condenado em 2004 a 8 anos e 6 meses de prisão em regime fechado por estupro e atentado violento ao pudor. Ele estava foragido desde a condenação.

O pastor escolhia suas vítimas entre as fiéis mais jovens (incluindo adolescentes) de uma igreja em Uberlândia, cidade mineira de 600 mil habitantes a 555 km de Belo Horizonte.

Ele foi denunciado por um anônimo. Ao ser  abordado na garagem de um flat, apresentou aos policiais documentos falsos em nome de Robson Aurélio da Silva.

“[Com esse nome], ele tinha CPF, Carteira de Trabalho, documento de identidade e passaporte”, disse o delegado Márcio Tosatti, da Delegacia de Captura.

O religioso falou o seu verdadeiro nome quando os policiais disseram que teriam de levá-lo à delegacia para colher as suas impressões digitais. Disse que não sabia que tinha sido declarado foragido. Os policiais não tiveram dificuldade em localizá-lo, porque o seu carro tem placa de Uberlândia.

O pastor está preso em São Paulo e poderá ser transferido para uma penitenciária de Minas Gerais. Ele terá de responder à Justiça por falsificação de documentos.

Com informação do Correio de Uberlândia e foto de vídeo do Youtube.

novembro de 2010

Comentários

Anônimo disse…
Cadeia nele....
Anônimo disse…
Neguinho da Beija-Flor certamente gritaria;OLHA A PEDOFILIA AEEE GENTE.....CHORA CAVACO...
Anônimo disse…
O Clodô da Roça deveria ser castrado quimicamente e ser colocado na mesma cela do estrupador Abdelmassih.
Yoakee disse…
Uma das contas mais difíceis de entender na historia do mundo:
Estupro + Pedofilia + Atentado violento ao pudor = Brasil com oito anos e seis meses em regime fechado.
(Possivelmente com progressão de pena)
Anônimo disse…
isso se a pessoa acusada for pobre, se for rica nem presa vai, veja pelo medico Abdelmassih.
Anônimo disse…
Cade os cristãos fanáticos, homofóbicos entre tantos outros PRÉ-CONCEITOS, para defender aqui.. seu irmão? Para defender aquele que leva a palavra de Deus ao povo? Que apenas faz o bem pq é isso que deveria ser feito. Cadê? Ah.. desculpe. Abusar sexualmente de uma criança ou adolescente, (pq me desculpem mas, os adolescentes de hj são mto infantis ainda) é totalmente CERTO. Vamos matar os homossexuais, os ateus e todos aqueles que são "diferentes" e vamos celebrar mais a pedofilia, o abuso sexual o///// é assim que nosso país vai para frente.. na base do abuso sexual, pedofilia entre tantas outras coisas cometidas por PADRES, PASTORES e aí por diante. Vamos celebrar a vida gente: VIVA OS PASTORES QUE ABUSAM SEXUALMENTE DE NOSSOS FILHOS, NOSSOS ENTES QUERIDOS!!! É para isso que a igreja existe: odiar as diferenças e amar aqueles que abusam de nossos familiares. Parabéns Vaticano!
Anônimo disse…
magnífico

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Santuário de Aparecida inaugura mosaicos de padre suspeito de abuso sexual

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa