Pular para o conteúdo principal

Pastor foragido tinha em casa armas ilegais e fotos de pedofilia

A Polícia Civil de Tarauacá (Acre) encontrou na casa do pastor José Elias Galvão armas, munição e fotos de pedofilia.

O mandado de busca e apreensão na casa do pastor foi determinado pela Justiça a pedido do MPE (Ministério Público Estadual). Galvão, que é policial civil aposentado, desapareceu e foi declarado foragido.

Tarauacá tem cerca de 35 mil habitantes e fica a 381 km de Rio Branco, a capital do Estado.

O MPE pediu que o pastor fosse investigado porque recebeu denúncia de que ele estaria usando a igreja protestante local para abusar de crianças.

Com informação do AC24Horas

junho de 2010

Comentários

Anônimo disse…
Outro bandido ...Tem que malhar essa raça hipócrita.
Anônimo disse…
Tá virando rotina.
Anônimo disse…
Paulo Lopes, você já soube da revelação feita pela Liz Taylor antes de morrer?

Ela disse que James Dean, um dos maiores icones do cinema, foi molestado pelo pastor da sua igreja desde os 11 anos.

Renato
Anônimo disse…
Religião é a pior das drogas.
Anônimo disse…
Essas igrejolas crentelhuscas são uma vergonha.Haja bandido...Prendam esse pastorzinho pedófilo.
Docinho disse…
São contra o aborto, até mesmo o previsto em lei, para casos de estupro, porque decerto têm medo de abortarem os filhos deles ¬¬' E claro, quanto mais criancinhas, melhor para os pedófilos. A lógica parece ser essa, viu?

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Padre associa a tragédia das enchentes ao ateísmo de gaúchos. Vingança de Deus?

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Santuário de Aparecida inaugura mosaicos de padre suspeito de abuso sexual

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa