Jovens da 'revolução do quibe' querem emprego, não 'liberdade'

Título original: Quibes, queijos e vinhos


por Luiz Felipe Pondé para Folha

Os árabes foram às ruas. Os paquistaneses (muçulmanos, mas não árabes) vivem nas ruas pedindo a cabeça de algum inimigo do Islã. Pensar que estamos diante da "aurora" de um novo mundo árabe democrático é uma piada.

Imagino como alguns "sacerdotes da religião do povo" (populismo para intelectuais de esquerda?) devem ficar emocionados, lembrando (fantasiando?) os grandes dias do Maio de 68 na França.

Se lermos as colunas de Nelson Rodrigues (editora Agir) da época, encontraremos questões como: afinal, o que querem esses estudantes parisienses se não cortaram nenhuma cabeça? Que revolução é essa que acabou em croissant?

De uma hora para outra, a moçada francesa voltou para casa para tomar vinho e comer "un petit fromage". Centenas de teses pelo mundo tentam até hoje explicar a razão de a "revolução do desejo" de Maio de 68 ter acabado de repente, sem nenhuma razão.

Diferentemente dos jovens americanos, que tinham um motivo concreto para protestar (a horrível Guerra do Vietnã), os meninos franceses estavam cheios de tédio, naquela vidinha chata de gente rica, e resolveram brincar de "comuna de Paris".

No fundo, queriam "o direito" de transar com as colegas nos dormitórios da universidade, alguns meninos queriam "o direito" de transar com outros meninos (sob a bênção filosófica do mestre Foucault, que, aliás, no começo da Revolução Islâmica do Irã, tinha frisson por ela), e alguns, como sempre, não queriam mesmo é ir para a aula e virar gente grande.

Mas os "sacerdotes do povo" fizeram seu trabalho e transformaram aquela festa em grande fenômeno histórico.

A verdade é que não se sabe no que vai dar essa "revolução do quibe" no mundo árabe. Pessoalmente, espero que consigam viver melhor e se livrem dos "partidos de deus".

Mas o que é viver melhor? Para mim, que não sou relativista e acho a democracia liberal ocidental o melhor sistema político conhecido e gente que amarra toalha na cabeça para gritar "morte aos infiéis!" gente atrasada, viver melhor é poder ganhar dinheiro e pagar suas contas, consumir coisas que queremos consumir, transar com quem você quiser, não ter que aturar maridos espancadores, não ser obrigado a sustentar mulheres de que você não gosta mais, não ser obrigado a rezar se você não quiser, poder rezar se você quiser para o deus que você quiser, não ter que achar seu governante "o salvador do povo". Enfim, coisas básicas, não?

Mas o fundamentalismo islâmico (que não é a mesma coisa que islamismo) não pensa assim.

Se, por um lado, não se pode afirmar que o Egito vá virar o Irã (que alguns ainda acham ótimo porque "enfrenta o imperialismo americano"... risadas...), por outro, negar o risco do fundamentalismo islâmico na região em questão é uma piada. Pura má fé teórica.

Risco aqui não significa apenas tomar o poder, significa minar a sociedade, enterrando as pessoas nesse "pântano de deus" onde fundamentalistas crescem como praga na lama.

Essas pessoas que estão nas ruas querem emprego. Se eles falam em "liberdade", fazem-no porque aprenderam com o Ocidente capitalista malvado. Não estão movidos por ideologias de Maio de 68. Espera aí... qual era mesmo a ideologia? Reclamar da TV, do cinema, de ter que arrumar o quarto, de ter que fazer prova na faculdade?

Que tal o Líbano, que virou refém do Hizbollah (o partido de deus), esse grupo muito pacifista e democrático? Ou a irmandade islâmica do Egito, que está "gozando" com tudo isso? E os democráticos do Hamas? Que tal mandar um desses populistas de esquerda passar uns dias com eles para discutir "liberdades individuais"? E se o voto direto por lá eleger outro Hamas?

Muitas análises são feitas a partir do que em filosofia se chama "wishful thinking" (pensamento contaminado por "desejos escondidos"). Muita gente projeta sobre esses fenômenos seus pequenos sonhos de grandeza teórica.

Esses países não têm a divisão moderna entre religião e Estado. Negociar com eles é negociar com o Islã, não nos enganemos. O necessário é falar com o Islã e seus líderes, a fim de "isolar" a praga do fundamentalismo.

Mundo é mais complexo do que o 'coração de estudante' imagina.
dezembro de 2010

> Artigos de Luiz Felipe Pondé.     > Posts deste mês.

Comentários

  1. Luis Felipe Pondé em seu mais novo artigo bem que tentou desrespeitar, na mesma leva, muçulmanos, árabes, paquistaneses, comunistas e toda a esquerda mundial. Sorte que, do alto de sua insignificância e prepotência, nem chegou perto. O grande defensor da sociedade ocidental, capitalista e cristã mal sabe que boa parte daquilo que "temos" hoje foi, um dia, invenção dos bárbaros com "toalhas na cabeça" e, pior, acredita que seu modelo ideal não é o mesmo que mata a África - ou mesmo aquela favela vizinha - de fome ou molesta coroinhas. Viva a democracia da sociedade cristã moderna!

    http://tsavkko.blogspot.com/2011/02/quando-confunde-se-religiao-com.html

    ResponderExcluir
  2. Esse Pondé... Com sua escrita "prepotente" e sua "arrogância" ele chega onde quer. Isso faz de mim ainda mais fã.

    ResponderExcluir
  3. Não concordo com tudo com que Pondé escreve, claro. Mas o leio sempre -- para escapar da mesmice que infesta a imprensa brasileira.

    ResponderExcluir
  4. "temos" hoje foi, um dia, invenção dos bárbaros com "toalhas na cabeça""

    O que essa gente "inventou"? Inventaram a internet? foram à lua? inventaram as vacinas que seus filhos tomam?? Ora, tome vergonha meu senhor, essas pessoas estão sobrando no mundo, consumindo os recursos naturais sem dar nenhuma contribuição que preste à humanidade.

    ResponderExcluir
  5. Não é por nada, mas o Pondé apenas tem um tom acima da mesmice, mas o q ele fala é o mesmo que a grande mídia. Ele é preconceituoso contra pobres, contra nordestinos, contra praticamente tudo. É islamofóbico, intolerante e posa de grande intelectual (aliás, FHC é do mesmo time). Ele é basicamente uma versão mais raivosa da grande mídia, não à toa, escreve nela. É o cão de guarda pseudo-intelectual ao melhor estilo Reinaldo Azevedo. À diferença que este último resolveu se voltar à teorias conspiratórias e outras boçalidades.

    ResponderExcluir
  6. "Viva a democracia da sociedade cristã moderna!"

    VIVA MESMO!!!!! Se não está satisfeito, escolha um desses maravilhosos países que você defenda e vá morar lá com sua mulher e filhas, para que elas tenham seus clitóris cortados por essas maravilhosas "culturas"...

    ResponderExcluir
  7. O melhor né é o que Pondé escreve, mas a reação das pessoas ao ler o que ele escreveu.

    ResponderExcluir
  8. A Filosofia já matou um Deus.

    A tarefa, agora, é matar outro.

    ResponderExcluir
  9. Meu caro anônimo, na África a mutilação genital não é costume muçulmano, senão local de tribos. Algumas são islâmica, outras não.

    Sua ignorância - e o fato de ser anônimo - dizem tudo. Pena que na tal sociedade cristã e civilizada ainda se espalhe a ignorância de tal forma...

    Ignorância demonstrada, aliás, por sequer saber q boa parte da situação de atraso de muitos países árabes e africanos se dá por culpa da nossa "avançada" sociedade cristã...

    ResponderExcluir
  10. Meu caro Rafael. Os blogs que você acompanha também já me deram uma idéia geral acerca do estado do seu cérebro. De tanto ler babaquices esquerditas, seu cérebro derreteu. A mim não interessa que a mutilação é praticada em poucas tribos: NÃO TER QUE SER PRATICADA NUNCA!!!
    A culpa do subdesenvolvimento dos países africanos é deles mesmos, que não tem competência para administrar os recursos que a ONU e outros diversos voluntários da malvada civilização ocidental destina a eles todos os anos. E outra: não tenho pena nenhuma dos bárbaros.

    ResponderExcluir
  11. A família real saudita é riquíssima exportando o petróleo que deveria pertencer ao Estado saudita, e não à família real. E o ignorante vem dizer que a culpa é da sociedade judaico-cristã: Tem que ser muito desonesto pra achar isso.

    ResponderExcluir
  12. Quem é que paga pra essa besta do Pondé falar merda dos outros filósofos, hein? Acredito que na Academia ele deve falar sozinho, ou então, na companhia de suas patotas Janineribeiroanas.

    ResponderExcluir
  13. Quem paga o Pondé na Folha é a.... Folha. (rs)

    ResponderExcluir
  14. Novamente, sábio anônimo, se a África tme conflitos isto se deve à divisão feita pelos "ocidentais" e, não esqueça, aos pelo menos 400 anos de escravidão e colonialismo e de ódios entre tribos INCITADAS pelos antigos colonizadores.

    Experimente ler alguma coisa, faz bem mesmo pra fascistas doentes.

    ResponderExcluir
  15. Ah, claro, a culpa é do europeu. sabia havia guerra entre as tribos antes dos europeus chegarem? sabia que havia tráfico de escravos antes dos europeus chegarem? vá estudar antes de ficar falando bobagem. Eles eram subdesenvolvidos antes dos europeus chegarem e continuam subdesenvolvidos depois de suas independências. POR CULPA DELES MESMOS!!!

    ResponderExcluir
  16. Aliás, eu nem sei porque perco meu tempo ensinando história aos comunistinhas desocupados como você.

    ResponderExcluir
  17. kkkkk... O Anonimo é tão sábio que nem sabe que pra se ter crédito, o primeiro a se fazer é identificar-se.. Medrosinho.. kkkkk

    ResponderExcluir
  18. é mesmo, Murilo? Se você fosse anônimo eu pensaria em te dar algum crédito. Mas agora que eu vi, pensaria duas vezes antes de te comprar alguma coisa na sua mão...

    ResponderExcluir
  19. Pondé é a reencarnação de Schopenhauer, nota -se perfeitamente a semelhança!

    ResponderExcluir
  20. Maior pensador dos últimos 500 anos de Brasil, prefiro ser alienado nos Eua que esclarecido em Cuba, aliás, nunca vi ningúem fugir dos Eua pra ilha do mumificado Fidel rsrs!

    ResponderExcluir
  21. PONDÉ É O MAIOR PENSADOR DESDE OS GREGOS, É A REENCARNAÇÃO DE SCHOPENHAUER, DE NIETZCHE, DE LEO STRAUSS, DE VON MISES, DE... DE... DE... AI, GOZEI!!!

    ResponderExcluir
  22. Concordo com o Pondé quando tenta desmistificar um discurso politicamente correto e de esquerda. Talvez por ele estar em um ambiente que é pecado não compartilhar dessas opniões. Considero muito triste a necessidade de ter lado, de defender um modelo inteiro contra outro. Pelo fato de todos terem falhas. É engraçado que aqueles que criticam os dois lados, possuem inimigos nos dois lados, não é, Pondé? Porém, não podemos negar que as incursões ocidentais nesses países só pioraram suas questões. http://www.cartacapital.com.br/internacional/as-origens-do-mal

    ResponderExcluir
  23. O anônimo venceu o debate contra o islamófilo.

    ResponderExcluir
  24. Raphael Garcia, você já vive no Oriente Médio ou em um país que tenha pelo menos mais de 100 milhões de muçulmanos? Estudou pelo menos um como eles destruíram o sul da Ásia entre o ano 1000 e 1707? Como eles se aliaram ao nazismo? Vai estudar antes de escrever besteiras de cartilha; teu nivel de conhecimento sobre a história da Ásia é ínfimo.

    ResponderExcluir
  25. "VIVA MESMO!!!!! Se não está satisfeito, escolha um desses maravilhosos países que você defenda e vá morar lá com sua mulher e filhas, para que elas tenham seus clitóris cortados por essas maravilhosas 'culturas'..."

    Caramba... Esse comentário foi tão burramente infantil que só faltou falar que quem critica o artigo tem "inveja" do Pondé...

    ResponderExcluir
  26. O PONDÉ NAUM SI DISCUTI ELE EH GENEO E GENEO NAUM SI DISCUTI. VIVA O PONDÉ EU KERO DA PRO PONDÉ !!!!!

    ResponderExcluir
  27. KI PONDÉ KI NADA O CARA EH O RONALDO
    RONALDOOOOOOOO !!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  28. Pondé: Grande artigo este.

    Apenas posso dizer que a verdade, seja ela relativa ou não, foi dita aqui.

    O pessoal é mesmo muito hipócrita com esse papo de que "islamismo fanático" é questão cultural. Queria ver se algum desses que está aqui falando abobrinha morasse lá no Irã, só pra ter uma idéia!

    A ignorância (ou a dissimulação) desse pessoal da esquerda é tão escrota que me faz ficar ainda com mais desrespeito pelos "comunistas" de araque desse país.

    ResponderExcluir
  29. Pondé é o novo bobo, da nova corte: 'a zelite'

    Wander

    ResponderExcluir
  30. "Queria ver se algum desses que está aqui falando abobrinha morasse lá no Irã, só pra ter uma idéia!"

    Lá vem mais um panaca... Deve ser iraniano, para saber com tanta propriedade assim sobre o que fala. Opa, não é não! É de Joinville o menino! Caramba, como sabe tanto sobre o modo de vida e a cultura islãmicas? Através de Dan Brow e Paulo Coelho? Revista Veja? Cada um...

    ResponderExcluir
  31. Pascoal,

    Não é preciso ser iraniano para saber que o país é uma teocracia em pleno século XXI, que treina e financia grupos terroristas islâmicos, sonha em construir a bomba atômica para riscar Israel do mapa e onde o conceito de "liberdade de expressão" é somente mais uma invenção do Ocidente infiel e diabólico. Ou será que tudo isso é invenção da mídia ocidental, em sua sanha de esconder a qualquer preço as maravilhas atingidas pela Revolução Islâmica de 79?

    ResponderExcluir
  32. Desistam. São todos filhos da puta, no Oriente e Ocidente, na esquerda e na direita.

    Em todo lugar tem gente imbecil e preconceituosa, que fica fazendo generalizações e usando argumentos de 5ª série (naquela aula sobre Guerra Fria) e mandando os outros irem morar em Cuba como se precisasse sair do país pra ver gente fodida.

    É nesse estado que o mundo se encontra... horrível, mas achando que tá bom, só porque tem pior.

    ResponderExcluir
  33. Concordo com esse último comentário:"Desistam. São todos filhos da puta, no Oriente e Ocidente, na esquerda e na direita."

    Ou vão dizer que no civilizado Ocidente Cristão o capitalismo selvagem também não é uma forma de terrorismo oficializado pelo Estado? Também não é uma espécie de fundamentalismo religioso cruel e sanguinário? A diferença é que se apresenta com vestes mais suaves, com uma maquiagem que lhe dá feições mais brandas, mas o rosto verdadeiro (por detrás da máscara) é tenebroso e sombrio. Vão dizer que aqui há "liberdade de expressão individual"??? Tente se expressar contra o sistema vigente pra ver o que te acontece. Que aqui não se sonha em eliminar países inimigos do mapa, com bombas atômicas? Pior: aqui não se sonha, aqui tal sonho já se realizou (Hiroshima e Nagazaki) e outras guerras, normalmente encabeçadas pelos Estados Unidos, pra dar vazão à indústria bélica norte-americana e aos interesses econômicos do petróleo do mundo árabe.

    ResponderExcluir
  34. Essa parte é interessante:

    Mas o que é viver melhor? Para mim, que não sou relativista e acho a democracia liberal ocidental o melhor sistema político conhecido e gente que amarra toalha na cabeça para gritar "morte aos infiéis!" gente atrasada, viver melhor é poder ganhar dinheiro e pagar suas contas, consumir coisas que queremos consumir, transar com quem você quiser, não ter que aturar maridos espancadores, não ser obrigado a sustentar mulheres de que você não gosta mais, não ser obrigado a rezar se você não quiser, poder rezar se você quiser para o deus que você quiser, não ter que achar seu governante "o salvador do povo". Enfim, coisas básicas, não?

    Mas o fundamentalismo islâmico (que não é a mesma coisa que islamismo) não pensa assim.

    Será mesmo que isso é o ideal de uma vida melhor ou aquilo que o sistema capitalista ocidental quer que agente acredite que seja?...fica aí a pergunta....(não que eu faça a apologia do mundo árabe fundamentalista mas....)

    ResponderExcluir

Postar um comentário